Dias difíceis para os evolucionistas – mais duas “evidências” NÃO evoluem…

Evolução? Não! Invenção mesmo!!
Fósseis que não eram fósseis e ossos de patas que não eram patas…
A vida não está nada fácil para os evolucionistas, afinal, duas evidências apresentadas ad nauseam na imprensa, em artigos científicos e livros didáticos simplesmente caíram por terra com novas e mais acuradas pesquisas científicas.
O primeiro caso trata-se dos chamados “fósseis mais antigos do mundo” – os microfósseis de supostos 3,4 bilhões de anos de Apex Chert. De acordo com os pesquisadores, pilhas de minerais acabaram manchadas durante a circulação de fluidos, dando a impressão de haver fósseis dentro das rochas – mas não havia nada. Os novos dados foram publicados na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.
O segundo caso é o da “pata” das baleias. Quem já não ouviu o mito evolucionista segundo o qual a vida terrestre teria surgido a partir de vertebrados que deixaram o ambiente aquático para viver em terra firme? Segundo os evolucionistas, alguns desses animais teriam voltado a viver na água, centenas de milhões de anos depois de terem saído de lá. Os ancestrais das baleias seriam um exemplo desses migrantes. E a grande “prova” apresentada pelos defensores dessa hipótese são alguns ossos encontrados no corpo das baleias e que parecem ser o que teria sobrado de patas primitivas de algum ancestral delas. Dizia-se que esses ossos não tinham função alguma, e por isso eram tratados como “órgãos vestigiais” capazes de “comprovar” o suposto passado terrestre dos ancestrais da baleia.
Pois bem, essa foi outra “prova” detonada pelos fatos e pela pesquisa séria. Novos estudos indicam que esses ossos pélvicos não têm nada a ver com patas primitivas. E definitivamente não se trata de “órgãos vestigiais”. Eles têm uma função importante: apoiar os músculos que controlam o pênis da baleia. Resumindo: aqueles ossos têm funções reprodutoras e não locomotoras. A pesquisa foi publicada por J. P. Dines, com o título “Sexual selection targets cetacean pelvic bones” (Evolution, 3/11/2014).
Imagine o trabalhão (e o gasto) que os editores de livros didáticos que apoiaram por anos essas historinhas terão para reescrever tudo…
Nada como um dia depois do outro e uma pesquisa depois da outra.
Fonte: Criacionismo.

Cronobiologia comprova o ciclo ciraceptano – ciclo de descanso do corpo humano a cada 7 dias!

Já é conhecido que o corpo humano mantém seu próprio relógio biológico. Ele possui um “ritmo circadiano” interno de 24 horas que impulsiona o aumento e a diminuição de muitas moléculas. Esse relógio também afeta a forma como reagimos à medicina. Por exemplo, a cisplatina, medicamento contra o câncer, é mais eficaz e menos tóxica se for administrada à noite. Adriamicina, por outro lado, é potencializada se for administrada de manhã. Ademais, também é verdade que o ser humano precisa descansar. Diante disso, cientistas cronobiólogos comprovaram o chamado “ritmo do sétimo dia”, ou “ciclo circaceptano”. Esse ciclo é um descanso que se repete a cada sete dias, sendo considerado um ritmo inteligente devido ao descanso ser uma necessidade biológica. Esse assunto é abordado pela Cronobiologia, uma novidade dentro da Biologia, em que os especialistas se aventuram em percorrer os caminhos dos ritmos biológicos, seus movimentos oscilatórios, sua ligação com o ambiente externo, como essas informações são recebidas e transmitidas através de um mundo pulsante para uma melhor abordagem da verdadeira natureza humana. A cronobiologia tem documentado o quanto os seres humanos são altamente rítmicos. A maioria dos muitos tique-taques de relógios é difícil de detectar; eles operam logo abaixo da consciência humana. Inatos e escondidos na estrutura celular, os mistérios do tempo biológico têm esperado que o poder de resolução dos computadores modernos os revele.
Jeremy Campbell diz em seu livro: “O ritmo circaceptano é uma das grandes surpresas que surgiram pela Cronobiologia moderna. Há [alguns anos], poucos cientistas teriam esperado que ciclos biológicos de sete dias viessem a ser tão difundidos e estabelecidos […]. Eles são de origem muito antiga, aparecendo em primitivos organismos unicelulares, e são pensados para estar presentes mesmo em bactérias, a forma mais simples de vida agora existente” (p.75).[1]
Uma das descobertas surpreendentes de Franz Halberg é a de um ritmo inato de cerca de sete dias que ocorre em uma alga primitiva de supostos cinco milhões de anos na linha evolutiva de tempo.[2] Devido a suas células microscópicas se assemelharem a uma taça de champanhe graciosa, a alga (planta) é popularmente conhecida como “copo de vinho da sereia” (Acetabularia mediterranea). Quando essa alga “primitiva” está sujeita a horários artificiais alternados de luz e pequenos momentos escuros ao longo de muitos dias, essa única célula intacta é de alguma forma capaz de traduzir toda a influência da luz e do escuro em medidas de uma semana de sete dias.
A existência de tais ritmos circaceptanos endógenos precisos (incluindo a precisa excreção de sete dias de 17-cetosteróides [metabólitos urinários] em homens saudáveis) sugere que todos os ritmos circaceptanos são realmente endógenos − descritos como um “built-in” (geneticamente determinado) sobre o período exato de sete dias.[3] Parece, no entanto, que esses ritmos endogenamente derivados são capazes, ao mesmo tempo, de responder às influências externas (reflexos circadianos do dia e da noite ou indução das marés lunares). [2-5]
À primeira vista, pode parecer que os ritmos semanais (como a semana de sete dias) foram impostos e herdados por uma cultura humana de milhares de anos atrás.[6] No entanto, essa teoria não se sustenta quando se percebe que o ciclo circaceptano ocorre em outros seres vivos, além de humanos. Portanto, a Biologia, não a cultura, é, provavelmente, a fonte do ciclo semanal de sete dias.[7] Aliás, a França (1793-1805) mudou a semana de sete dias para uma semana de dez dias, e a União Soviética (1929-1940) a mudou para uma semana de cinco dias, ambos os países acreditando que os sete dias fossem mera influência religiosa. A experiência da mudança terminou em fracasso completo em ambos os países, e a semana voltou ao seu modelo original.[8]
Para Campbell, esse ritmo inato tem a ver com a lógica interna do corpo, não com a lógica externa do mundo.[1] Mas não para por aí: experimentos envolvendo ratos, moscas, plantas, artrópodes, abelhas, besouros e outras formas de vida revelaram ritmos circaceptanos semelhantes ao do “copo de vinho da sereia”.[2, 4, 5, 9] Segundo Campbell, “a estrutura temporal interna, em algumas de suas manifestações, parece determinar a estrutura do tempo exterior, em lugar do contrário. Ritmos de cerca de sete dias surgiram em milhões de criaturas vivas anos antes de a semana do calendário ser inventada, e pode ser a razão pela qual ela foi inventada” (p. 83).[1]
Além disso, um ciclo de sete dias foi encontrado em flutuações da pressão sanguínea, no conteúdo ácido no sangue, em hemácias, no batimento cardíaco, na temperatura oral, na temperatura da mama feminina, na química e no volume da urina, na taxa entre dois importantes neurotransmissores – noradrenalina e adrenalina –, e no aumento e diminuição de várias substâncias químicas do corpo, como o hormônio de enfrentamento do estresse, o cortisol.[3, 7, 10] Para Perry e Dawson, “os ritmos semanais parecem mais fácil de ser detectados quando o corpo está sob estresse, como quando ele está se defendendo contra um vírus, bactéria ou outro intruso prejudicial. Por exemplo, os sintomas do resfriado (que são realmente sinais de que o corpo está se defendendo contra um vírus) passam em cerca de uma semana” (p. 22).[6]
Outra curiosidade diz respeito à associação entre o descanso no sétimo dia da semana e a longevidade humana. Pesquisas afirmam que indivíduos que descansam no sétimo dia da semana possuem uma expectativa de vida maior que outros que não o fazem.[11, 12, 13] Os números apontam para um acréscimo de vida de 4 a 10 anos a mais, devido ao descanso nesse dia representar uma forma cultural de gestão do estresse e diminuição da pressão sobre o organismo humano.
Atualmente, muitos hospitais estão evitando cirurgias eletivas no sétimo dia da semana, isso porque o transplante de órgãos, por exemplo, também é afetado devido ao repouso do sistema imunológico nesse dia.[3] Campbell explica: “Quando um paciente humano recebe um transplante de rim, há um ritmo de cerca de sete dias, um aumento previsível e queda na probabilidade de que o sistema imunológico do corpo rejeitará o novo rim. Um pico principal de rejeição ocorre sete dias após a operação, e quando um soro é dado para suprimir a reação imune, uma série de picos ocorre, com o aumento do risco de rejeição, em uma semana, duas semanas, três semanas e quatro semanas” (p. 76).[1]
Quanto mais fundo se investiga o funcionamento interno da vida, uma ainda mais complexa, intrincada e maravilhosa exibição de projeto começa a aparecer. O Designer não apenas deixou Suas impressões digitais em tudo o que projetou, como também deixou Seu “cartão de visitas” contido nas células vivas, dizendo aos seres humanos o momento em que Ele projetou a vida: em uma semana de sete dias. Foi quando Ele encerrou o relógio da vida e o definiu, assinalando em cada uma de suas formas um ritmo de sete dias. É o ritmo do projeto ideal; uma sincronia para viver e funcionar como planejado.
(Everton F. Alves é mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Maringá)
Referências:
1. Campbell J. Winston Churchill’s Afternoon, Nap. New York: Simon and Schuster, 1986.
2. Halberg F. Quo Vadis Basic and clinical Chronobiology: promise for health maintenance. Am J Anat. 1983; 168(4):543-594.
3. Levi FHalberg F. Circaseptan (about-7-day) bioperiodicity – spontaneous and reactive -and the search for pacemakers. Ric Clin Lab. 1982 Apr-Jun;12(2):323-70. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7111982
4. Meyer-Rochow VBBrown PJ. Possible natural circaseptan rhythm in the beach beetle Chaerodes trachyscelides white. Acta Neurobiol Exp (Wars). 1998; 58(4):287-90. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9949556
5. Mikulecky MBounias M. Worker honeybee hemolymph lipid composition and synodic lunar cycle periodicities. Braz J Med Biol Res. 1997; 30(2):275-9. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9239316
6. Perry S, Dawson J. The Secrets Our Body Clocks Reveal. New York: Rawson Associates, 1988.
7. Haus E .Chronobiology in the endocrine system. Adv Drug Deliv Rev. 2007; 59(9-10):985-1014.http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17804113
8. Zerubavel E. The Seven Day Circle. Chicago: Univ. of Chicago Press, 1985.
9. Schweiger HGBerger SKretschmer HMörler HHalberg ESothern RBHalberg F. Evidence for a circaseptan and a circasemiseptan growth response to light/dark cycle shifts in nucleated and enucleated Acetabularia cells, respectively. Proc Natl Acad Sci U S A. 1986; 83(22):8619-23. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/3464973
10. Lee MSLee JSLee JYCornélissen GOtsuka KHalberg F. About 7-day (circaseptan) and circadian changes in cold pressor test (CPT). Biomed Pharmacother. 2003; 57(Suppl 1):39s-44s.
11. Buettner D. The secrets of long life. (Cover story). Nat Geogr 2005; 208:2-27.
12. Buettner D. The Blue Zones: Lessons for Living Longer from the People Who’ve Lived the Longest. Washington, D.C.: National Geographic Society, 2009.
13. Lee JW, Morton kr Walters J, Bellinger DL, Butler TL, Wilson C, Walsh E, Ellison CG, McKenzie MM, Fraser GE. Cohort Profile: The biopsychosocial religion and health study (BRHS). Int J Epidemiol. 2009; 38(6): 1470–1478.
Fonte: Criacionismo.

