Você pode ser extrovertido e introvertido ao mesmo tempo!

Até recentemente, as pessoas eram divididas em dois times: o dos extrovertidos e o dos introvertidos. Os termos foram cunhados por Carl Jung em 1921 com a publicação do livro Tipos Psicológicos. Segundo o psiquiatra, na extroversão, o indivíduo vai confiante em direção ao mundo externo, enquanto na introversão, o indivíduo busca o que há internamente.
Jung, inclusive, identificou um terceiro grupo, mas não chegou a nomeá-lo ou escrever muito sobre ele. Foi só na década de 40 que os psicólogos começaram a pensar nessa nova categoria, a dos “ambivertidos”.
Trata-se do grupo que não fica nos extremos, mas no meio do caminho. Por conta disso, os ambivertidos costumam ter personalidades mais equilibradas: eles vão de sociais a solitários, de falantes a ouvintes, sem problema algum. “É como se eles fossem bilíngues”, diz Daniel Pink, especialista no assunto. “Eles possuem uma grande variedade de habilidades e conseguem se conectar com vários tipos de pessoas do mesmo jeito que alguém que fala inglês e espanhol consegue se comunicar com um maior número de pessoas.”
Um estudo realizado em 2013 mostra que os ambivertidos podem usar essa flexibilidade social e emocional a seu favor. Os pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, reuniram 340 atendentes de telemarketing e pediram pra que eles fizessem um teste de personalidade. Após três meses, os responsáveis pelo estudo analisaram os resultados de vendas do grupo. Foi constatado que os participantes cujas personalidades ficavam entre a extroversão e introversão tiveram os melhores resultados no trabalho.
“Um ambivertido pode ir em duas direções, basta ele analisar a situação e ver qual comportamento será mais benéfico para ele naquele cenário”, diz Laurie Helgoe, do departamento de psicologia da Faculdade Davis & Elkins, nos Estados Unidos.
“Pense em introversão e extroversão como se fossem dois verbos. Dependendo da situação, você pode escolher a introversão (virar para dentro) ou a extroversão (virar em direção ao exterior)”, afirma a especialista Beth Buelow. Fica a dica.

Eles não nos representam: por que os políticos são tão diferentes de seus eleitores?

No ano passado, você e o restante da população brasileira foram às urnas eleger seus representantes na esperança de mudar o país para melhor. E o problema não é que “brasileiro não sabe votar”. No nosso sistema, o poder de transformação do voto é extremamente limitado. Entenda:

Na teoria, o sistema de Sólon pelo menos dava a qualquer um a oportunidade de governar — bastava enriquecer fabricando toneladas de azeite de oliva ou vendendo milhares de miniaturas das esculturas de Zeus por $1,99. Mas, na prática, o governo continuava formado por meia dúzia de homens brancos endinheirados, exatamente como era antes.

De lá para cá, quase tudo mudou: Galileu (o original) foi condenado por afirmar que a Terra não girava ao redor do Sol; Edison inventou a lâmpada elétrica; o direito ao voto tornou-se universal; e a seleção brasileira levou sete gols da Alemanha na última Copa. Mas pelo menos uma coisa continua quase igual: com algumas honrosas exceções, o governo ainda é basicamente formado por meia dúzia de homens brancos endinheirados.

No Brasil, que hoje é a quarta democracia do mundo em número de eleitores, só 20% dos deputados federais são negros — entre a população, eles são mais de 50%. No caso das mulheres, a situação é ainda pior: elas são 51% dos brasileiros, mas apenas 9,9% do parlamento. E os empresários, sozinhos, ocupam mais de 40% das cadeiras. Não por acaso, os depu­tados eleitos no ano passado foram imediatamente colocados contra a parede para realizar mudanças no sistema eleitoral. Eduardo Cunha (PMDB-RJ), promovido a presidente da Câmara em fevereiro, logo tratou de encaminhar votações para propostas de reforma política que alterariam o formato das eleições. “A reforma política é acompanhada de um clamor, como se fosse uma solução mágica. A verdade é que posso construir paredes na minha casa ou destruí-las e ainda assim será uma reforma”, diz Cláudio Gonçalves Couto, professor do departamento de gestão pública da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

E, de fato, os principais projetos que Cunha tentou aprovar estavam muito mais para contrarreforma política: o distritão, derrubado pelos deputados, favoreceria os candidatos mais ricos e faria pouca diferença na prática. E a institucionalização de doações de empresas aos partidos, que acabou sendo aprovada, só contribui para que a “casa do povo” continue como um puxadinho para construtoras, bancos e outras megacorporações.

“Não acho que há muitos políticos representando empresários, ao contrário, acho até que tem muito mais gente representando os trabalhadores”, disse o presidente da Câmara a GALILEU. Nas eleições do ano passado, Cunha recebeu R$ 6.832.480 de doações de empresas como os bancos Safra e Pactual, Bradesco Vida e Previdência e até a Coca-Cola. Logo tratou de recuperar os investimentos milionários, com medidas como a regulamentação da terceirização, que interessa a todas as grandes empresas.

Mas, se todos os brasileiros podem votar, por que conti­nuam elegendo pessoas que representam muito mais os interesses das empresas que os da própria população? Frank Underwood, protagonista da série House of Cards e provável ídolo do presidente da Câmara, disse uma vez que “a democracia é superestimada”. Não é. Mas o voto talvez seja. 
PACATO CIDADÃO A democracia grega que Sólon ajudou a criar funcionava como uma grande reunião de condomínio: da mesma forma como todos os moradores podem ir ao salão de festas do prédio opinar sobre a reforma do elevador ou o som alto do vizinho, todos os cidadãos gregos podiam ir à assembleia popular debater os rumos da pólis. Esse sistema só era viável porque, como apenas cerca de 10% dos moradores da cidade se encaixavam na condição de “cidadãos”, ficava fácil reunir todo mundo em um mesmo espaço físico.

Depois disso, levou ~pouco tempo, coisa de 2 mil anos no máximo, para que a humanidade concluísse que valia a pena incluir trabalhadores e mulheres no processo democrático. Só que aí já não dava mais para reunir todo mundo em um lugar só. A alternativa encontrada foi a democracia representativa, em que cada cidadão tinha o direito de votar em um representante que supostamente seria seu elo de ligação com o governo. O voto seria, portanto, a forma de garantir que todo mundo tivesse seus interesses representados. Mas, como agora já deve estar claro, essa garantia isolada na verdade não garante coisa nenhuma.

“O voto é um meio muito pouco expressivo de participação política. Ele tem limitações que são claras”, diz Luis Felipe Miguel, professor do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB). A história está de prova: quando operários europeus conseguiram o direito ao voto, no século 19, os aristocratas movidos a Moët & Chandon morriam de medo de que o resultado fosse uma redistribuição radical da riqueza. Com as mulheres, o processo foi parecido, com o receio de que a igualdade de voto fosse o primeiro passo rumo à igualdade de direitos. E não é preciso ser um Aristóteles para perceber que essas previsões passaram longe de se concretizar.

O problema é que, hoje, os eleitores têm menos liberdade do que parecem ter na hora de decidir quais números vão digitar na urna eletrônica. O voto de cabresto continua existindo — só ficou mais discreto. Ninguém vai até a cabine eleitoral para garantir que você votou, digamos, no coronel Calçada (personagem fictício, qualquer semelhança com nomes ou pessoas reais é mera coincidência) —, o que não significa que você não tenha sido influenciado de muitas outras formas. “A democracia eleitoral se baseia na presunção de que cada um tem um entendimento esclarecido de suas próprias preferências. Mas essa presunção, que até faz sentido na teoria, é pouco defensável na prática”, explica o professor da UnB. Basicamente, os ricos e poderosos têm mais condições de influenciar outras pessoas e fazer que seus pontos de vista prevaleçam. “A classe política profissional é, da perspectiva social, uma elite que tem recursos, e por isso ela é majoritariamente formada por brancos, homens, empresários. Todos os grupos privilegiados são super-representados pelo Congresso”, diz Cláudio Gonçalves Couto.

A festa da democracia funciona assim: todo mundo está convidado, mas o espaço vip com bebida que pisca fica reservado para os poucos reis do camarote que podem pagar por ele.
CROWDFUNDING ELEITORAL Já pensou que mágico se você tomasse 50 multas de trânsito e precisasse pagar apenas duas? Pois foi quase isso que aconteceu com os sortudos planos de saúde do Brasil. Em abril de 2014, o Congresso votou a Medida Provisória 627, criada para regulamentar os impostos sobre os lucros obtidos por multinacionais brasileiras no exterior. A medida provisória funciona mais ou menos como um projeto de lei criado pela própria presidente, e só vira lei de fato se for aprovada pelo Congresso. Mas tem uma pegadinha: deputados e senadores podem alterar o projeto da presidente antes de aprová-lo. Essas alterações são as famosas “emendas”, e a MP 627 recebeu nada menos que 513 (qui-nhen-tas-e-tre-ze) delas. Uma dessas emendas operou praticamente um milagre: transformou um inocente projeto sobre impostos em perdão de uma dívida de R$ 2 bilhões dos planos de saúde (porque, sempre que tomassem 50 multas pelo mesmo motivo, as empresas precisariam pagar apenas duas). O relator da MP era justamente Eduardo Cunha, que na época ainda não era presidente da Câmara. E um dos principais patrocinadores da campanha milionária de Cunha nas últimas eleições foi justamente o… Bradesco Saúde, um dos maiores planos do Brasil.

A campanha de todos os partidos nas eleições de 2014 custou mais de R$ 5 bilhões, o equivalente a cinco estádios do Maracanã, 170.946 carros populares ou um passaporte de férias eternas para você, sua família e todos os seus amigos do Facebook. Para conseguir essa grana, os candidatos fizeram uma espécie de financiamento coletivo. Eles bateram de porta em porta, disseram de quanto dinheiro precisavam e, claro, prometeram recompensas para quem concordasse em ajudar. E muita gente concordou: construtoras como Andrade Gutierrez, OAS, Queiroz Galvão e Odebrecht, empresas de bebidas como Ambev e Cervejaria Petrópolis e bancos como BTG Pactual e Bradesco despejaram mais de R$ 3 bilhões nas contas dos partidos. A JBS, dona da Friboi, lidera as doações, com mais de R$ 365 milhões investidos. O resto do dinheiro veio de contribuições de pessoas físicas e do Fundo Partidário, recurso público repassado mensalmente aos 32 partidos políticos registrados no país. Só no ano passado, R$ 365 milhões foram distribuídos às legendas, que recebem sua parte de maneira proporcional ao tamanho da bancada na Câmara dos Deputados.

Agora certamente já está claro que as doações feitas por empresas são, na verdade, investimentos. As construtoras esperam se dar bem com novas obras, as cervejarias querem diminuir os impostos sobre a bebida, e os bancos querem, veja só, dinheiro (que pode vir na variação da taxa de juros, por exemplo). É por isso que muita gente defende o fim do financiamento privado: quando candidatos dependem mais das empresas que das pessoas para ser eleitos, não é difícil saber quais interesses priorizarão quando estiverem instalados nas confortáveis cadeiras do Congresso.

Para piorar, as empresas não colocam dinheiro em qualquer candidato. “Algumas fazem estudos prévios para investir seu dinheiro em candidatos competitivos”, afirma Wagner Mancuso, professor de gestão de políticas públicas da Universidade de São Paulo (USP). “Candidatos homens têm maior prevalência que mulheres, e os empresários também recebem mais recursos.” Como em uma corrida de cavalos, a aposta é feita em quem tem mais chance de vencer e, assim, garantir o retorno do investimento. Às vezes, não necessariamente por métodos legais: as empreiteiras OAS e Andrade Gutierrez são investigadas na Operação Lava-Jato justamente por conta das doações que fizeram aos maiores partidos brasileiros. Com propriedade de causa, Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras envolvido no esquema de corrupção, deu sua opinião sobre o financiamento privado em vídeo gravado pela Procuradoria Geral da República: “Nenhuma empresa vai doar 2, 3, 4, 5 milhões de reais porque gosta de fulano de tal. Todas as doa­ções, sejam oficiais ou não, são empréstimos. A empresa está emprestando para o cara e depois vai cobrar dele”.

Em campanhas cada vez mais profissionalizadas, que investem pesado em recursos audiovisuais e obrigam o candidato a se deslocar para diferentes localidades, o dinheiro torna-se um diferencial na hora da eleição. Uma pesquisa realizada pelo Estadão Dados estimou que candidatos a deputado federal com verba de campanha superior a R$ 5 milhões têm nada me­nos que 100% de chance de se eleger. Já quem investe menos de R$ 500 mil tem apenas 3% de possibilidade de chegar à Câmara.

Nas últimas eleições, o deputado federal Sergio Zveiter (PSD-RJ) foi  o dono do voto “mais caro”: investiu R$ 5.720.551 para receber 57.587 votos, uma média de R$ 99,34 por voto. O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) não precisou de muito para ser eleito, gastando apenas R$ 145.560 para ganhar 388.087 votos. Seu desafeto, Jean Wyllys (PSOL-RJ), foi o segundo deputado federal mais efetivo, com gastos de R$ 67.892 e 144.770 votos. “O financiamento empresarial gera a maior distorção de representatividade, já que as campanhas poderiam gastar muito me­nos e isso não traria nenhum prejuízo para a circulação de ideias”, explica o deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), um dos que votaram contra o financiamento privado no final de maio.
33 MIL + BENEFÍCIOS Os 32 políticos filiados ao Partido Progressista (PP) que são investigados na Operação Lava-Jato não assustam Paulo Maluf, líder histórico da legenda. O deputado federal, que é ex-prefeito paulistano, ex-governador paulista e ex-candidato à presidência da República e atualmente figura na lista de procurados da Interpol por “apropriação indébita de fundos”, disse em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo que se orgulhava de pertencer há 48 anos ao “melhor partido do mundo”. Sucessor da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido oficial da ditadura militar, o PP ainda abriga políticos ligados ao regime, caso do deputado federal fluminense Simão Sessim e do próprio Maluf, além de congressistas como o militar da reserva Jair Bolsonaro.

É de imaginar, portanto, que uma reunião entre membros do partido com lideranças do Partido dos Trabalhadores não seria lá muito amigável. Mas que nada: em 2012, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Haddad, na época pré-candidato à prefeitura de São Paulo, visitaram a mansão de Maluf e selaram o acordo entre os dois partidos com um caloroso aperto de mãos. Em 2014, a dobradinha se repetiu e o PP apoiou a candidatura de Dilma Rousseff, que na juventude pegou em armas e foi torturada para combater a ditadura sustentada pela Arena. Um caso de esquecimento seletivo, esquizofrenia coletiva ou um bom jeitinho para se adaptar ao nosso sistema eleitoral?

As três respostas estão corretas, mas a maneira como as coligações se formam para disputar eleições ajuda a explicar por que partidos sacrificam seus programas de governo — aqueles que usaram para ganhar o seu voto — e se aliam a outras legendas com programas completamente diferentes. É que, se eles não fizerem isso, fica impossível conseguir o mínimo de apoio necessário para aprovar qualquer projeto. Quem se dá bem com essa bagunça são os partidos pequenos, que podem negociar seu apoio tanto com a situação quanto com a oposição. Aliás, a pulverização partidária na Câmara — 28 legendas elegeram pelo menos um deputado — não é tão difícil de ser explicada quando observamos as mordomias reservadas aos parlamentares: cada deputado federal recebe um salário de R$ 33.763 (maior que o da presidente), auxílio moradia de R$ 4.272,99 e uma verba de R$ 92.005 para contratar até 25 funcionários de sua confiança.

Para complicar um pouco mais, o sistema brasileiro privilegia o voto proporcional. Isso significa que seu voto conta ao mesmo tempo para o candidato e para a legenda. Se você votar no coronel Calçada e ele não for eleito, seu voto não é jogado fora: ele pode ajudar a eleger outros candidatos do mesmo partido ou da mesma coligação (quando vários partidos se juntam para disputar a eleição). Mas o sistema proporcional também tem falhas. Uma delas é a possibilidade de que os partidos pequenos invistam nos chamados “puxadores de votos”. São figuras como Tiririca (PR-SP), que recebem uma votação monstruosa e acabam elegendo outros candidatos da mesma coligação. Em 2010, quando concorreu pela primeira vez, o humorista recebeu mais de 1 milhão de votos. Teoricamente, seus eleitores estavam protestando contra “tudo o que está aí”. Mas o partido de Tiririca estava coligado com o PT, e os votos dados ao humorista na verdade ajudaram a eleger o petista José Genoíno, posteriormente condenado no processo do Mensalão.

Por mais bem-intencionado que um chefe de Estado seja, ou ele dialoga com os 28 partidos do Congresso ou se inspira em Game of Thrones para fazer um Casamento Vermelho, com direito a dragões cuspindo fogo e tudo. “Você não muda uma estrutura de poder com pessoas isoladamente: os partidos são imperfeitos, como é a sociedade, mas é necessário valorizar o componente programático do nosso voto”, diz o deputado Henrique Fontana.

DIA DA CAPIVARA Em fevereiro deste ano, o deputado catarinense Ronaldo Benedet (PMDB-SC) pediu o desarquivamento de um projeto de lei (PL) apresentado por ele e outros 126 colegas em setembro de 2013. Tratava-se de uma proposta de reforma política que, entre outras coisas, previa o fim do financiamento privado de campanha e uma espécie de recall para legisladores — os deputados poderiam ser afastados se os eleitores concluíssem que eles não estavam agindo de acordo com o que prometeram. O pedido de desarquivamento foi negado, e a explicação foi constrangedora: não havia como desarquivar um projeto que nunca tinha sido arquivado.
“Costumamos pedir o desarquivamento de nossos projetos quando iniciamos um novo mandato”, diz Benedet. “Talvez um assessor tenha incluído esse PL junto com os outros.” É comum que parlamentares não saibam exatamente em que pé estão seus projetos. Além de Benedet, outros sete deputados pediram o desarquivamento do PL 6.316 em fevereiro — e todos obviamente tiveram seus pedidos indeferidos pelo mesmo motivo. Mas foi Benedet o escolhido para ilustrar esta reportagem porque, de todos, ele foi o único que votou a favor do financiamento privado de campanha no final de maio, apenas três meses depois de tentar “ressuscitar” um projeto que defendia justamente o contrário. “Eu sou a favor do financiamento público, mas hoje ficou impossível aprová-lo na Câmara, porque somos massacrados pela mídia e a população não quer usar dinheiro público para pagar campanhas”, justifica o deputado. “Votei contra as doações de empresas a candidatos, mas, depois de uma conversa com os líderes do PMDB, resolvi votar a favor das doações para partidos.” Seria caso de recall?

“É curioso que as pessoas tenham aprendido rapidamente a reclamar quando um eletrodoméstico estraga ou a entrega do jornal atrasa, só que o sistema político não desperta o mesmo interesse”, diz Jairo Nicolau, pesquisador da UFRJ. Mas a verdade é que, se os 105.303 catarinenses que votaram em Benedet no ano passado — ou 105.302, descontando o próprio deputado — quisessem voltar atrás depois que ele “mudou de opinião” subitamente, tudo o que poderiam fazer seria xingar muito no Twitter. A democracia representativa não prevê qualquer contato direto entre eleitores e eleitos. “Existe um elemento elitista na defesa da manutenção da distância entre representantes e representados”, diz Luis Felipe Miguel, da UnB. “Precisamos ter mecanismos de interlocução capazes de permitir que os representantes respondam aos interesses que vão se formando na base inclusive ao longo dos mandatos.”

Curiosamente, o PL 6.316, que Benedet e os colegas tentaram desarquivar, é fruto de um dos raros “mecanismos de interlocução” que existem hoje entre a sociedade e o Congresso. Trata-se dos chamados “projetos de lei de iniciativa popular”. Digamos que você queira criar o Dia Nacional da Capivara. Se conseguir a assinatura de 1% dos eleitores brasileiros, algo como 1,5 milhão de pessoas, você pode “obrigar” a Câmara a debater sua proposta. Parece bom. Mas aí sempre pode acontecer o mesmo que aconteceu com o PL 6.316: nada.

O projeto, organizado por entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi levado ao plenário em 2013 pela então deputada Luiza Erundina. Desde então, ele está mofando em algum canto da Câmara — aparentemente com a condescendência do presidente Eduardo Cunha. “Vamos exigir que o PL 6.316 seja apreciado, apesar de o presidente [Cunha] o desvalorizar a ponto de ter dito, em reunião de líderes, que ‘assinatura de apoio qualquer um pega na esquina’”, afirma o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ). Um dos idealizadores do projeto, o jurista Ives Gandra Martins, da OAB, acha que ele só tem chances reais de ser apreciado se houver pressão popular: “Só com manifestações de rua teremos uma reforma política adequada. Os políticos não aprovariam por conta própria mudanças em leis que os beneficiam”.

LASCADOS Desde os tempos da Grécia Antiga, a democracia por definição pressupõe a igualdade política de todos os cidadãos. Mas o sistema representativo divide automaticamente a população em um pequeno grupo de tomadores de decisões e um grande conjunto de governados cuja influência sobre essas decisões é quase nula. “A igualdade de voto não consegue se traduzir em igualdade de representação, e muito menos de influência política”, diz Luis Felipe Miguel.

Hoje, cientistas políticos e ativistas do mundo todo buscam formas de tornar a democracia representativa um pouco mais participativa. “Precisamos criar instituições mais abertas às demandas das ruas. O parlamento está longe de esgotar toda a representação da sociedade, e os partidos também”, diz Chico Alencar.

Na Espanha, o partido Podemos, criado no início do ano passado por professores universitários, reuniu mais de 100 mil filiados em 20 dias e conseguiu eleger cinco representantes para o Parlamento Europeu poucos meses depois da sua fundação. A estrutura do Podemos reproduz o sistema grego da antiguidade: todos os filiados se reúnem em assembleias pelo país e ajudam a decidir tanto os candidatos quanto as posições do partido em relação a determinados assuntos. Além das assembleias, voluntários — filiados ou não — também se reúnem em “círculos”, grupos de discussão que debatem questões que podem ser territoriais (relativas a um bairro ou cidade) ou setoriais (condições de trabalho de uma categoria específica, por exemplo) e repassam suas conclusões à cúpula do partido.

Já o Partido de la Red, da Argentina, tem uma pro­posta um tantinho mais radical: a ideia é que os eleitores escolham não um representante, mas um “delegado” que estará no Congresso apenas para votar de acordo com o que foi decidido pela maioria em discussões feitas pela internet. Essas discussões acontecem em uma plataforma de código aberto chamada DemocracyOS, criada pela desenvolvedora argentina Pia Mancini. Além do Partido de la Red, a Legislatura de Buenos Aires, o equivalente da nossa Câmara de Vereadores, também aderiu à plataforma para pedir a opinião da população sobre assuntos como o horário de funcionamento do metrô e a criação do Dia da Trabalhadora Sexual.

Se ainda não foi encontrada uma solução definitiva para a crise da democracia representativa, o Podemos e o Partido de la Red surgem como alternativas para tornar a relação de poder entre os eleitores e seus representantes um pouco menos desigual. “Sempre será necessário ampliar a capacidade de supervisão dos representados sobre os representantes, não só porque isso contribui para a promoção da igualdade política, mas sobretudo por uma questão de realismo”, explica Luis Felipe Miguel. “Só há uma lei universalmente válida que a ciência política foi capaz de estabelecer em toda a sua história: se dependermos da boa vontade de quem tem poder sobre nós, estamos lascados.”
COMO HACKEAR O SISTEMA ELEITORAL Um aplicativo e dois sites para que você não dê mole nas próximas eleições
Apresenta de forma simplificada os projetos em tramitação e incentiva a participação dos usuários, que votam sim ou não e discutem as propostas. Os resultados são encaminhados ao Congresso.
B. BOLETIM DA CÂMARA
Por incrível que pareça, o próprio site da Câmara oferece aos eleitores a opção de receber um boletim por e-mail que mostra todas as propostas, discursos e votos dos seus representantes em Brasília.
C. NEWSLETTER INCANCELÁVEL
O eleitor recebe mensalmente uma newsletter com as notícias mais relevantes sobre o seu candidato — e não tem a opção de cancelá-la até que o mandato acabe.
Fonte: Galileu.

(TEMA 3) Homossexualidade (Transcrição dos estudos do grupo “Blog do prof. H” no #WhatsApp)

(Os erros ortográficos e o internetês foram mantidos. Caso você deseje participar do grupo deste blog no whatsapp, clique AQUI.)
Homossexualidade. (Joyce)
(Prof. H) Quero começar
com a letra dessa belíssima canção: Não há órfãos de Deus (Cânticos Vocal):
Quem entre nós
não foi ferido
Quem entre nós não tem culpa ou dor
E é rejeitado por ter pecados
A essas vidas sem valor
Foi dada a graça por amor
Refrão
Não há estranhos, não há indignos
Não há perdidos em Deus
Muitos caíram, mas Aleluia!
Pois não há órfãos de Deus
Vem ó aflito, e encontre alívio
Vem ó cansado, para os braços do Pai
Vem oprimido, você é meu irmão
A graça desse Pai de amor
Foi feita em nosso favor
Ó Pai querido, aqui estão Teus filhos
Agradecidos por Teu amor
Nos entregamos a Tua vontade
Enche-nos hoje com Teu poder
Por que a
letra desta canção?
Joyce: Por que ela fala do amor
de Deus pelo ser humano sem fazer exepiçao de pessoa .. [ícones]
(Prof. H) Ela revela um
fato que, apesar de ser explícito na Bíblia, é, ao meu ver, CONVENIENTEMENTE
ignorado no cristianismo: “TODOS pecaram e estão afastados da presença
gloriosa de Deus.” (Rm 3.23, NTLH)
Verdade
Joyce!!
“Pecado é
o que o outro comete, não o que eu cometo”, é por aí a prática religiosa
de muitos membros de denominações cristãs!
Mas, esta
letra, assim como a Bíblia, nos lembram que “o salário do pecado é a
morte” (Rm 6.23).
Do
“pecado”. Não de alguns pecados!
Westoni: Conceitos sobre a
homossexualidade variam de uma geração para outra e de um país para outro. Mas
os cristãos não são “levados para cá e para lá por todo vento de ensino”.
(Efésios 4:14) O conceito deles se baseia na Bíblia.Mas qual é o
conceito da Bíblia? Se você segue os princípios de moral da Bíblia, o que vai
dizer aos que acham que você é preconceituoso ou até mesmo odeia os homossexuais?
Analise as seguintes perguntas e as possíveis respostas.
O que a Bíblia diz sobre a homossexualidade?
Ela deixa claro que Deus criou o sexo para ser feito apenas
entre um homem e uma mulher, e apenas se forem casados. (Gênesis 1:27,
28; Levítico 18:22;Provérbios 5:18, 19) A Bíblia condena a
fornicação, quer entre pessoas do mesmo sexo quer entre
pessoas de sexos diferentes. * — Gálatas 5:19-21.Se alguém
perguntar: “O que você acha da homossexualidade?”Você pode
responder: “Eu não odeio os homossexuais, mas não apoio o que eles fazem.”✔
Lembre-se: Se você segue os princípios de moral da Bíblia, então esse é
seu estilo de  vida, e você tem o direito de segui-lo. (Josué 24:15) Não tenha
vergonha do seu conceito. — Salmo 119:46.
Não é dever dos cristãos tratar todas as pessoas com
respeito, não importa a orientação sexual delas?
Claro que sim. A Bíblia diz: “Honrai a homens de toda
sorte”, ou, como diz aBíblia Fácil de Ler: “Respeitem todas as pessoas.”
(1 Pedro 2:17) Assim, os cristãos não são homofóbicos, ou seja, não
odeiam os homossexuais. Eles são bondosos com todas as pessoas, incluindo
os gays. — Mateus 7:12.Se alguém perguntar: “Você não acha
que sua opinião sobre a homossexualidade incentiva o preconceito contra
os gays?”Você pode responder: “De forma alguma. Eu rejeito
a conduta homossexual, não as pessoas homossexuais.”
(Prof. H) Logo, a
mentira, o egoísmo, o orgulho, a idolatria, o tomar o Nome de Deus em vão, …,
…., …., e a homossexualidade, estão no mesmo patamar!
Mas, não
funciona assim, pois, “gays são nojentos”, “safados”,
“libertinos”, etc., pensam e agem alguns (muitos?) cristãos!
Westoni: Vdd
(Prof. H) Importante
comentário, Westoni. Mas, a prática cristã tem sido outra…
Vamos lá. O
que é pecado?
A Bíblia
define assim: “é a transgressão da Lei” (I Jo 3.4).
Quando
pecamos?
Somente quando
transgredimos a Lei?!
Não!
“Eu nasci
na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe.” (Sl 51.5)
Westoni: Correto desculpe a
dmora pra respondr
(Prof. H) Imagina meu
amigo!😉
“Porque
bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à
escravidão do pecado.” (Rm 7.14)
E agora???
Westoni: Sim pf e uq dizer
daquelas pessoas q nascem com traços afeminados ou visa e versa
(Prof. H) Se já nascemos
pecadores, crescemos pecadores e SOMOS PECADORES por natureza, como obedecermos
à Lei de Deus?
Boa questão
Westoni!
IMPOSSÍVEL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Vou
explicar por que é IMPOSSÍVEL um pecador obedecer à Lei!
Pecado é um
problema QUE SÓ DEUS RESOLVE através de JESUS CRISTO!!!!!
Jesus veio
para nos avisar sobre isto!
Ele tomou
todos os pecados de todos os pecadores de todas as épocas, e lançou sobre Si!
A
homossexualidade assim como QUALQUER outro pecado é um PROBLEMA DE DEUS, não do
pecador!
Westoni: Sim continue
(Prof. H) Nosso único
problema é: aceitaremos a Jesus como nosso substituto? Ou O rejeitaremos?
“Elas não
teriam nenhum pecado se eu não tivesse vindo e falado a elas. Mas agora essas
pessoas não têm desculpa para o seu pecado.” (Jo 15.22, NTLH)
Qual era a
preocupação de Adão e Eva antes do pecado? Pecado? Anjos maus?
Não!
Era a mesma
que a nossa hoje: aceitar o senhorio de Deus sobre eles ou não!
Westoni: Concerteza
(Prof. H) As pessoas
confundem.
“Tenho
que lutar contra o cigarro!”
“Tenho
que lutar contra a pornografia.”
“Tenho
que lutar contra a homossexualidade.”
A Bíblia
ensina diferente…
Temos que
escolher: Deus ou qualquer coisa?
Se nossa
escolha for Deus, ah meu amigo, minha amiga, nosso pecado É UM PROBLEMA PARA
ELE RESOLVER, pois nascemos pecadores!!!
Entendem?
Mas, falhamos
exatamente onde Adão e Eva falharam! NÃO ESCOLHEMOS DEUS, e aí, vivemos
desanimados pelo pecado!
Se alguém tem
dificuldade com a mentira, eu digo: vc já entregou sua vida a Jesus? Pois, se
vc já o fez, deixe que Ele resolverá isto!
Westoni: Entendi existi uma
duvida ainda pendente aqui em ksa algumas igrejas pregam q homosexualismo é
ocasinado por demonios isso procede ?
(Prof. H) Entendi
Westoni!
Respondo já!
Se alguém tem
dificuldade com QUALQUER OUTRO PECADO, a Bíblia diz a mesma coisa!
Westoni: Pois exitem crianças q
jah nascem com traços afeminados comu eu lhe disse
E ai de quem seria a
culpa?
(Prof. H) Verdade
mesmo!!!
Chego já nesse
ponto!
Vou lhes
mostrar um texto bíblico que mostra (talvez) um homossexual que seguia a Jesus!
Westoni: Por essa n esperava
kkkk mostra
(Prof. H) “Seguia-o
um jovem, coberto unicamente com um lençol, e lançaram-lhe a mão. Mas ele,
largando o lençol, fugiu desnudo.” (Mc 14.51,52)
TALVEZ o rapaz
desse episódio NÃO seja homossexual. Talvez fosse alguém com dificuldades
sexuais ou simplismente psicológicas, certo?
Mas, ele
estava fazendo o que?
SEGUINDO A
JESUS!!!!!!
Jesus o
rejeitou?
Jesus pediu
pra ele se vestir?
Jesus pediu
para ele abandonar aquela prática?????
Parece-me que
não!
Por que?
“Pois eu estou certo de que Deus, que começou esse bom trabalho na vida de
vocês, vai continuá-lo até que ele esteja completo no Dia de Cristo
Jesus.” (Fp 1.6)
Wilma (Dalva): A psicologia diz
que a homossexualidade se deve a acontecimentos na vida da pessoa quando
criança ou até mesmo quando ainda está na barriga da mãe, falta de alguma
coisa. Isso procede?
(Prof. H) Oi Wilma! Te
respondo em seguida!
Wilma (Dalva): Ok!
(Prof. H) “Ora,
àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com
exultação, imaculados diante da sua glória, ao único Deus, nosso Salvador, mediante
Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de
todas as eras, e agora, e por todos os séculos. Amém!” (Jd 24,25)
Vcs entendem?
O novo
nascimento, a santificação e as boas obras NÃO devem ser ditados por alguém,
por uma instituição!
É Deus e a
perseverança do pecador que modificam o caráter!
No tempo de
Deus. Não no tempo que a igreja quer!!
Vamos as
questões lançadas por Westoni e Wilma.
Wilma (Dalva): Sim, entendi
(Prof. H) Westi, é
complicado descobrirmos “a culpa”, sabe?!
Pode ser dos
pais que não tinham tempo e não observaram esses traços em seus filhinhos…
Pode ser da
própria criança…
Pode ser só
dos anjos maus…
Wilma (Dalva): ?????
Como culpa da
própria criança?
(Prof. H) Westoni, não
precisamos saber da causa. Só precisamos saber da solução, vc entende?
A complexidade
do pecado é maior do que podemos suportar e entender, pois envolvem a
metafísica.
Ou seja, anjos
maus! Nossa capacidade é muito inferior à dos anjos maus…
De modo que,
sugiro que não especulemos, pois isso deve magoar muito nossos irmãos que são
tentados nessa área da homossexualidade. Tentemos nos colocar no lugar deles!
“Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam,
fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.” (Mt 7.12)
Agora, Wilma,
vou tentar te ajudar!
As crianças já
possuem seu nível de responsabilidade sim, viu??
“A
estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a
afastará dela.” (Pv 22.15)
O que isto
significa?
Se as crianças
forem deixadas a crescerem SEM A PRESENÇA DE PAIS E MÃES ESPIRITUAIS, toda
sorte de males e pecados os anjos maus irão colocar diante delas.
E Deus cobrará
dos pais!
Por outro
lado, uma criança dentro de sua esfera de consciência e conhecimento, tem seus
pecados registrados pelos anjos…
Compare com
Mateus 18.10.
Wilma (Dalva): Não entendi como
uma criança pode ter culpa nisso, se ela já tem os trejeitos.
entendo*
Eu tive um primo
que nasceu assim e inclusive tinha traços físicos femininos e masculinos, o que
fazer então?
(Prof. H) Veja Wilma,
como eu falei, SÃO HIPÓTESES, vc me estende?
Wilma (Dalva): Sim
(Prof. H) Não estou
dizendo o que é nem o que não é. Mas, o fato 
é que a Bíblia deixa claro que a criança PODE sim pecar, ok?
Wilma (Dalva): Ok
Pois já nascemos
pecadores.
(Prof. H) Até a alimentação
cárnea e recheada de hormônios (segundo pesquisas sérias) pode ser um fator
relevante para a homossexualidade, já pensou??
Wilma (Dalva): Sim, já li sobre
algo.
Então, quando vem
com ela pode ser mais difícil se deixar?
(Prof. H) Nascer com
tendências para o alcoolismo, para a masturbação, para a homossexualidade,
etc… tudo isso é REAL!
Wilma (Dalva): Sei
(Prof. H) Mas, NÃO É
CULPA DO PECADOR!
Wilma (Dalva): Não?
(Prof. H) Nossa culpa
COMEÇA quando conhecemos o Evangelho de Jesus, somos chamados pelo Senhor
Espírito para nos prepararmos para volta de Jesus, Deus insiste em nos salvar,
em nos transformar, mas… não damos espaço… não escolhemos Deus.
Wilma (Dalva): Entendo
(Prof. H) Vamos concluir
o tema  com a poderosa história de Caim. Se lembram?
Wilma (Dalva): Sim
Conclua
(Prof. H) “Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto
da terra uma oferta ao SENHOR. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da
gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta; ao passo que de
Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e
descaiu-lhe o semblante. Então, lhe disse o SENHOR: Por que andas irado, e por
que descaiu o teu semblante? Se procederes bem, não é certo que serás aceito?
Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será
contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo. 
Disse Caim a Abel, seu irmão: Vamos ao campo. Estando eles no campo,
sucedeu que se levantou Caim contra Abel, seu irmão, e o matou. Disse o SENHOR
a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: Não sei; acaso, sou eu tutor
de meu irmão? E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão clama da
terra a mim. És agora, pois, maldito por sobre a terra, cuja boca se abriu para
receber de tuas mãos o sangue de teu irmão.” (Gn 4.3-11)
Ah, meus
amigos(as), como a história de Caim poderia ser outra. “Se procederes bem,
não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz
à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.”
“O seu
desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.”
“A ti
cumpre dominá-lo.”
E Deus, que
criou Caim e o capacitaria, se ele quisesse, também está hoje nos dizendo o
mesmo EM TODOS OS NOSSOS PECADOS. Ele criou o universo. Ele tem poder sobre os
anjos maus. Mas, não é Ele quem domina nossa vontade. Somos nós.
Não é fácil.
Mas é possível. E se é possível, a decisão é nossa.
Jonathan: No conhecimento da Sua palavra.
Luiz: Na questão do
homossexualismo prof° eu não apoio pois a palavra mesmo não apóia esse tipo de
relacionamento. É claro q não sou homofóbico, uma palavra q agora faz parte dos
militantes gays.
Nós seres humanos e
pecadores já nascemos c alguma predisposição p algo, seja drogas em geral,
agressividade, e tbm na libido. Isso cabe aos pais ao detectarem esse tipo de
situação, instruir os filhos.
Se forem pais cristãos já
é um grande passo p desvia-los de cada uma dessas predisposições.
Mas resumindo, por mais q
alguns digam q ha pontos na bíblia q dizem q ha referências homossexuais, como
uma delas de Davi com Jônatas, achei um absurdo. Confundir amizade forte c
homossexualidade é dose…como diz em PV 18:24 : ha um amigo mais chegado que
um irmão ” tudo isso p justificar um apoio a homossexualidade na bíblia. E
na bíblia não existe apoio p isso.
Júlia (Rensel): 👏concordo
com vc
Luiz: P respostas, p ouvir a
voz d Deus vem em constante leitura da bíblia e oração com pratica da palavra.
O cuidado é d não
seguirmos nossa vontade. Acontece as vezes de estar c aquela vontade de optar
por algo, vc ora, mas não aguarda a resposta, e isso já aconteceu cmg.me
propuseram um cargo de liderança e logicamente foi uma proposta excelente. E
claro q eu iria escolher assumir esse cargo. Orei p Deus pedindo direção, mas
não aguardei a resposta, achei q a escolha tinha sido a resposta a minha
oração… Puro engano, pq mtas vezes não e a resposta de Deus, e sim o nosso
coração enganoso carregado da nossa vontade.
Isso foi uma lição p mim,
depois dessa escolha, eu vi q não era nada daquilo q imaginava… E isso me
serviu de aprendizado pq temos q estar em comunhão constante, por mais q esquecemos
pois somos falhos e limitados, mas temos q fazer o máximo em busca-lo.
Eu não nego q falho em
busca lo, todos estamos sujeitos a isso, ainda mais no tempo d hj onde temos d
administrar o nosso  tempo. Esse é um dos
fatores q nos fazem cair diante da busca por Deus, o tempo.
Não só busca lo nos
momentos de dificuldade, como se Deus fosse uma cartomante ou adivinho
Mas constantemente, pois
ele sempre está a nossa espera, aguardando um posicionamento, uma decisão. A
comunhão com constância faz a diferença
Isso já diz tudo.
 Clara percepção da
verdade é uma resposta d Deus em nossas escolhas
Alessandro Omena: Comparar
homossexualidade com viciados em drogas, coisa que o Ministério da Saúde já
comprovou ser doença, algo que não comprovou na homossexualidade é no mínimo
estranha. Você experimenta drogas por curiosidade e dai a depender da pessoa se
torna dependente. O homossexual é o que é, não ha escolhas. Farei a seguinte
pergunta: vocês acham que o homossexual seria tão burro a escolher o caminho
tortuoso e difícil, uma vez que a heterossexualidade é muito mais fácil e
tranquila? Não estou na defesa, estou aqui com um olhar de ponderação e
análise, pois essas pessoas requerem um entendimento e compreensão. Afinal de
contas o caráter não se mede pela orientação sexual. Boa tarde a todos!  🙂
Joyce: A minha grande duvida
sobre o assunto é entender de fato o q faz um ser humano se sentir atraaido por
uma pessoa do seu mesmo sexo .. Tipo existem homens e mulheres q casam varias
vezes tem filhos etc .. E depois por algum motivo decidem se entregar ao
homosexualismo ! Quer dizer o desejo sempre esteve no coraçao do individuo ?
Outros desde crianças vao crescendo (afeminados) então é doença como algums
pensam, e algo espiritual ? Ou alguem decide ser homosexual por opçao ? Isso
foi o q me motivou a estudar e aprender sobre o assunto .. Por favor falem as opiniões
de vcs .. Beijos
Luiz: Eu creio q não seja
doença ou espiritual, mas sim uma propensão não de questão genética como
cientistas dizem p justificar
Alessandro Omena: Foi como
falei, o homossexual é o que é, assim como é o hétero. O hétero, de fato,  se sente atraído porque ele nasceu assim. Os
seus hormônios o favorecem, assim como os homo. O que sei sobre é muito pouco
para justificar, mas permite reflexões sadias e positivas. Farei outra
pergunta: o hétero, de fato, conseguiria ser homo? Claro que não. Aqueles que
depois de alguns tempo saem de um relacionamento hétero pra homo, na verdade
nunca foram hétero. Pesquisas do consagrado Michel focoult comprovam isto.
Janaína: Boa tarde pessoal
Ontem não pude
participar da discussão,  mas vou tentar
expor minha opinião aqui no grupo agora
Li tudo o que foi
posto
Janaína: E vou começar pelo
tema 1
Janaína: O ser humano já nasce
com uma predisposição característica de sua personalidade e isto irá
representar, ou não, um papel fundamental na hora da tomada de decisão na vida
adulta.
Alessandro Omena: De acordo com
Picazio, a dificuldade e resistência de entender a homossexualidade reside no
fato de acreditarmos erroneamente que ela é um desejo apreendido e adquirido.
Não é assim, a homossexualidade, assim como a heterossexualidade, é natural
para quem a sente.
Janaína: Segundo alguns
teóricos,  a pessoa que se envolve (ou é
atraído) sexualmente por alguém do mesmo sexo, 
está buscando esquivar – se das diferenças, passaram na infância por
dificuldades se comunicação e aceitação, 
tendo que lidar constantemente com posições incoerentes e
contraditórias,  principalmente de seus
educadores.
Buscam através da igualdade se livrar de se sentir
pressionados diante das diferenças e do diferente. A escolha, deste modo, está
vinculada não só a predisposições genéticas quanto a componentes culturais,
sendo que estes dois fatores não precisam estar conectados.
Alessandro Omena: E outra
pessoal, a homofobia existe, e é fato. Em Alagoas, nosso Estado se destaca em
crime de intolerância e não aceitação. Muitos são assassinados de forma injusta
e cruel, sem o direito de se defender. São agredidos fisicamente e verbalmente.
Tanto é que quando um membro de família evangélica se assume homossexual,
muitas dessas familias expulsam de casa ou agridem fisicamente. Que cristãos são
esses que não acolhem? Afinal é bíblico, Deus é amor não é?
Janaína: “A singularidade
é a premissa essencial na compreensão da história da vida de cada indivíduo,
aliado a seus aspectos mais profundos e inconscientes, até porque uma das grandes
tarefas de nossa existência é descobrirmos quem realmente somos e isto acontece
através do processo de ‘individuação’.” – Deijone do Vale
Alessandro Omena: Muito bom
Janaina.
Janaína: O diferente hoje é
motivo para alarde porque as pessoas tem medo dessas diferenças,  sem saberem que elas são um estímulo para
novos horizontes.
Obrigada Alessandro
Janaína: Aprendi uma coisa bem
simples com um professor no início do meu curso e tenho comigo até hoje:
“Familiarize -se com o estranho e acima de tudo estranhe o familiar.”
Sempre aprenderemos
com o diferente
Alessandro Omena: Sem dúvida
Janaina
Janaína: As escolhas fazem
parte de um processo natural e é inevitável
Alessandro Omena: E o assunto
tratado aqui é homossexualidade. E quando o diferente falta braços, pernas, ou
qualquer outra situação? A sociedade é cruel, e sempre rejeita o diferente.
Janaína: Buscar origem para a
homossexualidade é saber onde se localiza sua fraqueza. Não há necessidade
disso,  considerando que não é uma doença
que deve ser tratada. No entanto, devemos aceitar que tudo é questão de
opinião.
É verdade Alessandro,
todos temos essa tendência a estranhar o diferente e excluir
Considero,
particularmente, culpa di padrão cultural que nos é imposto
Alessandro Omena: Sim, construído
historicamente.
Luiz: O cristão acolhem meus irmãos, não fazemos distinção na
questão da sexualidade
Luiz: Agora esses cristãos q
fazem acepção d pessoas seguem uma outra doutrina fora da bíblia
Aline Paixão: Gente,sei que
estou um pouquinho atrasada sobre o assunto do homossexualismo rsrs , mas como
só teremos outra pauta “oficial” no sábado , gostaria de ouvir
opiniões sobre , de que forma podemos/devemos apregoar o evangelho de Cristo a
um homossexual ?!
Qual a forma mais
adequada?
Elysson: Boa pergunta
Alessandro Omena: Punir,
excluir e apedrejar não é o caminho certamente.
Luiz: Concordo Alessandro, tem
q ser c amor e brandura
É bom nesses casos se ele
ou ela de repente t deu a oportunidade de falar da palavra
Aí fik mais facil
Aline Paixão: Entendo … Tipo
, pra vcs , como abordar (
?*
Luiz: Bem, se a pessoa
perguntou p vc de homossexualidade na bíblia aí vc vá diretamente, mas sempre
com mansidão e não dizendo ” ta vendo aki, não entra no reino de Deus os
efeminados, os ladrões….” assim não resolve
Agora se a pessoa não
tocou nesse assunto aí já fik mais difícil. Mas se deu oportunidade, comece
falando do amor de Jesus pelos pecadores, do plano de salvação q se iniciou em
Gênesis fale de passagens interessantes
Luiz: Ore bastante tbm p q o
Espírito Santo t de as palavras corretas.
Alessandro Omena: Não
esqueçamos que ninguém é efeminado porque quer, muitos nascem assim, o assunto
é mais complexo di que se imagina. E outra todos nós seremos paus e não sabemos
o que pode acontecer com nossos filhos futuramente.
Gente não
consigo aceitar essa ideia de comparar homossexual com ladrão. É muito
desumano, desonesto e injusto. O ladrão escolheu roubar, o homossexual não.
São
pensamentos que eu defendo pessoal por muitos anos através das leituras que
faço e da convivência. Só não posso colocar aqui a visão bíblica a cerca do
tema, por não ter a envergadura necessária para tanto. Entendo que tenho que
ler mais os textos bíblicos para poder fundamentar maus aquilo que defendo e
acredito.
Dalva: João 3:16
Alessandro Omena: Acho
“mágica” Dalva, esta passagem: “porque Deus tanto amou o mundo
que deu o seu filho unigênito, para o que todo que nele crer não pereça, mas
tenha a vida eterna”
Dalva: Exatamente! Então se Ele
amou, nos dará a capacidade de amar aos nossos semelhantes, sejam quais forem.
Quem somos nós para escolher a quem amar, não é mesmo?
Alessandro Omena: Perfeito
Dalva! 😃👍
Wilma (Dalva): A bíblia é
clara, Deus ama e aceita o ser humano e não o seu ato pecaminoso, no entanto
devemos pedir orientação a Ele para que não possamos magoar a pessoa com essa
opção sexual, mas também mostrar que Deus abomina esse tipo de coisa.
Letícia: vdd Wilma
👍
Wilma (Dalva): Com amor e
orientação divina, podemos ajudar e orientar.
Luiz: É disso q eu estava
dizendo meus irmãos e irmãs, o verdadeiro cristão não faz acepções de pessoas,
eu tenho poucos amigos q são homossexuais mas nem por isso eu os repreendo, não
podemos julgar
Agora na questão do q eu
tinha dito de ladrões e efeminados está na bíblia, não disse por mim mesmo.
Peço a vcs q dêem uma olhada em 1 Corintios 6.
[12/5/2015, 18:28] Alessandro Omena: Mas só pra
esclarecer Wilma, não é opção, pois ninguém opta por ser homossexual, assim
como ninguém opta por ser heterossexual. As pessoas nascem com essas
orientação.
Raquel: Na minha opinião é
opçao pois conheço pessoas que são homossexuais mais antes erão homem saiam com
meninas…eles mesmo dizem que foi por opção
Se Deus nos dar o livre
arbtrio é pq tudo na vida é questão de escolha
Deus fez homem e mulher
e nenhum lugar da biblia Deus diz que se nao estivermos satisfeitos podemos
trocar de sexo
Letícia: esse assunto é mt
delicado
Raquel: Tem casos que são
complicados como pessoas que nascem hemafroditas..mas fora isso tudo é opçao
Todo assunto que vai
contra a palavra de Deus é complicado
Letícia: vdd Raquel, +sempre
tem a resposta certa; p akeles q procuram a verdade😉
Raquel: Nós não podemos fazer
acepções de pessoas  mas temos que pregar
a verdade
A mesma coisa pessoas
que vivem no tráfico.Muitos nascem de familia pobre…Mas as vezes por revoltas
do que passaram na infancia decidem fazer justiça com as próprias mãos..E
muitos dos que conheço são desviados …ou seja eles escolheram o caminho que
eles quiseram
Se não houvesse escolha
nos sentiriamos obrigados de fazer as coisas para Deus certo?Mas ai vem o livre
arbitrio..Temos o direito de escolher o caminho que queremos seguir…
Alessandro Omena: Volto a dizer
o quanto é complicado comparar homossexualidade com ladrão e viciados. Pra mim
são de naturezas totalmente distintas.
Raquel: Com certeza
Por isso que a palavra
de Deus diz que cada um dará conta se si.Deus nãi mede pecado.Ele não faz
balança de pecado dizendo que quem mente vai por inferno e que aparentemente
faz o bem vai para o céu…Erro é Erro diante de Deus
Até pq só Deus conhece
a intenção do nosso coraçao
Alessandro Omena: Se
homossexualidade fosse escolha, certamente não existiriam na sociedade.
Raquel: Tudo na vida é questão
de escolha
Alessandro Omena: Menos
homossexualidade 😃
Raquel: Isso é a sua opinião ou
vc está falando de acordo com a palvra de Deus
Palavra
Alessandro Omena: Estou falando
de acordo com a realidade de cada ser humano, de cada indivíduo, dentro de um
mundo diverso que são as pessoas. A diversidade Raquel existe e isto ninguém
pode negar. E tenho certeza absoluta que Deus ama essa diversidade.
Raquel: Boa noite
Voltei desculpa mas
cheguei agr
Wilma (Dalva): Tem muita gente
optando por ser homossexual, tenho amigos que experimentaram e disseram gostar,
e no caso de quem tem tendência, pode não praticar, o negócio é o ato e a
perversão, a maioria banaliza, vira pornografia e etc.
Raquel: Verdade👏
Wilma (Dalva): Ser tem o jeito
afeminado mas não pratica, Deus é justo e fiel e o ajuda a nunca pecar dessa
forma, o Senhor não abandona os seus.
Raquel: Meu primo é ex obreiro
da igreja…ele sempre teve uma voz afeminada. Mas ele se esforçou para ir a
igreja…enfim virou obreiro.Mas por um deslize dele em relaçao a vida
espiritual..hoje em dia ele é homossexual assumido e se prostitue…
Vai dizer que nao foi
questao de escolha
É claro que Deus sabe
que o inimigo quer modificar a palavra dele.Ele mesmo nos disse que teriamos
aflições.Cada caso é uma caso ecemplo o de pessoas que nascem
hemafroditas…nas fora isso
Mas
Se Jesus que foi e é o
unico Santo foi tentado imagina nós pobre e pecadores.
Se as pessoas
consultassem Jesus antes de tomarem qualquer decisao serua diferenre
Seria
Wilma (Dalva): É complicado
esse assunto, do quem passa por isso na família é que sabe.
Raquel: Com certeza ainda mas
quando a pessoa conhece a palavra de Deus
Wilma (Dalva): É uma luta, pra
quem tem tendência e não se aceita como é, porque sabe quites vai passar por
muitas coisas ruins, rejeição é a pior delas. Eu não abandonaria um filho ou
filha nessa situação, mas iria lutar até o fim para tira-lo (a) dessa situação.
Raquel: Amém
Wilma (Dalva): Falamos de
homem, mas e as mulheres? Elas não são tão mal julgadas como eles.
Raquel: Independente de ter
nascido ou nao nós sabemos que é uma luta espiritual
Pois o mundo sempre vai
ter una justificativa
Wilma (Dalva): E olha que hoje
em dia elas estão se multiplicando cada vez mais, e por safadeza mesmo, vejo
muitas assim, infelizmente!
Raquel: Eu tbm vejo
Tenho um conhecido que
ele é lindo ele sempre foi namorador….Depois que se entregou a macumba ele
virou homossexual…pois o diabo fez a cabeça dele
Foi questao de escolha
infelizmente a errada pois ele está no engano
Wilma (Dalva): Só sei que é uma
luta para aqueles que são de verdade e sofrem com isso, essa luta, mas os que
são por opção, não estão nem aí, ficam tirando é onda com a cara de todo mundo
e se aproveitando da situação, já repararam que virou moda ser gay? Seja homem
ou mulher?
Raquel: Verdade temos que
respeitar é claro mas tbn temos que pregar a verdade doa a quem doer ..O papel
do cristão aqui é esse
Wilma (Dalva): Na verdade isso
é um desvio de conduta em alguns casos, em outros é só para chamar atenção, esculhambar,
banalizar.
Raquel: Verdade
Wilma (Dalva): Nosso
maravilhoso Deus conhece o coração de cada um e vai julgar a cada um
individualmente.
Raquel: A mesma coisa que
bebeida…Pela fé meu pai não bebe mas ele faz isso para *esquecer*as magoas
que ele viveu com seus pais. …Muitos viram homossexual por as vezes terem
sofrido  abuso na infancia..e muitos por
terem se decepcionados em suas vidas amoroso
Wilma (Dalva): Só sei que
Sodoma e Gomorra são fichinhas para esse mundo de agora, e olhe que por muito
menos Deus os destruiu.
Raquel: O caso de muitas
colegas minha da epoca de escola elas diziam que preferem se relacionar com
mulheres por terem sofrido na vida sentimental 
e tbm pq as mulheres são mais amigas carinhosas…
Verdade
Wilma (Dalva): Já ouvi muito
isso
Raquel: Isso por causa das
orações e da infinita misericordia dele
Wilma (Dalva): Com certeza
Raquel.
Sei que a luta é
grande para nos mantermos no caminho do Senhor.
Raquel: Pela fé agr não vai ser
legalizada a Pologamia aqui no Brasil.procurem na internet a reportagem de uma
jovem que legalizou morar com 2 rapazes..isso aqui no Rj.A advogada disse que
vai caber a sociedade aceitar ou nao
Wilma (Dalva): Mas Ele segura
nossas mãos e com Ele não devemos temer a nada.
Raquel: Com certeza🙌
Wilma (Dalva): Gente, boa
noite, fiquem com Deus e até amanhã se Ele assim permitir.
Raquel: Boa noite amém🙌
Everane Cristina: Devemos sim
pregar a verdade, mas com amor!!! Pois Jesus sempre falou a verdade, mas o modo
de Ele falar demonstrava que Ele era diferente!!! É bom lembrar que diante de
Deus somos pecadores tanto quanto eles!!! Quando apontamos o erro deles, mesmo
sem intenção nos  colocamos em posição de
superioridade e classificamos os pecados em grandes e pequenos. Mas Jesus disse
que todos pecaram e carecem da misericórdia de Deus!!! Portanto olhemos para os
nossos irmãos com amor e graça, a mesma que queremos receber de Deus em nosso
favor!!
Almir: Verdade verdadeira
everane
Precisamos dar valor às
pessoas mais do que às coisas! ! Jesus amava e ama o pecador mas odeia o pecado
(Prof. H) O tema da
homossexualidade voltou e foi muito bem trabalhado por Aline, Dalva, Alessandro
e Luiz!
Mas, minhas
amigas Wilma e Raquel…
Luiz: Procure em vídeos e
estará lá o pastor Doug Bartchelor, sem falar tbm nos videos de forerunner
Só procurar lá
(Prof. H) Joia Luiz!
Wilma e
Raquel, penso que conhecemos muito pouco sobre a complexidade do pecado, sabe?
Luiz: Vlw Prof°
(Prof. H) Puxa, como eu
gostaria de ser especialista no pecado para poder contribuir e falar o que pode
e o que não pode, quando é “safadeza” e quando não é… e até QUANDO
É ESCOLHA E QUANDO NÃO É…
Gente, por
favor, só existem dois especialistas em pecado, em todo o universo – Satanás e
Jesus Cristo!
Um está
perdido…
Luiz: É vdd, é uma linha tênue,
tem d ser tratado c mto cuidado
(Prof. H) O outro MORREU
por causa do pecado… do meu pecado… do pecado de vocês!!!
Vamos deixar
com Jesus os julgamentos e a questão da liberdade, POR FAVOR!
Não somos
especialistas…
E mais,
Satanás usa minha imprudência em achar que eu seu falar de pecado para impedir
outros de sentirem o amor cristão! Por favor meninas….
Luiz: É vdd, temos mto q
aprender
(Prof. H) E, Wilma,
Sodoma e Gomorra eram sim piores que o nosso planetinha aqui…. O mundo
antediluviano também…. Leia Mateus 24. Quando a Terra se assemelhar com
aquelas épocas, é porque Jesus estará voltando, tá joia?
Luiz: O q vemos hj é só uma
“amostra gratis” do q está por vir
(Prof. H) E meu amigo
Luiz, por mais absurdo que pareça, é possível sim haver possessão de anjos maus
mesmo sem o indivíduo cometer pecados extravagantes…
“Perguntou Jesus ao pai do menino: Há quanto tempo isto
lhe sucede? Desde a infância, respondeu;
 e muitas vezes o tem
lançado no fogo e na água, para o matar; mas, se tu podes alguma coisa, tem
compaixão de nós e ajuda-nos.” (Mc 9.21,22)
Vdd Luiz…
Imagina…
uma criança! Que terrível, não?
É como eu
disse – DO PECADO SÓ SABEMOS A PRÁTICA E A ESCRAVIDÃO! Não o detalhes, os
motivos e o nível de liberdade que cada pecador possui!
No entanto,
isso NÃO abre margem para desconfiarmos da fidedignidade do Criador! Se uma
criança inocente é possuída, se uma pessoa possui hormônios que lhe prendem na
homossexualidade, ISSO É PROBLEMA PARA O ESPECIALISTA JESUS!
Como falei no
sábado, o pecador só tem que escolher – o sistema filosófico de Deus ou do
mundo?
Se entregar a
Deus ou não?
Só isso…
O resto…
vem depois!😉
Luiz: E vdd Prof não tinha
pensado nisso
Raquel: Verdade
Wilma (Dalva): Aleluia, Cristo
está voltando!!!
Dalva: Pecado+pecadinho+pecadão=PECADO
Camila: Verdade
Júlia (Rensel): Pra Tudo na
vida existe uma. Única escolha
Existe dois
caminhos
O caminho do
bem e do mal
Se Vc diz ; que
Deus Ama as pessoas independente se ela é homo ou heterossexuais e,depois Vc
diz q Deus abomina homens afeminado e mulheres com outra mulher
Vc não estaria
sendo hipócrita?
E se Vc
concorda com a tese de alguns q está falando q ser homo ou heterossexuais
As crianças já
nascem assim
Vc estará
afirmando q Deus escolhe as pessoas q ele vai gostar e as pessoas que ele vai
abominar
E não é isso!
Deus ama a
todos isso é fato
Isso é real
Isso é apenas
uma opinião minha.
Mas a escolha,
se   a pessoa vai gostar ou não de outra
do mesmo sexo é relativo.
Isso acompanha
com o desenvolvimento da criança
Isso é formado
junto com o nosso caráter
Ou vcs também
acha q as crianças nascem como pessoas más ou boas??
Isso vai com o
caráter. Isso vai com os ensinamentos q damos aos nossos filhos
Se não
mostramos as coisas erradas da vida,como eles vão saber o q é certo ou errado?
Não tenho
preconceito com pessoas q optaram por ficar com pessoas do mesmo sexo
Eu não as
condeno
É a escolha
delas
Eu tenho amigos
e amigas q curte ficar com pessoas do mesmo sexo
E os relatos
deles para min ,não foi que eles nasceram assim
Eles escolheram
ser assim
E eu amo-os sem
descriminação
Cada um com sua
opinião
(Prof. H) Boa noite
gente boa!
Aline Paixão: Boa Noiteeee! 😊
(Prof. H) Obrigado por
expor sua maneira de ver Júlia.
Júlia (Rensel): Boa noite! ☺
Almir: 1-nao existe cromossomo
gay
Quero finalizar minha
opinião sobre homossexualismo!
2- há pessoas que nascem
com uma quantidade a mais de hormônios do outro sexo
3 – independente dos
itens 1 e 2 há pessoas que decidem ser o que são! ! Não as condeno! Mas o que
posso dizer como cristão é que Cristo as ama!! E está disposto a mudar suas
vidas! !!
Dalva: A justificação tira o
crente do mundo.
A santificação tira o mundo do crente.
Só Cristo pode fazê-lo, se permitir-mos.
Bom dia, povo de Deus!
Jonathan: Nao li esse livro
ainda por estar lendo um o Espirito de Profecia. Mas quem se interessar, e
quiser se aprofundar no tema, tem uma pagina no face chamada: Fatos Incríveis.
Esse livro é de um
ex-gay, que agora é pastor da igreja adventista
Dalva: Deus nos pede obediência
primeiro para depois nos salvar.
Isso é graça.
Feliz sábado!
(Prof. H) Certo Jonathan!
Coloquei a história desse cidadão lá no blog, há uns quatro anos atrás: “Um
ex-gay não é feliz e um homossexual interior que não se assume exteriormente
não vive de verdade! São reprimidos”. Verdade?
(http://blogdoprofh.com/2011/06/17/um-ex-gay-nao-e-feliz-e-um-homossexual-interior-que-nao-se-assume-exteriormente-nao-vive-de-verdade-sao-reprimidos-verdade/)

Excelente
relato!

#ProjetoFrases no Facebook (Abril a Julho)

2/4/2015 “O homem não é a medida de todas as coisas. Deus é, e toda verdadeira educação começa e termina com Ele.” (Clinton Wahlen)
4/4/2015 “Como gotas de água formam o rio, a vida é formada pelas pequenas coisas. A vida é um rio, tranquilo, calmo e agradável, ou rio agitado, sempre lançando lama e sujeira.” (Ellen G. White)
9/4/2015 “O estudante não deve aprender pensamentos, deve aprender a pensar.” (Desconhecido)
10/4/2015 “Deliberar é tarefa de muitos. Agir é tarefa de um só.” (Charles de Gaulle)
18/4/2015 “A autoridade do darwinismo repousa sobre uma preferência filosófica e não sobre provas não-tendenciosas.” (Hugo Hoffmann)
21/4/2015 “A Bíblia dá ao verdadeiro indagador avançado exercício mental; ele sai da contemplação das coisas divinas com as faculdades enriquecidas. O próprio eu é humilhado, ao passo que Deus e Sua verdade são exaltados. É porque os homens não se acham relacionados com as verdades bíblicas, que há tanta exaltação do próprio homem, e tão pouca honra é prestada a Deus.” (Ellen G. White)
25/4/2015 “Uma fé intelectual que não tem efeito sobre nossa maneira de agir, é inútil.” (Clinton Wahlen)
28/4/2015 “Se a mente se aplica à tarefa de estudar a Bíblia, o entendimento se fortalecerá, e as faculdades de raciocínio se desenvolverão. Pelo estudo das Escrituras a mente se dilata, e torna-se mais bem equilibrada do que se ocupando em obter conhecimentos de livros que não têm nenhuma ligação com a Bíblia.” (Ellen G. White)
1/5/2015 “A lascívia obscurece e torce a verdadeira masculinidade e feminilidade de maneira nociva. Transforma o desejo bom de um homem de conquista em captura e usufruto, bem como todo o desejo bom de uma mulher de ser linda em sedução e manipulação. Geralmente, parece que homens e mulheres são tentados pela lascívia de duas maneiras singulares: os homens são tentados pelos prazeres que a lascívia oferece, enquanto as mulheres são tentadas pelo poder [de controle e manipulação] que a lascívia promete.” (Joshua Harris)
7/5/2015 “Antes de se preocupar em produzir bons frutos, você deve se certificar de que já é uma boa árvore.” (Prof. H)
24/5/2015 “As pessoas tiram da vida exatamente o que investiram nela.” (Joy Adamson)
2/6/2015 “Precisamos ser cuidadosos não só com o que dizemos aos outros, mas com nossa maneira de interpretar o que outros nos dizem.” (Jacques Doukhan)
4/6/2015 “No juízo, os homens não serão condenados porque creram conscienciosamente na mentira, mas porque não acreditaram na verdade, porque negligenciaram a oportunidade de aprender o que é a verdade.” (Ellen G. White)
20/6/2015 “O fraco poderá lutar e vencer; perdoar, nunca.” (Joseph Addison)
27/6/2015 “Não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas a VERDADE. A liberdade não é um fim, mas uma consequência.” (Leon Tolstói)
“A maioria das pessoas não quer realmente a liberdade, pois liberdade envolve responsabilidade e a maioria das pessoas tem medo de responsabilidade.” (Sigmund Freud)
“A liberdade não consiste só em seguir sempre a sua vontade, mas às vezes também em fugir dela.” (Kobo Abe)
4/7/2015 “Um grande nome entre os homens é como letras traçadas na areia; mas um caráter impoluto é de duração eterna.” (Ellen G. White)
19/7/2015 “Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor.” (Paulo Freire)
23/7/2015 “Nosso conhecimento de Jesus nunca deve ser de segunda mão. Podemos conhecer todas as opiniões dadas sobre Jesus; podemos conhecer toda a Cristologia já formulada por mentes humanas; podemos ser capazes de dar um resumo abalizado do que todos os grandes pensadores e teólogos já ensinaram sobre Cristo – e mesmo assim não ser cristãos. O cristianismo nunca consiste em saber sobre Jesus; sempre consiste em conhecer Jesus. Cristo sempre exige um veredito pessoal. Ele não perguntou apenas a Pedro, mas pergunta a cada um de nós: ‘Você – o que você pensa de Mim?’” (William Barclay)
25/7/2015 “Há dois tipos de pessoas: as que têm medo de perder Deus e as que têm medo de O encontrar.” (Blaise Pascal)
Mais sementes:

“Blog do prof. H” no #WhatsApp (Desafio)

Solução do Desafio do Talisson:
Chamemos,
M: maridão
E: esposa
F: filha
Do enunciado, temos o sistema linear:

Tudo bem até aqui gente? Pois bem.
Vamos trabalhar com a 3ª equação:
M
+ E + F = 100.
Antes, porém,
raciocinemos juntos:
Se M = E + 10, então, M = 2F +
10, de modo que aquela equação pode ser traduzida como
(2F+10) + (2F) + F =
100,
donde vem,
5F + 10 = 100
5F = 90
F = 18.
Isto quer dizer que,
E = 2×18 = 36, e
M = 36 + 10 = 46,
ou seja, o maridão tem 46 anos de
idade, a esposa 36 anos e a filha 18 anos.
(Desafio enviado para o Grupo: Blog do prof. H no WhatsApp. Quer participar de nossos estudos? Clique AQUI!)

Fé verdadeira e verdadeira Ciência sempre foram lados diferentes de um mesma página da história da humanidade!

1. Nicolau Copérnico (1473-1543)
Copérnico foi o astrônomo polonês que propôs o primeiro sistema de planetas matematicamente baseado ao redor do sol. Ele lecionou em várias universidades européias, e tornou-se um cônego da igreja Católica em 1497. Seu novo sistema foi apresentado realmente pela primeira vez nos jardins do Vaticano, em 1533, ao Papa Clemente VII, que o aprovou, e Copérnico foi encorajado a publicá-lo sem demoras. Copérnico nunca esteve sob qualquer ameaça de perseguição religiosa – e ele foi encorajado a publicar a sua obra tanto pelo Bispo Católico Guise, como também pelo Cardeal Schonberg e pelo Professor Protestante George Rheticus. Copérnico se referia às vezes a Deus em suas obras, e não via seu sistema como em conflito com a Bíblia.

2. Johannes Kepler (1571-1630)
Kepler foi um brilhante matemático e astrônomo. Ele primeiramente trabalhou com a luz, e estabeleceu as leis do movimento planetário em torno do sol. Ele também chegou perto de atingir o conceito Newtoniano da gravidade universal – bem antes de Newton nascer! Sua introdução da idéia de força na astronomia, a mudou radicalmente numa direção moderna. Kepler era um luterano extremamente sincero e piedoso, cujas obras sobre a astronomia continham escritos sobre como o espaço e os corpos celestiais representam a Trindade. Kleper não sofreu perseguição por causa de sua aberta confissão de um sistema heliocêntrico, e, deveras, foi lhe permitido, mesmo sendo um protestante, permanecer na Universidade Católica de Graz como um professor (1595-1600), quando outros protestantes tinham sido expulsos!

3. Galileu Galilei (1564-1642)
Galileu é freqüentemente lembrado por seu conflito com a Igreja Católica Romana. Sua obra controversa sobre o sistema solar foi publicada em 1663. Ela não tinha provas de um sistema solar heliocêntrico (as descobertas do telescópio de Galileu não indicavam uma terra em movimento), e sua única “prova”, baseada sobre as marés, era inválida. Ela ignorou as órbitas elípticas corretas dos planetas, publicadas há vinte e cinco anos atrás, por Kepler. Visto que sua obra acabou colocando o argumento favorito do Papa na boca do tolo no diálogo, o Papa (um velho amigo de Galileu) ficou muito ofendido. Após o “teste” e, tendo sido proibido de ensinar o sistema heliocêntrico, Galileu fez sua obra teórica mais útil, que foi sobre dinâmica. Galileu disse expressamente que a Bíblia não podia errar, ele viu seu sistema relacionado ao assunto de como a Bíblia deve ser interpretada.

4. René Descartes (1596-1650)
Descartes foi um matemático, cientista e filósofo francês, que tem sido chamado o pai da filosofia moderna. Seus estudos escolares fizeram com que ele ficasse insatisfeito com a filosofia precedente: Ele tinha uma profunda fé religiosa como um Católico, que ele reteve até o dia de sua morte, junto com desejo resoluto e apaixonado de descobrir a verdade. Aos 24 anos de idade teve um sonho, e sentiu o chamado vocacional para buscar trazer o conhecimento num único sistema de pensamento. Seu sistema começou perguntando o que se pode ser conhecido, se tudo mais for duvidoso – sugerindo o famoso “Penso, logo existo”. Realmente, é freqüentemente esquecido que o próximo passo para Descartes foi estabelecer a mais próxima certeza da existência de Deus – porque somente se Deus existe e não queira que sejamos enganados pelas nossas experiências, podemos confiar em nossos sentidos e processos lógicos de pensamento. Deus é, portanto, central em toda a sua filosofia. O que ele realmente queira, era ver sua filosofia adotada como padrão do ensino Católico. René Descartes e Francis Bacon (1561-1626) são geralmente considerados como as figuras-chave no desenvolvimento da metodologia científica. Ambos tinham sistemas nos quais Deus era importante, e ambos pareciam mais devotos do que o normal para a sua era.


5. Isaac Newton (1642-1727)
Na ótica, mecânica e matemática, Newton foi uma figura de gênio e inovação indisputável. Em toda sua ciência (incluindo a química), ele viu a matemática e os números como centrais. O que é menos conhecido é que ele foi devotamente religioso e via os números como envolvidos no entendimento do plano de Deus, na Bíblia, para a história. Ele produziu uma grande quantia de trabalho sobre numerologia bíblica, e, embora alguns aspectos de suas crenças não fossem ortodoxos, ele estimava a teologia como muito importante. Em seu sistema de física, Deus é essencial para a natureza e a perfeição do espaço. Em Principia ele declarou: “Este magnífico sistema do sol, planetas e cometas, poderia proceder somente do conselho e domínio de um Ser inteligente e poderoso. E, se as estrelas fixas são os centros de outros sistemas similares, estes, sendo formados pelo mesmo conselho sábio, devem estar todos sujeitos ao domínio de Alguém; especialmente visto que a luz das estrelas fixas é da mesma natureza que a luz do sol e que a luz passa de cada sistema para todos os outros sistemas: e para que os sistemas das estrelas fixas não caiam, devido à sua gravidade, uns sobre os outros, Ele colocou esses sistemas a imensas distâncias entre si.”.

6. Robert Boyle (1791-1867)
Um dos fundadores e um dos primeiros membro-chave da Sociedade Real, Boyle deu seu nome à “Lei de Boyle” para os gases, e também escreveu uma obra importante sobre química. A Enciclopédia Britânica diz dele: “Por sua vontade ele doou uma série de leituras, ou sermões, que ainda continuam, para defender a religião Cristã contra os infiéis notórios…Como um Protestante devoto, Boyle teve um interesse especial na promoção da religião Cristã no exterior, dando dinheiro para traduzir e publicar o Novo Testamento para o irlandês e turco. Em 1690, ele desenvolveu suas visões teológicas no The Christian Virtuoso (O Cristão Virtuoso), que ele escreveu para mostrar que o estudo da natureza era um dever religioso central”. Boyle escreveu contra os ateus em seus dias (a noção de que o ateísmo é uma invenção moderna é um mito), e foi claramente um Cristão muito mais devoto do que a maioria em sua época.

7. Michael Faraday (1791-1867)
O filho de um ferreiro que se tornou um dos maiores cientistas do século XIX. Sua obra sobre a eletricidade e magnetismo não somente revolucionou a física, mas conduziu à muitas coisas que fazem parte do nosso estilo de vida hoje, as quais dependem dela (incluindo computadores, linhas de telefone e web sites). Faraday foi um Cristão devoto, membro do Sandemanianismo [Nota do tradutor: seita cristã fundada em aproximadamente 1730, na Escócia, por John Glas (1695-1773), um ministro presbiteriano da Igreja da Escócia, juntamente com o seu genro, Robert Sanderman, de quem é derivado o nome da seita], o que significativamente o influenciou e fortemente afetou a maneira na qual ele se aproximou e interpretou a natureza. Os Sandemanianos se originaram dos presbiterianos que rejeitaram a idéia de igrejas estatais, e tentaram voltar ao tipo de Cristianismo do Novo Testamento.

8. Gregor Mendel (1822-1884)
Mendel foi o primeiro a lançar os fundamentos matemáticos da genética, o qual veio a ser chamado “Mendelianismo”. Ele começou sua pesquisa em 1856 (três anos antes de Darwin publicou sua Origens das Espécies) no jardim do Monastério no qual ele era um monge. Mendel foi eleito Abade de seu Monastério em 1868. Sua obra permaneceu comparativamente desconhecida até a virada do século, quando uma nova geração de botânicos começaram a achar resultados similares e a “redescobri-lo” (embora suas idéias não fossem idênticas às suas). Um ponto interessante é que 1860 foi a década da formação do X-Clube, dedicado à diminuição das influências religiosas e propagação de uma imagem de “conflito” entre ciência e religião. Um simpatizante foi Francis Galton, primo de Darwin, cujo interesse científico estava na genética (um proponente da eugenia – aperfeiçoamento da raça humana para “melhorar” o estoque). Ele estava escrevendo sobre como a “mente sacerdotal” não era propícia à ciência, enquanto que, quase ao mesmo tempo, um monge australiano estava dando um santo inovador na genética. A redescoberta da obra de Mendel veio tarde demais para afetar a contribuição de Galton.

9. Kelvin (William Thompson) (1824-1907)
Kelvin foi o primeiro dentre um pequeno grupo de cientistas britânicos que ajudaram a lançar os fundamentos da física moderna. Sua obra cobriu várias áreas da física, e é dito ele ter mais cartas com o seu nome do que qualquer outra pessoa na Comunidade Britânica, visto que ele recebeu numerosos graus de honorários das Universidades Européias, que reconheceram o valor de sua obra. Ele foi um Cristão muito comprometido, certamente mais religioso que a maioria de sua época. Interessantemente, seus companheiros físicos, George Gabriel Stokes (1819-1903) e James Clerk Maxwell (1831-1879), foram também homens de profundo comprometimento Cristão, numa era quando muitos eram Cristãos nominais e apáticos, ou simplesmente anti-Cristãos. A Enciclopédia Britânica diz: “Maxwell é considerado por muitos dos físicos modernos como o cientista do século XIX que teve a maior influência sobre os físicos do século XX; ele é posto ao lado de Sir Isaac Newton e Albert Einstein, por causa da natureza fundamental de suas contribuições”. Lord Kelvin foi um criacionista da Terra antiga, que estimava a idade da Terra como sendo algo entre 20 milhões e 100 milhões de anos, com um limite máximo de 500 milhões, baseado nas taxas refrescantes.

10. Max Planck (1858-1947)
Planck fez muitas contribuições para a física, mas é mais conhecido pela teoria quantum, a qual tem revolucionado nosso entendimento dos mundos atômicos e sub-atômicos. Em sua palestra “Religião e Ciência Natural”, Planck expressou a visão de que Deus está presente em todos os lugares, e sustentou que “a santidade da Deidade inteligível é transmitida pela santidade de símbolos”. Os ateus, ele pensava, dão muita atenção ao que são meramente símbolos. Planck foi um representante da igreja de 1920 até a sua morte, e cria num Deus todo-poderoso, onisciente e beneficente (embora não necessariamente um Deus pessoal). Tanto a ciência como a religião travaram uma “incansável batalha contra o ceticismo e dogmatismo, contra a incredulidade e a superstição”, com o objetivo “direcionado para Deus!”

11. Albert Einstein (1879-1955)
Einstein é provavelmente o cientista mais conhecido e mais altamente reverenciado do século XX, e está associado com as maiores revoluções em nosso pensamento sobre tempo, gravidade e a conversão de matéria em energia (E=mc2). Embora nunca tenha chegado a crer num Deus pessoal, ele reconheceu a impossibilidade de um universo não-criado. A Enciclopédia Britânica diz dele: ‘Firmemente negando o ateísmo, Einstein expressou uma crença no “Deus de Espinoza, que se revela na harmonia do que existe'”. Isto realmente motivou seu interesse na ciência, como ele certa vez afirmou a um jovem físico: “Eu não sei como Deus criou este mundo, eu não estou interessado neste ou naquele fenômeno, no espectro deste ou daquele elemento. Eu quero conhecer os Seus pensamentos, o resto são detalhes”. O famoso epíteto de Einsten sobre o “princípio da incerteza” era que “Deus não joga dados” – e para ele esta foi uma real declaração sobre um Deus em quem ele cria. Uma das suas afirmações famosas é: “Ciência sem religião é coxa, religião sem ciência é cega”.
Fonte: Richard L. Deem.
12. O inglês John Flamsteed (1646-1719), criador do primeiro catálogo de estrelas moderno, era um cristão fervoroso. Suas obervações feitas do observatório de Flamsteed em Greenwich se tornaram o modelo para todos os catálogos de estrelas que se seguiriam e, inclusive, os mapas globais continuam a usar Greenwich, Inglaterra, como seu meridiano principal. O catálogo de Flamsteed continha observações para quase 3 mil estrelas.
13. O pastor inglês Stephen Hales (1677-1761) foi o primeiro a levar os métodos da Fìsica para a Biologia. Ele é considerado um dos maiores fisiologistas, químicos e inventores do mundo. Foi ele quem fez a primeira medição quantitativa da pressão sanguínea. Foram seus experimentos que proporcionaram a criação dos instrumentos usados até hoje para medir a pressão arterial. Foi Hales também o primeiro a afirmar e provar que as plantas absorviam ar pelas suas folhas, convertendo-o em substâncias sólidas. Ele também descobriu que as folhas processavam a luz para uso da planta. Escreveu Hales: “Quanto mais pesquisas fazemos nesse admirável cenário de coisas, mais beleza e harmonia vemos nelas; e mais forte e nítida são as convicções que elas nos dão do ser, do poder e da sabedoria do Arquiteto divino“.
14. O quaker americano John Bartram (1699-1777), um dos maiores botânicos da História, foi quem explorou as florestas americanas pela primeira vez, classificando praticamente todas as plantas existentes à época no país. Ele também foi quem hibridizou, pela primeira vez, plantas que dão flores, em 1739.
15. O pastor inglês John Mitchell (1724-1793) é considerado “O pai da Sismologia” e o primeiro a considerar a existência de buracos negros, isso cerca de 200 anos antes destes serem descobertos. Além de fazer medições sensíveis da atividade abaixo da superfície da Terra, ele organizou o primeiro experimento laboratorial para medir a força da gravidade.
16. William Herschel (1738-1822), descobridor do planeta Urano, está entre os maiores astrônomos da História. Ele construiu o maior telescópio de sua época e foi o primeiro a identificar sistemas estelares binários e que o nosso sistema solar está localizado dentro e na periferia da Via Láctea. É considerado o fundador da Astronomia Sideral. Herschel era um cristão fiel a Deus, nunca faltando aos cultos em sua igreja, onde participava também sempre tocando órgão durante os hinos. Dizia ele: “O astrônomo não devoto a Deus deve ser louco“.
17. O francês Georges Cuvier (1769-1832), fundador dos estudos da Paleontologia e Anatomia Comparativa, foi, por exemplo, o homem que primeiro dividiu os seres vivos em quatro categorias: vertebrados, moluscos, articulados e radiados. Luterano e cristão apaixonado pela Bíblia, ele realizou estudos que comprovaram que o Dilúvio Bíblico, dos dias de Noé, realmente aconteceu. Cuvier foi forte opositor do Darwinismo, ensinando que cada espécie havia sido especialmente criada por Deus e que cada órgão tinha um propósito exclusivo para aquela criatura.
18. O americano Samuel Morse (1791-1872), inventor do telégrafo, era outro cristão fervoroso. Ele dedicou a maior parte de suas finanças à obra missionária e à manutenção de escolas para pastores. No final de sua vida, afirmou: “Quanto mais me aproximo do final de minha peregrinação, mais clara é a evidência da origem divina da Bíblia, o esplendor e a sublimidade da solução de Deus para o homem caído são mais apreciados, e o futuro é iluminado com esperança e alegria“.
19. O apologista cristão Charles Babbage (1792-1971), criador do computador, era um matemático e inventor com idéias tão avançadas para a época que o governo britânico inicialmente recusou apoiá-lo por não compreendê-las. Babbage criou não só o primeiro computador automático com armazenamento e recuperação de informações, inclusive com a capacidade de tabular números com até 20 casas decimais, como também criou o primeiro velocímetro e o princípio do motor analítico. Babbage se notabilizou também por sua série de escritos em defesa da fé cristã e dos milagres da Bíblia. Ele elaborou uma análise matemática dos milagres bíblicos para a série apologética Tratados de Bridgewaters.
20. O escocês Charles Bells (1774-1842) foi o primeiro homem a mapear extensivamente o cérebro e o sistema nervoso. Ele foi o maior anatomista de sua época e um dos maiores da História. Foi Bell quem descobriu as diferentes funções dos feixes do nervo sensorial e motor. Ele era um cristão fervoroso que escreveu livros e artigos demonstrando que as coisas criadas refletiam a glória de Deus.
21. O suíço naturalizado americano Louis Agassiz (1807-1873), considerado “O Pai da Ciência Glacial”, era cristão fervoroso. Seu pai foi o último de uma longa sequência de pastores huguenotes. Suas contribuições na área de Zoologia e Geologia ajudaram a estabelecer o que ficou conhecido como nova ciência da Paleontologia. Sua classificação extensiva de peixes vivos e fósseis superou em grande escala o trabalho de todos antes dele. Agassiz chamava cada planta e cada espécie de animal de “fruto do pensamento de Deus”. E mais: ele rejeitou contundentemente o Darwinismo desde o seu nascedouro. Ele dizia que as semelhanças entre as coisas vivas não eram uma evidência da evolução, mas “associações de idéias na mente de Deus”.
22. O austríaco George Mendel (1822-1884), considerado “O Pai da Genética”, era um monge cristão que se opôs ao Darwinismo.
Fonte: Richardson.

Mosca com “tatuagem” impressiona (e cala) cientistas

Representante da espécie Goniurellia
tridens, ela tem uma característica incrível: suas asas apresentam “manchas” que lembram duas formigas ao seu lado. De acordo com os cientistas, essa manobra dos genes [sic] é realizada para garantir sua sobrevivência, afastando predadores. As “manchas”, de acordo com os cientistas, contêm uma grande riqueza de detalhes, bem como seis patas, duas antenas, cabeça, tórax e abdômen. O site The Nacional informou ainda que essa família possui mais de cinco mil espécies, mas apenas esta possui essa característica adaptativa. Nenhum biólogo comentou sobre qual processo poderia ter levado a esse tipo de adaptação.
Porém, a pesquisadora Brigitte Howarth, da Universidade de Zayed, responsável pela descoberta, comentou que ao bater as asas a imagem formada lembra formigas. Nesse momento, o predador fica na dúvida se é uma formiga ou uma mosca e desiste de atacar, o que garante sua sobrevivência.

Nota: Por que os biólogos (evolucionistas) não se atreveram a dizer, como sempre, que as pinturas das formigas são resultado de mutações casuais filtradas pela seleção natural? Por que não disseram, como sempre, que o que vemos nas asas da mosca é fruto da evolução cega? Simplesmente porque não poderiam dizer isso sem se exporem ao ridículo. Ali há informação complexa. Arte elaborada – e duplicada! Como explicar isso? Como criacionista, eu poderia arriscar uma explicação: o Criador teria dotado esse ser vivo (e muitos outros) de características que os ajudariam a se defender num mundo pós-pecado, em que, infelizmente, haveria predadores e predados. É claro que é difícil testar uma hipótese como essa, mas, tirando a ideia de um design inteligente, o que resta? (Michelson Borges)