Por que o darwinismo é falso (parte 2 de 3)

Embriões – A teoria evolucionária precisa de melhor evidência que o registro possa fornecer. Coyne destaca corretamente: “Quando escreveu A Origem das Espécies, Darwin considerou a embriologia a evidência mais forte a favor da evolução.” Darwin tinha escrito que a evidência parecia mostrar que “os embriões das mais distintas espécies pertencentes à mesma classe são mais aproximadamente similares, mas se tornam, quando plenamente desenvolvidos, amplamente dissimilares”, um padrão que “revela a comunidade da descendência”. Na verdade, Darwin pensou que os embriões no estágio inicial “nos mostram, mais ou menos completamente, a condição do progenitor de todo o grupo no seu estado adulto”[15] Continue Reading…

O que é a Teoria do Design Inteligente?

Esse método tem sido usado para detectar complexidade irredutível em diversos sistemas bioquímicos, tais como o flagelo bacteriano. Além disso, quanto mais descobrimos sobre a célula, mais estamos aprendendo que ela funciona como uma fábrica em miniatura, repleta de motores, usinas elétricas, trituradores de lixo, pontos de identificação, corredores de transporte e, mais importante de tudo, CPUs

Muitos têm perguntando: “Mas, afinal, o que é a TDI?” O Teoria do Design Inteligente (TDI) é uma teoria científica que emprega os métodos comumente usados por outras ciências históricas para concluir que muitas características do Universo e dos seres vivos são mais comumente explicadas por uma causa inteligente, não por um processo não guiado como a seleção natural. Os teóricos da TDI argumentam que o designpode ser inferido estudando-se as propriedades informacionais dos objetos naturais para determinar se eles portam o tipo de informação que, em nossa experiência, se originam de uma causa inteligente. A forma de informação que observamos é produzida por uma ação inteligente, e assim indica seguramente o design, que é geralmente verificado por características como a “complexidade especificada” ou a “informação complexa e especificada” (ICE). Um objeto ou evento é complexo se ele for improvável, e especificado se corresponder a algum padrão independente Continue Reading…

Dez evidências de que Deus existe

  1.           Do nada poderia vir alguma coisa?

    O universo não deveria existir

De acordo com alguns estudos, o universo não deveria ter sobrevivido mais do que um segundo. Por exemplo, o Big Bang deveria ter produzido quantidades iguais de matéria e antimatéria, cancelando-se mutuamente. Em vez disso, um pouco mais de matéria foi produzida, criando todo o universo observável. Nós, definitivamente, não podemos explicar por que isso aconteceu. Em outra teoria, o universo está no campo de Higgs, que dá às partículas suas massas. Um grande campo de energia impede que nosso universo caia no “vale”, um campo mais profundo, onde não poderia existir. No entanto, se o modelo padrão da física está correto, uma rápida expansão do universo imediatamente após o Big Bang deveria ter movido o universo para o vale. Isso o teria destruído antes que ele tivesse um segundo de idade. Continue Reading…

Jejum faz as células se comerem e renova o organismo

        Ohsumi ganhou o Nobel de medicina

Não é dieta ou regime. Os cientistas estão pesquisando como o jejum ou o corte radical de calorias pode promover o aumento da expectativa de vida. A alimentação equilibrada e rica em nutrientes é fundamental para uma boa saúde. Porém, já é sabido que a privação de alimentos de forma controlada pode ativar mecanismos de autodefesa das células que garantem a elas maior longevidade. É isso que se traduz em benefícios para todo o organismo. Tudo por causa da autofagia. Ela é um mecanismo importante de autolimpeza que existe em todas as células de nosso corpo. Os genes que regulam essa reciclagem de organelas velhas ou malformadas foram identificados por Yoshinori Ohsumi, ganhador do Nobel de medicina deste ano. A redução da autofagia leva ao acúmulo de componentes danificados, o que está associado à morte das células e ao desenvolvimento de doenças. Assim, manter o mecanismo ativo seria uma forma de prevenir problemas futuros. Continue Reading…

A origem da vida pode mesmo estar no barro

           Dados suportam o relato bíblico

Na Bíblia, podemos aprender que Deus criou todas as formas de vida − plantas, aves, peixes, animais terrestres e o ser humano – literalmente através do barro. Em Gênesis 2:7, vemos que “o Senhor Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida”. Já em Gênesis 2:19 é dito que “formou da terra todos os animais do campo e todas as aves do céu”. Portanto, com um sopro, aquilo que era barro se tornou ossos, articulações, tendões, músculos, nervos, vasos sanguíneos, olhos, ouvidos – um ser vivo. Assim, nós, criacionistas, acreditamos por meio de uma fé racional que Deus tenha criado do barro toda a vida. Mas o que a ciência tem a nos dizer? Seria possível que o barro contivesse os elementos essenciais para o ato da criação? O químico Dr. Edwin Emery Slosson (1865–1929) ficou fascinado ao constatar a coerência da afirmação bíblica ao encontrar uma precisão química entre os elementos presentes no barro e no corpo humano: “No pó da terra há dezesseis elementos químicos diferentes, e no corpo humano há esses mesmos dezesseis elementos químicos!”[1] Slosson fez essa afirmação, destacando que havia ainda outros elementos a serem descobertos e que apesar de seus esforços, ainda não havia conseguido identificá-los. Continue Reading…

A Bíblia não é um livro científico, mas…

O que está relatado na Bíblia definitivamente funciona

As diversas áreas de estudo e as ferramentas da ciência nos fornecem subsídios para ler e interpretar a Bíblia com outros olhos. Gosto de usar a metáfora dos “dois livros do Criador” conhecida originalmente pela afirmação do físico e astrônomo italiano Galileu Galilei. No ano de 1613, em uma carta de Galileu Galilei endereçada a Benedetto Castelli, Galilei disse que tanto a natureza quanto a Bíblia são obras de Deus; são, portanto, dois livros desprovidos de erro e não podem se contradizer.[1: p. 282] No entanto, para Galilei, a natureza e a Bíblia são dois livros escritos em linguagens diferentes, com finalidades diferentes, não se podendo lê-los da mesma forma. Por sua vez, em 1905 a escritora cristã Ellen White, a fim de demonstrar que não há conflito real entre ciência e Bíblia, disse o seguinte: “Na verdadeira ciência, nada pode haver que esteja em contradição com o ensino da Bíblia; uma vez que procedem ambas do mesmo Autor, a verdadeira compreensão delas demonstrará sua harmonia.”[2: p. 462] Concordo com os dois autores citados acima ao afirmar que ambos os livros se complementam. Continue Reading…

Apocalipse – possibilidades (capítulo 2: Esmirna)

Clique/aperte na numeração de verde para ir mais rapidamente para as notas de rodapé

 Ap   Texto (ARA, 3ª ed)    Leitura com a fundamentação das possibilidades que tentam alcançar a intenção do profeta João  Leitura enxuta              
2.8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver: Para o mensageiro que receberá esta mensagem lá na igreja de Esmirna, você diz assim João: o Autor desta mensagem é o originador e terminador de tudo, Aquele que está vivo, muito embora tenha morrido, mas voltou à vida: Para o mensageiro que receberá esta mensagem lá na igreja de Esmirna, você diz assim João: o Autor desta mensagem é o originador e terminador de tudo, Aquele que está vivo, muito embora tenha morrido, mas voltou à vida:
2.9 Conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico) e a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus e não são, sendo, antes, sinagoga de Satanás. Eu conheço a pressão sob a qual vocês da igreja de Esmirna[1] estão, bem como a falta[2] de recursos básicos (mas como Eu enxergo riqueza de caráter em vocês!); vejo de perto também a difamação de Minha Pessoa naqueles que se declaram cristãos[3] e não são; Eu os considero membros da sinagoga de Satanás. Eu conheço a pressão sob a qual vocês da igreja de Esmirna estão, bem como a falta de recursos básicos (mas como Eu enxergo riqueza de caráter em vocês!); vejo de perto também a difamação de Minha Pessoa naqueles que se declaram judeus e não são; Eu os considero membros da sinagoga de Satanás.
2.10 Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. Não fiquem com medo exagerado após Eu lhes falar sobre as dificuldades que ainda virão sobre vocês. Eu permitirei que o maior caluniador do universo lance alguns de vocês na prisão, será mais um momento de provação; essa pressão durará dez dias[4]. Por favor, sejam fieis ainda que até a morte, pois Eu lhes garanto que a morte não será o fim de vocês; Eu prometo que, após a ressurreição, colocarei em suas cabeças a coroa da vitória e vida eternas! Não fiquem com medo exagerado após Eu lhes falar sobre as dificuldades que ainda virão sobre vocês. Eu permitirei que o maior caluniador do universo lance alguns de vocês na prisão, será mais um momento de provação; essa pressão durará dez dias. Por favor, sejam fieis ainda que até a morte, pois Eu lhes garanto que a morte não será o fim de vocês; Eu prometo que, após a ressurreição, colocarei em suas cabeças a coroa da vitória e vida eternas!
2.11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte. Quem tem interesse em aprender de Mim, atenda ao Espírito Santo que está conduzindo as mentes de João (na recepção desta mensagem e sua escrita) e Meus outros mensageiros (na leitura e transmissão dela) das sete igrejas. O Espírito afirma: quem continuar vencendo não receberá a condenação eterna ou segunda morte. Quem tem interesse em aprender de Mim, atenda ao Espírito Santo que está conduzindo as mentes de João e Meus outros mensageiros das sete igrejas. O Espírito afirma: quem continuar vencendo não receberá a condenação eterna ou segunda morte.

 

Referências:

BATTISTONE, Joseph J. Lições da Escola Sabatina, 2º Trimestre de 1989, nº 374, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP.

MAXWELL, C. Mervyn; GRELMANN, Hélio Luiz. Uma nova era segundo as profecias do Apocalipse. Casa Publicadora Brasileira, 2004.

SILVA, Rodrigo Pereira. Comentário Gramático Histórico do Apocalipse – Anotações para acompanhamento de classes. Faculdade Adventista de Teologia, 2009. Disponível em: <http://www.adventistas.com/wp-content/uploads/2014/10/Comentario-Gramatico-Historico-do_Apocalipse-Rodrigo-P-Silva.pdf>. Acesso em: jan. 2017.

[1] “Uma vez mais, todos concordarão que a descrição corresponde adequadamente à experiência da igreja no segundo e terceiro séculos, ou seja, entre o ano 100 e o término da feroz perseguição movida por Diocleciano, em 313” (MAXWELL, 2004, p. 123).

[2] “A pobreza aqui mencionada é πτωχεία [ptocheia], cujo sentido é mais de privação e não apenas de ser pobre” (SILVA, 2009, p. 85).

[3] “Na interpretação simbólica de Esmirna como um período da história da igreja, os falsos “judeus” possivelmente devam ser entendidos como falsos cristãos. Tal interpretação bem poderia corresponder ao elevado número de cristãos gnósticos, cujas engenhosas reinterpretações da Bíblia significaram um pesado fardo de preocupações para os genuínos cristãos bíblicos desse período” (MAXWELL, 2004, p. 123).

[4] Possibilidades: “As dez grandes perseguições podem ser relacionadas desta forma: (a) Sob Nero: 64-68 d. C. (b) Sob Dominiciano: 68-96 d. C. (c) Sob Trajano: 104-117 d. C. (d) Sob Aurélio: 161-180 d. C. (e) Sob Severo: 200-211 d. C. (f) Sob Máximo: 235-237 d. C. (g) Sob Décio: 250-253 d. C. (h) Sob Valeriano: 257-260 d. C. (i) Sob Aureliano: 270-275 d. C. (j) Sob Diocleciano: 303-312 d. C. Durante esse tempo, a matança de cristãos foi tremenda.” Disponível em: <http://piblondrina.com.br/mensagem/item/425-n%C3%A3o-temas-o-que-tens-de-sofrer?tmpl=component&print=1>. Acesso em: jan. 2017. Seriam 10 dias literais ainda na época de João, ou seja, cumprimento imediato (MAXWELL, 2004) e também 10 anos (um dia para cada ano) no futuro, na época de Diocleciano?

O dízimo e as cartas de Paulo

Devolver o dízimo sem ser justo e amável é equivalente a querer ser justo e amável sem devolver o dízimo

Hipóteses:

H1 Paulo afirmou que o dízimo não existia mais.

H2 Paulo afirmou que o dízimo ainda vigorava.

H3 É razoável acreditar que o sistema dízimo-ofertas do AT foi mantido na/adaptado a fase apostólica do povo de Israel (o Israel espiritual, pós-santuário e serviços sacrificais), por meio dos escritos paulinos.

H4 Quem dizima e quem recebe o dízimo, hoje em dia, não obedece à Bíblia.

Continue Reading…

Fósseis de Galápagos: pedra no sapato dos evolucionistas

                   Revelações importantes

Afloramentos vulcânicos no arquipélago de Galápagos não parecem fornecer a riqueza de exemplares encontrados em outras localidades ricas em fósseis ao redor do mundo. No entanto, os fósseis estão, de fato, presentes nas Ilhas Galápagos. Esta breve revisão aborda o onde, o que, quando e por que de haver fósseis nas Ilhas Galápagos, e fecha com uma discussão sobre sua potencial contribuição para o desenvolvimento de modelos sobre as origens.

Onde estão os fósseis encontrados nas Ilhas Galápagos?

  1. Os sedimentos depositados em águas rasas ao redor das ilhas e posteriormente levantados acima do nível do mar, muitas vezes contêm fósseis de organismos marinhos (tais como conchas de moluscos).[1]
  1. Tubos de lava se formam durante as erupções vulcânicas, quando o topo de um fluxo de lava resfria e solidifica, mas a lava continua a fluir por baixo. Quando drenos de lava se esvaem desses condutos tubulares, um espaço vazio é deixado no subsolo. Esses túneis e fissuras muitas vezes contêm sedimentos com restos fósseis de vertebrados terrestres.[2]
  1. O interior de algumas das ilhas é caracterizado por um clima mais consistentemente úmido. Pequenos lagos e pântanos, formados dentro de crateras vulcânicas inativas, podem ser encontrados. Os sedimentos que enchem o fundo dessas pequenas depressões contêm material vegetal fóssil.[3, 4]

Continue Reading…