Rosane Collor confirmou: Fernando Collor e magia negra sempre andaram juntos!

Em uma entrevista reveladora, Rosane Collor contou a Reinaldo Gottino, apresentador do “Balanço Geral”, da Record, detalhes sobre a vida ao lado do presidente Fernando Collor de Mello.
Na matéria, exibida nesta quinta-feira [23/4/2015], ela garante que, depois de 22 anos com Collor, saiu do casamento sem nada, passou por várias humilhações e enfrentou um aborto após se submeter a um tratamento de fertilização assistida com Roger Abdelmassih. 
Além disso, ela revela rituais de magia negra que fizeram parte da vida do casal, inclusive contra Silvio Santos. Leia trechos do bate papo abaixo: 

Rituais de magia negra
“Logo depois que me casei, ele (Fernando Collor de Mello) resolveu me levar para um pai de santo. Quando casei com ele, ele disse que era proteção. Ele dizia: ‘não se preocupe, não é nada para prejudicar’. Com o tempo, pelo menos uma vez por mês, ele fazia uns trabalhos. Até a época do governo de Alagoas, era muito pouco. Aí, depois, ele começou a acreditar em uma mãe de santo e começou a fazer trabalhos. Eu não gostava, me sentia mal. No começo, era matança de galinhas, coisas pequenas. Depois, começamos a ir a Arapiraca, e os trabalhos eram com animais pesados”.
“Até a chegada à presidência, deu tudo certo (com os rituais). Inclusive, saiu a foto da mãe de santo subindo a rampa do Planalto ao lado do Fernando (na posse). Depois, ele começou a deixar a mãe de santo de lado porque estava pedindo coisas que não estavam acontecendo”.

Magia contra Silvio Santos
“A gente foi a Belo Horizonte, falar com o Marcos Coimbra, da Vox Populi, e ele disse que só tinha uma pessoa que iria atrapalhar a chegada de Fernando à presidência: o Silvio Santos. Foi pedido um trabalho para Silvio Santos não ser candidato à presidência da República. No caso da mãe Cecília, ela fazia trabalho para todos. O objetivo era Fernando chegar à presidência da República”. (Em novembro de 1989, com a campanha eleitoral para a Presidência do Brasil já em andamento, Silvio tentou ser candidato pelo pequeno Partido Municipalista Brasileiro, mas, a alguns dias da eleição, o registro de candidatura foi impugnado pelo Tribunal Superior Eleitoral, por irregularidades). 

Tratamento com Abdelmassih
“Fiz um tratamento e consegui engravidar com o doutor Roger Abdelmassih. Estava grávida de três meses e fiquei com medo de viajar, mas o Fernando insistiu. Fui para Maceió, foi só um dia de trabalho. No pouso de volta a Brasília, teve uma pane, comecei a sangrar. Liguei para o doutor Roger esperando para vir a São Paulo. Depois de 15 dias, naturalmente, eu abortei”
“Frequentava a casa do doutor Roger e ele frequentava a casa de vários amigos meus. Quantas mulheres como eu sonhavam em ser mãe e ele fazia isso”

Humilhações
“A descida da rampa (após o Impeachment) foi difícil, o pior momento. Mas acho que o amei mais quando ele não tinha nada do que quando ele tinha tudo”.
Fonte: O Dia.

