A nova teoria evolucionista (Síntese Evolutiva Ampliada/Estendida) é Design Inteligente disfarçado???

O principal problema que a nova teoria geral da evolução – a Síntese Evolutiva Ampliada/Estendida (SEA) cria para o Darwinismo, é que o processo evolucionário ocorre de muitas maneiras diferentes, não apenas a la Darwin:
“Por contraste, a SEA considera o genoma como um subsistema de célula planejado pela evolução para detectar e responder aos sinais que incidem sobre ela. Os organismos não são construídos somente a partir de ‘instruções’ genéticas, mas antes eles se auto organizam usando uma ampla variedade de recursos interdependentes.” p. 6
“By contrast, the EES regards the genome as a sub-system of the cell designed by evolution to sense and respond to the signals that impinge on it. Organisms are not built from genetic ‘instructions’ alone, but rather self-assemble using a broad variety of inter-dependent resources.” p. 6
É com o parágrafo acima destacado que fundamentamos este pequeno artigo e perguntamos, pois perguntar não ofende, especialmente em ciência, e muito mais especialmente em se tratando de área científica que se propõe explicar a história evolucionária da diversidade e complexidade da vida na Terra:
1. “planejado pela evolução”? Mas a evolução não era um processo cego, aleatório, sem objetivos a favor ou contra as coisas biológicas? Ou é o reconhecimento de que o planejamento/design intencional é tão óbvio que os evolucionistas não têm mais como escapar disso. Gente, alguém me belisque, mas o Darwin não tinha eliminado o design intencional em biologia? Richard Dawkins não afirmou que o design era uma ilusão?
2. “planejado pela evolução para detectar e responder aos sinais que incidem sobre ela”. Gente, alguém me belisque, mas a linguagem teórica aqui é puramente TELEOLÓGICA. 100% Design Inteligente. Muito obrigado, turma da SEA!
3. “auto organizam”. A ontogenia não é um processo de montagem das partes. Aristóteles chamou este processo de “epigênese” há 2.500 anos atrás. Dizem que Aristóteles já era, mas quem disse que suas ideias biológicas estavam ultrapassadas?
4. “…eles se auto organizam usando uma ampla variedade de recursos interdependentes”. Gente, alguém me belisque de novo, mas isso parece muito com complexidade irredutível do Michael Behe, aquele do livro A Caixa Preta de Darwin, e tem grandes implicações teleológicas. 
NOTA BENE – a célula (ou o organismo que está sendo formado) “usa uma ampla variedade de recursos” a fim de… Gente, me belisquem de novo, mas forma é a CAUSA FINAL do processo teleológico! Argh, como diria Darwin, isso é como cometer um assassinato! Teleologia aristotélica pura! 100% Design Inteligente!
Nós, teóricos e defensores da teoria do Design Inteligente (TDI), agradecemos profundamente a Kevin N. Laland, Tobias Uller, Marcus W. Feldman, Kim Sterelny, Gerd B. Müller, Armin Moczek, Eva Jablonka e John Odling-Smee, por terem deixado bem evidente, com todas as letras, quão evidente são a TELEOLOGIA e o DESIGN na biologia. 
Uma advertência: Os teóricos evolucionistas que elaboraram a Síntese Evolutiva Ampliada/Estendida vão ter muito que se explicar com a Nomenklatura científica… Eles vão ser hostilizados pela Galera dos meninos e meninas de Darwin! Sejam bem-vindos, nós da TDI sabemos o que é ser hostilizado…
Fui, nem sei por que, rindo da cara de muitos cientistas da Nomenklatura científica e da Galera dos meninos e meninas de Darwin, pois afirmei neste blog que se a SEA não incorporasse a questão de informação, um dos pilares fundamentais da TDI, ela seria uma teoria científica natimorta! Gente, alguém me belisque novamente – a turma da SEA foi além – incorporou TELEOLOGIA e DESIGN! Dois aspectos fundamentais no arcabouço teórico da TDI! Estarei eu sonhando ou lendo além do que está sendo proposto pelos teóricos da SEA?

Compartilhe via WhatsApp (ou outros meios):




Deixe uma resposta