Alagoas realiza o primeiro casamento gay

“Deus nos fez simples e direitos, mas nós complicamos tudo.”
(Eclesiastes 7:29 NTLH) 

A resistência dos familiares, que não estarão presentes, não tirou a alegria e nem fez a enfermeira paulista Viviane Rodrigues, 32, e a cantora alagoana Luciana Lima, 27, desistirem da cerimônia em que se unirão em casamento, no final deste mês. O ato, a ser celebrado por um orador kardecista numa casa de festas em Maceió, será o primeiro casamento gay de Alagoas. Elas estão juntas há cerca de um ano e meio, e foram dos primeiros casais a formalizar a união homoafetiva em cartório. Em maio último, logo que o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a união civil entre pessoas do mesmo sexo, Viviane e Luciana legalizaram a relação no 1º Cartório de Registro Civil de Casamentos e Feitos Matrimoniais, no Centro de Maceió. Agora elas querem sentir a emoção daquilo que tradicionalmente se conhece como casamento religioso. “Temos esse direito como qualquer casal hetero”, diz Viviane, aproveitando para desfazer a imagem preconceituosa de que, na cerimônia que vai uni-la a Luciana, haverá “um noivo”. A enfermeira, que trabalha num hospital da rede pública estadual, declara que o evento que vai protagonizar é o casamento entre duas mulheres. ‘É preciso respeitar a decisão dos outros’. Preconceito é um problema que Viviane Rodrigues e sua companheira Luciana Lima, como a maioria dos homossexuais, enfrentam com frequência. A mais recente situação que vivenciaram foi há cerca de dois meses, em Garanhuns (PE). “Estávamos num bar, curtindo o Dia dos Namorados. Não havia manifestação explícita de carinho ou qualquer outra atitude que pudesse deixar as pessoas constrangidas. Mas dava para perceber que tínhamos intimidade de casal”, conta Viviane. Repentinamente foram surpreendidas pelo garçom que se aproximara entregando-lhes a conta do que consumiram e pedindo que se retirassem. “Foi chocante. Pensamos em processar o estabelecimento, mas acabamos deixando a cidade com muita raiva por esse constrangimento”, declara a enfermeira. Ao seu lado, Luciana diz que arrependem-se de não terem reagido. “Denunciar a discriminação seria o mais correto. Acreditamos que até a homofobia deve ser manifestada de forma inteligente, com educação. Discordar é um direito de qualquer pessoa, mas é preciso respeitar a opinião e decisão dos outros”, reage a compositora […]. Uma composição que fez para Viviane e que será cantada por Luciana na cerimônia de casamento, vai estar no CD. ‘União foi reconhecida em maio pelo STF’. A união estável para casais do mesmo sexo foi reconhecida por unanimidade, pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em sessão plenária no dia 5 de maio deste ano. Com a decisão, os ministros garantiram a companheiros em relação homoafetiva duradoura e pública os mesmos diretos e deveres das famílias formadas por homens e mulheres. O julgamento que reconheceu a união homoafetiva durou mais de 11 horas e mobilizou entidades ligadas à causa. “O reconhecimento, portanto, pelo tribunal, hoje, desses direitos, responde a um grupo de pessoas que durante longo tempo foram humilhadas, cujos direitos foram ignorados, cuja dignidade foi ofendida, cuja identidade foi denegada e cuja liberdade foi oprimida”, afirmou a ministra Ellen Gracie ao proferir seu voto. [Fonte]
NOTA: Chamo a atenção para o fato do “casamento religioso” ser realizado por um kardecista. Não é segredo que os “espíritos” (anjos maus ou demônios) que se alojam em pais de santos (chefes do espiritismo ou da macumbaria), os obrigam a se relacionarem homossexualmente com clientes e/ou outras pessoas! É algo para quem é espírita e crê que os homossexuais de hoje foram pessoas do outro gênero em “vidas passadas” pensar: não seria o caso de os anjos maus serem os verdadeiros responsáveis pela origem do homossexualismo? Certamente, justificativas mascaradoras como “é algo genético”, “os homossexuais estão cumprindo sua missão nesta reencarnação” e “eles são livres e estão usando sua liberdade como quaisquer outros humanos” perdem sua legitimidade se a Bíblia estiver correta (e eu não tenho a menor dúvida disso!) ao afirmar: “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” (I Co 6:9 e 11) Quando a Palavra de Deus os chama de “injustos”, fica claro que tiveram a opção de escolha “justiça”, mas rejeitaram! Não foram forçados a serem homossexuais nem por Deus, nem pela genética ou traumas do passado. Nem mesmo pelos anjos maus que conduzem suas mentes! Assim como os justos ou “justificados em o Nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito” escolheram permitir que Deus os justificasse (perdoasse e limpasse), a Bíblia chama os que não permitiram, não quiseram isso de “injustos”! Não é preconceito, é a Verdade divina, a mesma que concorda com a frase “discordar é um direito de qualquer pessoa, mas é preciso respeitar a opinião e decisão dos outros”, dita por Luciana. Sem dúvida, aqueles que discriminam, maltratam, humilham e rejeitam os homossexuais pecam tanto quanto eles e talvez até mais! Concluo dizendo que a Lei de Deus deve moderar as decisões humanas, caso contrário, se cada um possuísse o direito de definir o certo e o errado, o caos sócio-político seria ainda maior. É uma lástima que o STF não pense biblicamente. É um fracasso que os brasileiros, em sua maioria, não pensem biblicamente! Afinal, ao relativizar a moral e confundir o imoral com direitos humanos, como impedir a violência homofóbica? Não seria uma manifestação da liberdade tanto quanto o homossexualismo? Confusão, irracionalismo e bestialidade são os filhos mais velhos da união entre a “Desobediência à Bíblia” com a “Idolatria do eu”.  Mas graças a Jesus Cristo e a Bíblia existem muitos ex-gays! Caso você enfrente esta luta ou conhece alguém que a enfrenta, leia sobre a possibilidade real de vitória nesta guerra aqui. (Hendrickson Rogers)