Da dependência das drogas à dependência de Deus! (#HistóriasPraMudarSuaHistória)

Salomão teve uma adolescência escravizada… Ele deixou seus “amigos” influenciarem suas decisões e começou a fumar e a usar drogas. Ele experimentou todas as drogas que ele conseguiu obter e muitas vezes ficou fraco porque não se alimentava! Alimentar o vício era sua única preocupação.
Salomão e seus companheiros estavam sempre juntos fumando e consumindo drogas. Eles acabaram formando uma quadrilha e, muitas vezes, ele brigou com outros adolescentes! Certo dia, sob o efeito das drogas, ele pegou um facão e partiu para atacar seu próprio pai. Mas uma voz gritou para ele: “Pare!” Imediatamente ele deixou cair o facão como se estivesse pegando fogo!
“Ajude-me, por favor!”, Ele gritou. Sua família o levou para um hospital psiquiátrico para tratá-lo. Mas o hospital o manteve por apenas alguns dias.
A avó de Salomão orava por ele dia após dia e encorajou-o a ir à igreja com ela e deixar Deus curá-lo. Salomão até foi e chegou a sentir o amor de Deus chamando-o. Mas, mesmo assim, ele continuou sua escravidão por mais 10 anos…
Até que sua avó e seu pai morreram. As duas pessoas que mais tentaram ajudá-lo se foram! Então, finalmente Salomão não conseguia mais fugir de Deus. Ele desistiu de sua teimosia e entregou sua vida a Deus. Quantos anos se passaram até que ele desse ouvidos à voz de Deus!
Salomão não sabia para qual igreja ir. Ele visitou várias até se sentir bem numa igreja bíblica. Lá, ele assistiu ao pastor batizando alguém, e instantaneamente ele sabia o que deveria fazer. Ele foi até o ministro e pediu para ser batizado. O pastor revisou algumas doutrinas bíblicas com ele e só então Salomão nasceu novamente através das águas batismais!
O arrependimento de Salomão era real! Ele servia a sua comunidade cristã e a Deus com alegria e fidelidade! Vários membros de sua família têm entregado seus corações a Jesus Cristo por causa do testemunho dele!
Recentemente ele realizou sua própria série evangelística e levou sete pessoas para Jesus!
Salomão compartilha sua fé no ônibus, com estranhos na rua e por onde ele passa. “Durante anos eu fui escravo do vício; hoje sou comprometido com Deus para ensinar a Bíblia para as pessoas”, diz ele. Como ele está ansioso para empregar bem o tempo que lhe resta, totalmente para Deus!

Fonte: Sabath School Net.Tradução e alterações a partir do original por Hendrickson Rogers.

#Convite: participe do Grupo “Blog do prof. H” no WhatsApp!

Oi, como vai? Espero que você esteja bem!

Quero convidar você a participar de nosso grupo no WhatsApp chamado  “Blog do Prof. H”.

Para aceitar o convite basta enviar uma mensagem do tipo “quero participar do grupo” para (82) 9690-6390 e você será adicionado! Outra opção é clicar AQUI e ser direcionado a uma página que solicitará seu número. Daí eu faço o resto!

Objetivos do grupo:  

1°) Nossa preparação para a volta de Jesus. 

2°) Ajudar outros a raciocinarem: se Deus criou a vida, o universo e a Bíblia, então Ele é capaz de cuidar de mim também! 

3°) Progresso acadêmico. 

4°) Progresso na Matemática. 

5°) Produção e disseminação de materiais que facilitem o alcance dos outros quatro objetivos!

É isso! Só pra lhe motivar, já são mais de 30.000 pessoas participando no Twitter do Prof. H (twitter.com/professor_h, confere lá!!). Acredito que você poderá se beneficiar e beneficiar outros usando este grupo.

Abraço!

(Hendrickson Rogers) 

 

Filho pequeno que salva pai! (2ª parte) (#HistóriasPraMudarSuaHistória)

Vitaliano odiava ter uma casa ao lado que também era igreja! Ele decidiu que, todas as vezes que a reunião fosse acontecer, ele iria aumentar ao máximo o volume de seu aparelho de som com o estilo rock. “Isso vai ensiná-los”, pensou. “Se eu perturbar suas reuniões, eles vão procurar outro lugar e eu não vou ter que lidar com eles perto de minha casa!” Ele tocou a música barulhenta por vários meses, mas o grupo continuava com as reuniões. Ninguém reclamou. Na verdade, os poucos membros da igreja que conheciam Vitaliano foram ainda mais amáveis para com ele!
As antigas idas de Alexey ao Clube da Bíblia despertaram no coração de Migdalia o desejo de conhecer a Deus. Ela começou a ler a Bíblia e aceitou os estudos bíblicos de Rosabel! Às vezes, Migdalia lia a Bíblia tanto que colocava os afazeres domésticos em segundo plano… 
Quando Vitaliano voltava para casa e a encontrava do mesmo jeito, ele perguntava a sua mãe o que estava acontecendo. A resposta o surpreendeu. “Sua esposa passa o dia todo lendo a Bíblia e não tem tempo para limpar a casa.”

Outro dia a mãe de Vitaliano lhe disse: “Eu acho que Migdalia está indo para a casa igreja no sábado pela manhã.”
Vitaliano suspeitava que sua esposa estivesse frequentando a igreja. “Você vai se tornar uma cristã?”, perguntou ele. “Eu não quero que você vá mais à igreja!”
Noutra ocasião, Vitaliano encontrou Migdalia estudando a Bíblia. Ele tomou a Bíblia das mãos dela e ameaçou jogá-la no fogo! Mas quando ele abriu a porta do fogão jogar a Bíblia nas chamas, o medo tomou conta dele. “Será que Deus vai me castigar por queimar a Bíblia?”, ele se perguntou. Então, ele fechou o forno e jogou a Bíblia no quarto.
Poucos dias depois, ele viu a Bíblia numa prateleira. Ao abri-la, seus olhos se depararam com Malaquias 3:17: “Eles serão para mim particular tesouro, naquele dia que prepararei, diz o SENHOR dos Exércitos; poupá-los-ei como um homem poupa a seu filho que o serve.” Vitaliano fechou a Bíblia. Ele teve a impressão de que Deus estava lhe dizendo que sua esposa e filho pertenciam a Ele! Vitaliano passou a temer proibi-los de ir à igreja.
Poucos dias depois, um membro da casa igreja foi visitar Vitaliano. Os dois tinham sido amigos por muitos anos, mesmo sabendo que Vitaliano odiava a Deus. “Meu amigo”, disse o cristão, “estamos com um programa hoje à noite e eu gostaria muito que você viesse.” Vitaliano estava colocando alto-falantes maiores em seu aparelho de som, para que ele pudesse perturbar os encontros religiosos completamente! “Olha, eu ainda não tirei o uniforme de trabalho e não tomei meu banho…” Mas seu amigo insistiu e se ofereceu para esperá-lo! Daí, ainda que relutantemente, Vitaliano concordou!
O culto continha uma grande quantidade de músicas e Vitaliano gostou! Quando seu amigo o convidou novamente, ele foi! E pouco a pouco, o coração de Vitaliano amoleceu!
Algumas semanas mais tarde, seu amigo o convidou para estudar a Bíblia. Vitaliano concordou. Ele começou a frequentar os cultos naquela mesma casa igreja que por tantas vezes tentara perturbar e fechar!
Logo a mãe de Vitaliano começou a frequentar a igreja também! Em seguida toda sua família estava a frequentar a igreja e estudar a Bíblia juntos! Poucos meses depois, Vitaliano, Migdalia e a mãe de Vitaliano foram batizados!
Em seu batismo, Vitaliano testemunhou: “Foi meu filho, com seu exemplo infantil, que trouxe minha família aos pés de Jesus.”

