Elogio e reconhecimento

Ganhar um elogio ou reconhecimento é tão bom, você não acha? Saber que as pessoas prestam atenção em suas atitudes e sabem valorizá-las é maravilho. Faz bem para a autoestima e nos sentimos mais seguras. Mas, quando paramos para pensar, percebemos que, da mesma forma que esse sentimento é bom para nós, também é bacana para as outras pessoas. Pense bem: você elogia seus amigos e colegas? De acordo com a psicóloga Maria Teresa Reginato, de São Paulo, tomar a atitude de elogiar as outras pessoas é algo que deve ser feito de uma forma natural. Ou seja, precisa ser um sentimento verdadeiro, não uma obrigação. “Essas atitudes de reconhecimento das pessoas ao seu redor devem ser cotidianas. Uma relação natural. É preciso aprender a olhar o externo.” 

Receber um elogio é sinônimo de resposta a determinado comportamento. “O elogio é uma forma de reforçar os pontos positivos, as qualidades e, principalmente, as capacidades que a pessoa possui”, explica o consultor de carreiras Edson De Paula, de Campinas (SP). “A pessoa deve entender que o reforço positivo possibilita a continuidade de um bom comportamento, porque ele é encarado como uma forma de recompensa.” 

No trabalho Saber receber um elogio ou uma crítica é parte da nossa vida profissional. Quando a empresa prega a transparência e não inibe as manifestações de seus funcionários, a tendência é um aumento da confiança entre os profissionais e uma melhoria no clima organizacional. “Quando existe reciprocidade, as pessoas falam de uma maneira assertiva aquilo que sentem e existe um clima de confiança mútua. Você gera e estimula a empatia”, pontua Edson. Para o consultor, no ambiente de trabalho esse tipo de atitude tem que vir do superior. A partir dessa ação positiva, as pessoas vão se contagiando e tomando isso para o seu dia a dia. “O líder que deve iniciar esse processo, pois cabe a ele dar o exemplo. A partir daí, é gerado um clima de mais confiança, as relações são mais positivas e as decisões, participativas. O líder que assume um papel participativo cria um elo de confiança.” Edson acrescenta que essa relação recíproca, de elogiar e ser elogiado, é uma questão de maturidade emocional e de saber falar e ser ouvido. Isso vale tanto para as relações pessoais, quanto para as de trabalho. “Saber ouvir é uma das qualidades mais importantes que uma pessoa precisa ter para poder compreender melhor o outro ser humano que está a sua frente, sem julgamentos e sem críticas.”

Viu só? Não é tão difícil assim. Basta conseguir enxergar as coisas ao seu redor e ver as pessoas com outros olhos. Mostrar para sua amiga ou colega de trabalho o quanto é importante para cada um dos seus dias. Que as coisas boas que acontece com você não são conquistadas sem a ajuda e empenho deles, e vice-versa. Afinal de contas, fazer uma pessoa feliz por conta de uma atitude é muito gratificante. 

Nota: “É melhor ouvir a repreensão de um sábio do que escutar elogios de um tolo” (Ec 7:5, NTLH). “Ninguém elogie a si mesmo; se houver elogios, que venham dos outros” (Pv 27:2, NTLH). “Corrija uma pessoa, e no futuro ela apreciará isso mais do que se você a tivesse elogiado” (Pv 28:23, NTLH). “Assim como mel demais não faz bem, também não é bom andar procurando elogios” (Pv 25:27, NTLH).”Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar” (Tg 1:19). “Quem tem compreensão recebe elogios, mas quem tem coração perverso é desprezado” (Pv 12:8, NTLH). Hendrickson Rogers.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: