Bruxas ou Bíblia?

A maior propaganda da Bíblia parece ser uma vida em harmonia com ela. Halloween é forte, principalmente porque o espírito de reformadores, como Lutero, hoje é fraco. Na falta de seguidores fieis e equilibrados da Bíblia, o povo prefere bruxas, doces e travessuras no 31 de outubro

A maior propaganda da Bíblia parece ser uma vida em harmonia com ela. Halloween é forte, principalmente porque o espírito de reformadores, como Lutero, hoje é fraco. Na falta de seguidores fieis e equilibrados da Bíblia, o povo prefere bruxas, doces e travessuras no 31 de outubro

Doces ou travessuras? É a pergunta tradicional feita há muitos anos por crianças em várias partes do mundo, inclusive em alguns lugares do Brasil, no tal Halloween ou Dia das Bruxas, que é lembrado no 31 de outubro. Não se sabe bem a origem da data, mas tem a ver com cultos pagãos da antiga Europa e com tradições que conduzem ao Dia dos Mortos. Pessoas, sobretudo os pequenos, saem de casa fantasiadas de bruxas ou bruxos, ou mesmo de monstros, em uma estranha honra ou reconhecimento a algo que talvez nem entendam exatamente do que se trata.  Continue Reading…

A ideologia da destruição dos gêneros

Experimente pensar diferente do atual zeitgeist, expressar sua opinião e dizer de forma “politicamente incorreta” que Deus criou homem e mulher, e aí você verá para onde vai sua liberdade...

Experimente pensar diferente do atual zeitgeist, expressar sua opinião e dizer de forma “politicamente incorreta” que Deus criou homem e mulher, e aí você verá para onde vai sua liberdade…

Em Gênesis 1:27, está escrito: “Criou Deus o homem à Sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Em Mateus 19:4, Jesus reafirma essa verdade: “Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher.” Biblicamente falando, existem apenas dois gêneros: feminino e masculino; mulher e homem. Foi assim no princípio e era para ter sido sempre assim. Aliás, muitas outras coisas eram para sempre ter sido do jeito que foram criadas, mas o inimigo de Deus, com inveja satânica, viu a pintura fresca da criação divina e passou a mão sobre a tela, borrando as cores antes tão belas e harmoniosas. E tudo virou uma confusão só! Meninos e meninas estão sendo transformados em meninix. Homens estão se afeminando cada vez mais e mulheres se masculinizando. Os papeis estão sendo trocados e poucos admitem que está havendo confusão nesse processo. O casamento, antes a união entre um homem e uma mulher sob as bênçãos de Deus, está sendo transformado na união entre duas ou mais pessoas à revelia da vontade de Deus. E a aceitação desse estado de coisas é crescente porque a propaganda é intensa, atingindo especialmente os mais vulneráveis a ela: as crianças. Continue Reading…

Humanos evoluíram para ser maus??

Então, pecado não existe...

                  Então, pecado não existe…

Os humanos modernos (Homo sapiens) evoluíram com uma propensão para matar uns aos outros seis vezes maior do que a média dos mamíferos, herança de nossos [supostos] antepassados primatas que eram tão violentos quanto nós. A conclusão é de um estudo de biologia evolucionária que procurou desvendar as raízes da violência interpessoal na nossa espécie, numa tentativa de responder à antiga questão se ela é fruto de nossa natureza, conforme proposto pelo filósofo britânico Thomas Hobbes em meados do século XVII, ou do ambiente em que fomos criados, como sugeriu o também filósofo franco-genovês Jean-Jacques Rousseau aproximadamente cem anos depois. No estudo liderado por José María Gómez, da Estação Experimental de Zonas Áridas em Almería, Espanha, e publicado na edição desta quarta-feira [28/9/2016] da prestigiada revista científica Nature, os pesquisadores coletaram dados de mais de quatro milhões de mortes entre 1.024 espécies de mamíferos atuais, representando cerca de 80% das famílias dentro dessa classe de animais, assim como em mais de 600 populações humanas espalhadas pela Terra entre 50 mil anos atrás até hoje. Eles então analisaram essas informações em busca da proporção das mortes provocadas por integrantes da mesma espécie – o que entre os humanos incluiu episódios de guerra, homicídios, infanticídios, execuções e outros tipos de violência intencional. Continue Reading…

Richard Dawkins, o naturalismo e as formas de abuso infantil!

Há esperança no naturalismo??

Há esperança no naturalismo??

Quem nunca ficou incomodado com as muitas histórias de abuso infantil? O que torna essas tristes sagas ainda piores é que aqueles a quem as crianças são confiadas -professores, padres, pastores – violam essa confiança ao abusarem, muitas vezes sexualmente, dos que lhes foram confiados. Só Deus e os anjos sabem o quão sórdidos são os livros de registro do Céu com a listagem desses pecados ultrajantes. Infelizmente, nos últimos anos novas alegações de “abuso infantil” surgiram. Que abuso? Bom, trata-se do ensino de religião às crianças. O biólogo evolucionista Richard Dawkins, entre outros, já disse que os ensinos de doutrina religiosa, em particular sobre o julgamento e o inferno de fogo são, de fato, formas de “abuso infantil”. Veja, não estou defendendo tudo o que é ensinado às crianças sobre religião, e certamente também não o entendimento comum do inferno como tormento eterno. Claro que não. Como Ellen White disse: “Está além do poder do espírito humano avaliar o mal que tem sido feito pela heresia do tormento eterno. […] As opiniões aterrorizadoras acerca de Deus, que pelos ensinos do púlpito são espalhadas pelo mundo têm feito milhares, e mesmo milhões de céticos e incrédulos” (O Grande Conflito, p. 536). Continue Reading…