(Vitaliano Marrero e sua esposa Migdalia são trabalhadores leigos ativos em sua igreja cristã em Holguín, Cuba.)

Fonte: Sabath School Net.
Tradução e alterações a partir do original por Hendrickson Rogers.


Filho pequeno que salva pai! (#HistóriasPraMudarSuaHistória)

Vitaliano é um oficial no exército cubano que tem um emprego estável, trazendo consigo uma certa quantidade de respeito. Ele e sua esposa, Migdalia, têm dois filhos pequenos e vivem em uma casa modesta. As coisas estavam indo bem, e ele não tinha nenhum interesse em Deus ou religião.
Um dia Vitaliano voltou do trabalho mais cedo e cumprimentou a esposa. Mas seu filho de 5 anos de idade, Alexey, não veio correndo para cumprimentá-lo. 
“Onde está Alexey?”, perguntou ele.
“Ele está com Rosabel”, respondeu Migdalia.
Rosabel é uma adolescente que mora ao lado da casa da família. Ela é uma boa garota que ama crianças. Ela construiu um “Clube da Bíblia infantil” o qual ocorria a cada semana! Quando ela convidou Alexey para participar, Migdalia concordou em deixá-lo ir, mas ela advertiu a Alexey para não contar a seu pai, pois certamente ele ficaria com raiva.
Alexey participava do Clube Bíblia sempre que seu pai não estava em casa. Ele amava as músicas e vídeos da Bíblia que lhe ensinaram muito sobre Jesus!
“O que meu filho está fazendo na casa de Rosabel?”, perguntou Vitaliano. Migdalia esperava que ele não perguntasse. Mas, agora, ela tinha que lhe dizer sobre o Clube da Bíblia das crianças.
O rosto de Vitaliano ficou vermelho de raiva. “Você sabe que eu não quero religião nesta casa!”, ele explodiu. “Por que você permitiu que ele fosse?”
“Rosabel o convidou”, disse Migdalia. “Por favor, deixe-o ficar. Ele está aprendendo coisas boas e esta é sua única chance de estar com outras crianças”.
Poucos minutos depois, Alexey chegou em casa. Mas quando viu o rosto de seu pai, sabia que estava em apuros.
“Alexey”, disse o pai irado, “eu não quero que você vá para aquela reunião da Bíblia novamente! Eu não quero Deus nesta casa!”
Alexey não queria desobedecer a seu pai, então passou várias semanas sem comparecer ao Clube da Bíblia. Mas quando ele ouvia as crianças cantando, desejava muito ir. Certa noite, ele perguntou a sua mãe se ele poderia voltar para o Clube da Bíblia. Ela concordou e ele felizmente correu para se juntar as outras crianças!
O garotinho voltou a participar do Clube da Bíblia regularmente depois disso. Até que, numa outra noite, seu pai chegou em casa novamente mais cedo e não encontrou Alexey. “Onde ele está?”, perguntou. Quando Migdalia não respondeu prontamente, ele indagou: “ele está naquela casa igreja ao lado?” Migdalia assentiu. “Vá pegá-lo, agora!”, ordenou seu marido.
“Por favor, Vitaliano”, ela implorou, “deixe ele ficar lá. É melhor nosso filho estar lá do que brincar na rua! Pelo menos deixe-o ficar até a reunião terminar!”
Poucos minutos depois, Alexey entra em casa. Mas quando ele vê o olhar de raiva de seu pai,  começa a chorar! “Por favor, não me bata, Papa!”, ele implorou! Mas Vitaliano não iria deixar seu filho desobedecê-lo sem consequência. E, enquanto batia no filho, ordenou: “você não vai voltar para aquela casa igreja de novo!”
(Continua aqui.)
Fonte: Sabath School Net.
Tradução e alterações a partir do original por Hendrickson Rogers.