Pesquisa revela que os mais devotos questionam mais Deus!

Questionar Deus e a religião são coisas comuns no mundo moderno. Mas agora, surpreendentemente, uma pesquisa revela que os que mais questionam são também os mais devotos.
No geral, as pessoas que são muito religiosas têm mais tendência a dizer que não é certo estar bravo com Deus. Mas aqueles que descrevem sua relação com Deus como próxima e resistente à adversidades (um devoto, no sentido estrito), são os que aceitam melhor reclamações e questionamentos direcionados a Deus.
“Ter esse tipo de atitude mostrou-se associado com uma relação segura, próxima e boa”, comenta a pesquisadora Julie Exline. A descoberta é interessante porque muitas pessoas se sentem mal ao questionar Deus. […]
“Eu penso que é importante para as pessoas enxergarem que uma boa relação com Deus tem espaço para isso, como um casamento, onde há lugar para questionamentos e desavenças”, comenta Exline. […]
Em um estudo anterior, Exline descobriu que a raiva contra Deus não é incomum – cerca de 87% dos estudantes de um colégio disseram sentir raiva contra Deus após problemas pessoais. O próximo passo era explorar se sentir raiva era aceitável.
Usando duas amostragens – uma de 358 universitários e outra de 471 adultos, Exline perguntou se era moralmente aceitável questionar, reclamar, ficar com raiva, ou até virar as costas para Deus, tornando-se um ateu. Cerca de 39% dos participantes eram protestantes, 30% era católicos e 5% eram judeus. O restante era formado por hindus, muçulmanos, budistas, espiritualizados sem religião e outros credos.
Todos acreditavam em Deus de alguma maneira. Exline acabou descobrindo que aqueles que possuíam uma relação mais próxima e resiliente eram fortemente contra a ideia de virar as costas para Deus. Mas esse tipo de relacionamento também gerava uma aceitação maior para as reclamações e eventos negativos com relação a Deus. […]

Nota: “Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim, e eu os ouvirei. Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração” (Jr 29:12,13).

Deixe uma resposta