4 comentários em “Alagoas realiza o primeiro casamento gay

  • julho 20, 2011 em 9:19 pm
    Permalink

    Sua nota é absolutamente dispensável, por ser altamente homofóbica. Talvez seja mais violenta que a violencia física, pois tenta envolver a religião, que é carta fora do baralho quado se fala em questões civis.

    Resposta
  • julho 20, 2011 em 9:19 pm
    Permalink

    Sua nota é absolutamente dispensável, por ser altamente homofóbica. Talvez seja mais violenta que a violencia física, pois tenta envolver a religião, que é carta fora do baralho quado se fala em questões civis.

    Resposta
  • setembro 28, 2011 em 11:44 pm
    Permalink

    As questões civis não são anteriores a Religião, “Anônimo”. Nós fomos criados na Religião divina – estamos ligados a Deus por Ele! Ignorar ou não querer enxergar isto é uma opção que o próprio Deus permite ao homem. Meus comentários estão longe de serem homofóbicos; antes exalam o amor de Deus até para os heterofóbicos. Por favor, não se esconda do amável Criador e Recriador da alma, o Senhor Jesus. Ele pode e quer lhe fazer feliz do jeito certo, do jeito dEle! O anonimato é tão eficaz quanto o homossexualismo – impede o ser humano de conhecer a alegria que há na comunhão diária com o Senhor Espírito, Aquele que criou “macho e fêmea” à Sua própria imagem (Gn 1:27). Você está recebendo mais uma chance de ser honesto consigo mesmo e com Deus. Aproveite! A promiscuidade é o alvo dos que se desviam do ideal do Criador para a vida sexual. Confesse e Deus lhe purificará! (I Jo 1:9)

    Resposta
  • setembro 28, 2011 em 11:44 pm
    Permalink

    As questões civis não são anteriores a Religião, "Anônimo". Nós fomos criados na Religião divina – estamos ligados a Deus por Ele! Ignorar ou não querer enxergar isto é uma opção que o próprio Deus permite ao homem. Meus comentários estão longe de serem homofóbicos; antes exalam o amor de Deus até para os heterofóbicos. Por favor, não se esconda do amável Criador e Recriador da alma, o Senhor Jesus. Ele pode e quer lhe fazer feliz do jeito certo, do jeito dEle! O anonimato é tão eficaz quanto o homossexualismo – impede o ser humano de conhecer a alegria que há na comunhão diária com o Senhor Espírito, Aquele que criou "macho e fêmea" à Sua própria imagem (Gn 1:27). Você está recebendo mais uma chance de ser honesto consigo mesmo e com Deus. Aproveite! A promiscuidade é o alvo dos que se desviam do ideal do Criador para a vida sexual. Confesse e Deus lhe purificará! (I Jo 1:9)

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: