Melquisedeque – uma evidência da divindade de Jesus

Paulo faz uma
comparação entre Jesus e Melquisedeque, mencionando não tão sutilmente a eterna
preexistência de Jesus e, portanto, Sua divindade: “sem pai, sem mãe, sem genealogia; que não teve princípio de dias,
nem fim de existência, entretanto, feito semelhante ao Filho de Deus” (Hb
7:3). Ele usa a misteriosa ausência
de informação sobre a origem e o fim daquele “rei-sacerdote” (Gn
14:18 e Hb 7:1) apontando-o como tipo ou sombra ou ilustração do Cristo. Mas,
Melquisedeque e Jesus são pessoas distintas, pois, Abrão deu o dízimo àquele
rei-sacerdote, mas não se prostrou perante ele; já quando JAVÉ (Jesus) foi
visitá-lo com dois de Seus anjos, Abraão se prostrou (Gn 18:2)!
Tenho razões bíblicas
suficientes para crer que:
a) Jesus era o JAVÉ que
foi visitar Abraão;
b) Jesus era (e ainda é)
o Anjo de JAVÉ ou de Deus mencionado ricamente no Antigo Testamento.

Prova:
“Disse mais JAVÉ:
Com efeito, o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicado, e o seu pecado se
tem agravado muito. Descerei e verei se, de fato, o que têm praticado
corresponde a esse clamor que é vindo até mim; e, se assim não é,
sabê-lo-ei” (Gn 18:20,21). Não é errado afirmar que a Trindade está sendo
mencionada pelo Nome JAVÉ (YHWH) no
verso 20, pois, onde está Uma Pessoa divina, Ela representa os Três, confira:
“porquanto, nele [Cristo], habita, corporalmente,
toda a plenitude da Divindade [no
grego theotes – expressa imagem ou
transcrição]” (Cl 2:9).
“Então, disse JAVÉ
Deus: Eis que o homem se tornou como um
de nós
, conhecedor do bem e do mal” (Gn 3:22).
“Então, disse JAVÉ: O meu Espírito não agirá para sempre no
homem, pois este é carnal” (Gn 6:3).
“Depois disto, ouvi a
voz de JAVÉ, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu [o profeta Isaías]: eis-me aqui, envia-me a mim.
Então, disse ele: Vai e dize a este povo: Ouvi, ouvi e não entendais; vede,
vede, mas não percebais” (Is 6:8,9). “Bem falou o Espírito Santo a vossos pais, por intermédio do profeta Isaías,
quando disse: Vai a este povo e dize-lhe: De ouvido, ouvireis e não
entendereis; vendo, vereis e não percebereis” (At 28:25,26). Ou seja, para
Paulo, o JAVÉ de Isaías 6 é o Espírito Santo! Já para João, Ele é Jesus (Jo
12:41)!! A Pessoa divina específica nem sempre é o mais importante para o
profeta, pois “Deus é Um só” (Tg 2:19)!   
Porém, a Trindade
estava representada fisicamente, na forma humana, por uma única pessoa (Gn
18:1,2), ao visitar o pai da nação de Israel. Biblicamente, só Jesus, dos Três,
apareceu em forma humana, tanto no AT como no Novo Testamento:
            I)         como
“príncipe do exército de JAVÉ” para Josué (Js 5:13-15);
            II)        como “Anjo
de JAVÉ” para Manoá e sua esposa (Jz 13:15,18,22);
            III)      como
Miguel, “o grande príncipe”, “um dos primeiros príncipes”, para Daniel (Jz
10:13);
            IV)      como o “Cristo”,
o “Filho de Deus”, o “Deus conosco”, o “Jesus” como ficou mais conhecido!
Vou demonstrar que as
Escrituras se referem a todos os quatro personagens acima citados como uma e a
mesma Pessoa divina – uma das Três Pessoas chamadas pelo mesmo Nome JAVÉ,
concluindo assim, a prova das afirmações (a) e (b).
“Sou príncipe do
exército de JAVÉ e acabo de chegar. Então, Josué se prostrou com o rosto em terra, e o adorou, e disse-lhe: Que diz
meu senhor ao seu servo? Respondeu o príncipe do exército de JAVÉ a Josué: Descalça as sandálias dos pés, porque o lugar
em que estás é santo
” (Js 5:14,15). Caso Este “príncipe” fosse (apenas) um
anjo de Deus não permitiria que um ser humano se prostrasse perante ele: “Prostrei-me ante os seus pés [do anjo]
para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos
teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus” (Ap 19:10). Por outro lado, quando Abraão se prostrou
perante JAVÉ em forma humana, como lemos, ele não foi repreendido! De fato,
Êxodo 3 deixa claro que o “príncipe” que apareceu a Josué era o Anjo de JAVÉ,
ou seja, o próprio JAVÉ,  ou seja, o
próprio Deus:  “Apareceu-lhe o Anjo de JAVÉ numa chama de fogo, no
meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não
se consumia. Então, disse consigo mesmo: Irei para lá e verei essa grande
maravilha; por que a sarça não se queima? Vendo JAVÉ que ele se voltava para ver, Deus, do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele
respondeu: Eis-me aqui! Deus
continuou: Não te chegues para cá; tira
as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é terra santa
. Disse
mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus
de Abraão
, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Moisés escondeu o rosto,
porque temeu olhar para Deus” (Êx 3:2-6). A Bíblia afirma que o “Anjo de JAVÉ”
ou o “Anjo de Deus” (ou Anjo JAVÉ) é Deus em diversos lugares: “Naquele dia, JAVÉ
protegerá os habitantes de Jerusalém; e o mais fraco dentre eles, naquele dia,
será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o Anjo de JAVÉ diante
deles” (Zc 12:8). Manoá ao vê-Lo afirmou ter visto Deus (Jz 13:13,22) e o Anjo
disse que Seu Nome era “maravilhoso”, um dos nomes do “menino” Deus que viria
no futuro, segundo o profeta Isaías (9:6, rodapé da NVI e King James Version)!
Que o Arcanjo Miguel é
Jesus podemos também ver facilmente: em Judas 9 o “grande príncipe” Miguel é
descrito como um arcanjo (chefe dos anjos). Unindo este texto com: “Porque o
mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com
voz de arcanjo
, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro” (I Ts 4:16, Almeida
Revista e Corrigida) e “em verdade vos digo que vem a hora e já chegou, em que
os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus;
e os que a ouvirem viverão” (Jo 5:25),
fica fácil vermos Jesus como Arcanjo Miguel! E o próprio Jesus, o “Emanuel”,
afirmou várias vezes ser o Todo-poderoso “Eu Sou” que conversou com Moisés na
sarça ardente (cf. Jo 6:35, 8:12,58, 10:7, 11:25, 13:19, 14:6 e 15:1). Sim, ao
afirmar ser o Filho de Deus, Jesus Se colocava em pé de igualdade com o Pai,
pois fazia as mesmas obras do Pai (cf. Jo 5:18 e 19)! E embora fosse “Filho” no
sentido humano de Sua aparição, Jesus não tinha “pai” no sentido de Sua eterna divindade, como Paulo afirmou em
Hebreus 7:3!
Conclusões:
 ü  Jesus
apareceu a Abraão em Gn 18:1-3, pois Ele é o “EU SOU” (Jo 13:19), o JAVÉ “Deus
de Abraão” (Êx 3:6).  
 ü  Jesus
é o único que satisfaz as condições para ser o Anjo de JAVÉ ou Anjo de Deus (Gn
21:17), bem como o Arcanjo Miguel.
 ü  Nem
o JAVÉ Pai, nem o JAVÉ Espírito Santo foram vistos com aparência humana na
Bíblia, só o JAVÉ Jesus. Contudo, isto não quer dizer que, quando JAVÉ aparece
no Antigo Testamento só uma Pessoa divina aparece! JAVÉ é Deus (Dt 6:4) e “Deus
é um só” (Tg 2:19); Eles Três não concordam com a palavra Deuses, só com a palavra “deuses” (Êx 20:3), a qual, obviamente, nunca
se refere a Eles!
 ü  Melquisedeque,
um rei-sacerdote misterioso, anterior a Israel e ao sacerdócio levítico,
contribuiu e muito para evidenciar a preexistência e divindade de Jesus Cristo! (Hendrickson Rogers)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: