Catálogo de virtudes (fruto do Espírito e a lista de Pedro)

As virtudes não são naturais ao ser humano. Por isso, com a graça de Deus, precisamos fazer nossa parte para ter uma vida piedosa

Listar as virtudes era algo comum entre os filósofos da Antiguidade. Essas listas eram, muitas vezes, chamadas de “catálogo de virtudes”, e há vários exemplos delas no Novo Testamento (Rm 5:3-5; Tg 1:3, 4; Gl 5:22, 23). É bem provável que os leitores de Pedro estivessem familiarizados com tais listas, embora houvesse diferenças interessantes entre as listas dos filósofos e a do apóstolo. Intencionalmente, Pedro organizou sua lista em uma sequência, de maneira que cada virtude serve de base para a posterior, até que a lista culmina no amor.

Cada virtude mencionada por ele tem um significado importante:

Fé: Nesse contexto, a fé era a crença salvífica em Jesus Cristo (veja Gl 3:11; Hb 10:38).

Virtude: No grego arête, virtude é qualquer boa qualidade, anunciada mesmo entre os filósofos pagãos. A fé é fundamental, mas deve levar a uma transformação de vida, na qual a virtude é expressa.

Conhecimento: Com certeza, Pedro não estava se referindo ao conhecimento em geral, mas àquele que vem de um relacionamento salvífico com Cristo Jesus.

Temperança/Domínio próprio: Cristãos maduros são capazes de controlar seus impulsos, especialmente aqueles que levam a excessos.

Paciência/Perseverança: É resistir, especialmente diante das provações e perseguições.

Piedade: No mundo pagão, a palavra traduzida nessa passagem como “piedade” referia-se ao comportamento ético que resultava da crença em um deus. No Novo Testamento, ela carregava também esse mesmo conceito, porém, como resultado da crença no único e verdadeiro Deus (1Tm 2:2, 3).

Fraternidade: Os cristãos são como uma família, e a piedade os levará a ser fraternos uns com os outros.

Amor: Pedro coroou sua lista com o amor. Suas palavras se assemelham às de Paulo: “Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor” (1Co 13:13, NVI).

Qual é o papel do esforço humano para alcançar essas virtudes? (2Pe 1:5) Assinale a alternativa correta:

A.( ) As virtudes são inerentes ao ser humano. Não é necessário fazer nenhum esforço para ter uma vida piedosa e fiel.

B.( ) As virtudes não são naturais ao ser humano. Por isso, com a graça de Deus, precisamos fazer nossa parte para ter uma vida piedosa.

Fonte: Robert MclIver via LES (22/5/2017) da CPB.

Hendrickson Rogers

Oi, como vai? Então, o "prof. H" é professor de Matemática há 17 anos, mestre em Ensino de Matemática no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal de Alagoas, especialista em Educação Matemática e especialista em Educação a Distância. Meu nome de fato é Hendrickson Rogers e o que me define não está supracitado. Sou um guerreiro nas fileiras do Rei Jesus Cristo e minha maior motivação é Sua promessa de retorno, recriação e vida eterna sem pecado e dor! Tudo o que faço gira em torno de meu Criador e Seus ensinamentos. A família, a educação matemática e a ciência (e tudo o mais) são oportunidades de honrá-Lo e evidenciá-Lo, até que Ele mesmo prove Sua existência! Prazer! Seja muito bem vindo(a)! Vamos calibrar sua cosmovisão poderosamente =D

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: