Jesus Cristo: JAVÉ, Anjo, Arcanjo, Miguel e Príncipe

Tudo isso para revelar o caráter confiável da Trindade e Seu amor por nós!
“Conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo” (I Pe 1:20). Aprendemos com isso, amigo, que a decisão de JAVÉ em se tornar “Filho”, “Descendente” de Eva, encarnado, quero dizer, vir ao mundo “em carne” (I Jo 4:2 e II Jo 7), foi tomada pelos Três antes de existir o planeta Terra!! E somente a partir da vinda de JAVÉ “em carne” é que aparecem os adjetivos caracterizadores “Pai” e “Filho”. Antes disso era “JAVÉ”, “Deus”, “Rei” (I Sm 12:12) e “Majestade” (Hb 1:3 e 8:1), para Deus o Pai e “JAVÉ”, “Deus”, “Anjo”, “Miguel”, “Rei” (Ap 19:16) e “Príncipe” para o JAVÉ encarnado! Só JAVÉ Espírito ou “Espírito de JAVÉ” que não recebeu adjetivos de parentesco ou títulos (não diretamente, mas indiretamente sim, pois, por exemplo, somando Sofonias 3:15 e Ageu 2:5 resulta que o Espírito é o “Rei de Israel”!). 

Quem decidiu isso não foram as religiões, nem mesmo a palavra de Deus, mas Eles, JAVÉ trino! A Bíblia e seus profetas apenas revelam essa verdade. Continuemos. Malaquias 3:1. “Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim; de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da Aliança, a quem vós desejais; eis que ele vem, diz JAVÉ dos Exércitos”. Perceba que, quem JAVÉ enviaria para a Terra, segundo o profeta, seria o “Anjo da Aliança” ou “Anjo de JAVÉ”, o que enfatiza o que aprendemos antes – Jesus que é “Deus conosco” era o “Anjo de JAVÉ”. Ele não é um anjo no sentido criatura, mas o Anjo no sentido Criador dos anjos e Mensageiro de JAVÉ trino, já que a palavra anjo também significa mensageiro

As Escrituras explicam. O “Anjo” é o próprio JAVÉ para o profeta Oséias. Acompanhe comigo este raciocínio bíblico: “No ventre, pegou do calcanhar de seu irmão; no vigor da sua idade, lutou com Deus; lutou com o anjo e prevaleceu; chorou e lhe pediu mercê; em Betel, achou a Deus, e ali falou Deus conosco. JAVÉ, o Deus dos Exércitos, JAVÉ é o seu nome” (Os 12:3-5). Para Oséias, “Deus conosco” é o próprio “JAVÉ” ou “Deus dos Exércitos”. Não só para esse profeta, mas para Moisés também! Vejamos o sonho de Jacó em Betel: “E sonhou: Eis posta na terra uma escada cujo topo atingia o céu; e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. Perto dele estava JAVÉ e lhe disse: Eu sou JAVÉ, Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque. A terra em que agora estás deitado, eu ta darei, a ti e à tua descendência” (Gn 28:13). Com isso, está definitivamente provado que a expressão “Anjo de JAVÉ” em verdade tem o mesmo valor que “Anjo JAVÉ”, posto que os profetas chamam ambos de “JAVÉ”. Mais do que isto, acabamos de concluir (novamente!) que Jesus, o “Emanuel”, é de fato JAVÉ encarnado. Com esse mesmo raciocínio das Escrituras dos profetas podemos esclarecer por que Jesus é conhecido como “Arcanjo” e “Miguel”! Sendo “Deus dos Exércitos” (Os 12:5) ou “JAVÉ dos Exércitos, entronizado entre os querubins” (I Sm 4:4), Jesus é apontado como Comandante ou Chefe dos “Exércitos” de Deus que são os anjos, como o texto anterior mesmo diz “querubins”!

Isto explica o termo “Arcanjo”, que aparece duas vezes na Bíblia – I Ts 4:16 e Jd 9. (Note ainda que, mesmo após a encarnação, Jesus ainda é arcanjo, isto é, Ele não perdeu Sua patente de Chefe de Suas criaturas angelicais!). Judas 9 também denomina Jesus de “Miguel”, como se não bastasse a quantidade de Nomes santos para JAVÉ Jesus! Mas, por que? Lembremo-nos que “tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu” (Ec 3:1), ou seja, existe um “propósito” por trás desse nome, ele não foi colocado sobre “o grande príncipe” (Dn 12:1) por acaso. Primeiro, “Quem é Como Deus?” é o significado hebraico de “Miguel”. Observe propósito, não coincidência! JAVÉ trino sabendo das dificuldades de compreensão de Seus filhos leais e sinceros, das limitações que o pecado impõe a nossa mente, decidiu chamar JAVÉ Jesus de “Quem é Como Deus?”, dando-nos outra oportunidade de reconhecermos a divindade de Jesus. Mas, por que uma pergunta? Em todas as cinco passagens bíblicas nas quais se encontra este nome (Dn 10:13 e 21; 12:1; Jd 9 e Ap 12:7) vemos o conflito entre aquele que afirmou “eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo” (Is 14:13 e 14), o “filho da alva” (Is 14:12, ou lúcifer), o  ex “querubim da guarda ungido” (Ez 28:14) contra Aquele que sempre foi “o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser  [de Deus]” (Hb 1:3), o “Deus conosco”, o “Anjo de JAVÉ”, o “Cristo” (Ungido). Percebe a disputa de satanás com Jesus? Da serpente com o “Descendente” da mulher?  Logo, a pergunta é um questionamento a satanás de quem realmente é Deus, se ele ou Jesus Cristo! A resposta está na vida e no destino de ambos.

Saliento aqui o desejo diabólico de Lúcifer em retirar a divindade de Jesus e colocá-la sobre si… e aproveito essa realidade sombria para dizer: se Jesus não é divino, então satanás o é (absurdo)! Prefiro crer que, aqueles que não adoram a Cristo como JAVÉ encarnado, o fazem por ignorância temporária. Caso contrário, eu pensaria que nessas criaturas ingratas repousa o mesmo “desejo diabólico” de retirar de Cristo Sua divindade legítima (Cl 2:9) e pô-la sobre o príncipe das trevas. Que terrível decisão teimosa. Os que crucificaram Jesus também não O reconheciam como JAVÉ! Ai daqueles, pois JAVÉ os ressuscitará antes de Sua segunda vinda a este planeta, só para reverem Aquele que se recusaram a adorar como Deus e Salvador (Mt 26:64 e Ap 1:7)! O fim deles coincidirá com o do grande usurpador da divindade de Jesus (Ap 20:9 e 10).

No entanto, Miguel é conhecido como “um dos primeiros príncipes” (Dn 10:13). O que isso significa? O contexto nos revela a luta entre Gabriel, “o anjo de Jesus” (confira Dn 8:16, Lc 1:19 e 26; e Ap 1:1) e o príncipe da Pérsia (Dn 10:13 e 20), possivelmente um anjo rebelde a Deus. Considerando que Jesus considera satanás “príncipe deste mundo” (Jo 14:30) e que os anjos maus, os demônios, também são considerados príncipes do mal (Ef 6:12), podemos entender que o principado desses anjos caídos não se deu antes do principado de Miguel. Quero dizer, quando esses anjos ainda eram do bem e foram intitulados príncipes, lá no Céu, Miguel já era o “grande príncipe” (Dn 12:1) ou “príncipe do exército” (8:11) ou ainda “príncipe do exército de JAVÉ” (Js 5:13-15) cujo lugar em que pisa “é santo”, o que não aconteceria com um simples anjo criado! Veja como exemplo Apocalipse 22:8 e 9. Contraste com Números 22: 31 e Êxodo 3:2-6. O Senhor Jesus recebeu a primazia (Cl 1:18) sobre toda a criação de JAVÉ trino! Dos anjos Ele é o “arcanjo Miguel”. Da Igreja Ele é “a cabeça” (Cl 1:18). Da criação terrestre Ele é o “Primogênito” (Cl 1:15), o Filho de JAVÉ mais velho ou o “Deus unigênito” (Jo 1:14,18). Fica menos difícil, a partir do que já vimos dos profetas, entendermos todas essas citações que aparentemente diminuem o tamanho infinito do Todo-poderoso JAVÉ Jesus (Gn 28:3, 13, 16 e 17), já que todas elas se referem a Ele somente depois de Sua encarnação. 

(Extraído do livro JAVÉ, pp. 7 e 8. Baixe AQUI uma cópia deste livro, se desejar.)

2 thoughts on “Jesus Cristo: JAVÉ, Anjo, Arcanjo, Miguel e Príncipe

  1. Legal vc sabe construir um texto em base nas historia de Deus!

  2. Legal vc sabe construir um texto em base nas historia de Deus!

Deixe uma resposta