Beber moderadamente é seguro? Quatro mitos sobre o consumo de álcool!

beberUma campanha britânica está propondo às pessoas que passem 31 dias sem consumir álcool, defendendo que a prática traz benefícios à saúde que vão de perda de quilos extras a um sono melhor. A iniciativa, chamada Dry January (“Janeiro seco”, em tradução literal), ganhou a adesão do médico e apresentador da BBC Michael Mosley. Para mostrar os efeitos do álcool nos processos químicos de seu corpo, Mosley se submeteu a uma série prévia de exames de sangue e fará outra rodada assim que o desafio chegar ao fim. Enquanto os resultados não saem, Mosley conversou com especialistas para descobrir a verdade sobre mitos espalhados há décadas – ou por séculos? – a respeito dos efeitos do consumo de álcool, alguns deles relacionados a supostos benefícios à saúde. Confira, abaixo, respostas para quatro deles:

  1. “Beber moderadamente não faz mal.” Infelizmente, explica Mosley, qualquer quantidade de álcool que você ingerir irá provocar um aumento nos riscos de desenvolver algumas formas de câncer – particularmente câncer de mama –, incluindo algumas ocorrências mais raras da doença, em partes do corpo como cabeça, pescoço e garganta. É claro que esses riscos são menores quando se bebe moderadamente, mas eles tendem a crescer bastante rápido conforme a ingestão de drinques avance. O apresentador da BBC conversou com o professor Tim Stockwell, diretor do Centro de Pesquisas sobre Dependência Química da Universidade de Victoria, no Canadá. O pesquisador tem prestado consultoria a diversos governos, inclusive o de seu país, sobre recomendações a respeito do consumo dessas bebidas. Ele acredita não haver nenhumavantagem bioquímica no hábito de beber, embora reconheça que o consumo moderado possa trazer eventuais “benefícios sociais”. “Há ao menos 60 formas diferentes de o álcool te fazer mal ou matar”, afirmou. “E não apenas por meio de doenças óbvias, como as de fígado.” Segundo Stockwell, o consumo de bebidas alcoólicas, em qualquer quantidade, aumenta o risco de mulheres desenvolverem câncer de mama. “Teríamos 10% a menos de mortes no mundo por causa dessa doença se ninguém bebesse”, alerta. Para ele, os estudos que apontam que beber moderadamente não faz mal consideram como abstêmios até mesmo ex-alcoólatras e pessoas de saúde ruim, o que prejudica seus resultados.
  1. “Tomar vinho tinto faz bem para você.” É quase uma tradição: há tempos, ouve-se dizer que beber vinho tinto faz o coração funcionar muito melhor – idosos de algumas partes do mundo, por exemplo, atribuem a longevidade ao hábito de tomar uma taça antes das refeições. A verdade é que as uvas, e por consequência o vinho, têm uma substância chamada resveratrol, que, segundo estudos, diminui os níveis de um tipo de colesterol que pode se acumular nas paredes dos vasos sanguíneos, e, no limite, causar obstruções e doenças cardiovasculares. O problema, afirma Mosley, é que esse benefício só é alcançado com o consumo de uma quantidade muito grande de vinho. E os malefícios desse hábito seriam tão grandes, incluindo os riscos de câncer citados acima, que essa vantagem ficaria pequena perto dos potenciais malefícios.
  1. “Misturar bebidas te deixa mais bêbado.” Na verdade, explica Mosley, não interessa muito que tipos de álcool há nos drinques que você está bebendo: o resultado será o mesmo. Uma das exceções é quando é feito o uso de bebidas com bolhas, como champanhe, por exemplo. O motivo é que elas relaxam os músculos que controlam a passagem de álcool e comida entre o estômago e o intestino delgado, onde as substâncias passam a ser absorvidas pelo organismo. Ou seja, se você tomar champanhe e, logo em seguida, partir para a cerveja, essa segunda bebida chegará ao intestino delgado, te deixando bêbado muito mais rápido.
  1. “Cafeína ajuda a melhorar da bebedeira.” Trata-se de outro mito, de acordo com o apresentador da BBC. Segundo Mosley, todo o álcool que você consumiu vai continuar no seu corpo até ser totalmente metabolizado, mesmo que você tome uma jarra inteira de café na manhã seguinte. O máximo que a cafeína pode fazer é te deixar um pouco mais desperto durante a ressaca.

Fonte: BBC Brasil.

O dever de reprovar o pecado (afinal, para que haja o milagre da aprendizagem, é necessário definir o que é certo e o que é errado!)

Foi-me mostrado que Deus aqui ilustra como Ele considera o pecado entre os que professam ser Seu povo observador dos mandamentos. Aqueles a quem Ele tem honrado especialmente com o testemunhar as assinaladas manifestações de Seu poder, como aconteceu com o antigo Israel, e que ousam mesmo então menosprezar Suas expressas direções, serão sujeitos a Sua ira. Ele quer ensinar a Seu povo que a desobediência e o pecado são excessivamente ofensivos a Seus olhos, e não devem ser levemente considerados. Ele nos mostra que, quando Seu povo se encontra em pecado, devem-se tomar imediatamente medidas positivas para tirar esse pecado do meio deles, a fim de que Seu desagrado não fique sobre todos. – {TS1 334.1}
Se, porém, os pecados do povo são passados por alto por aqueles que se acham em posições de responsabilidade, o desagrado de Deus estará sobre eles, e Seu povo, como um corpo, será responsável por esses pecados. No trato do Senhor com Seu povo no passado, Ele mostra a necessidade de purificar a igreja de erros. Um pecador pode difundir trevas que excluam a luz de Deus de toda a congregação. Ao compreender o povo que se estão adensando trevas sobre eles, sem que saibam a causa, devem buscar diligentemente a Deus, em grande humildade e abatimento do próprio eu até que os erros que Lhe ofendem ao Espírito sejam descobertos e afastados. – {TS1 334.2}
O preconceito que se levantou contra nós por havermos reprovado as faltas que Deus me mostrara existirem, e o clamor que se ergueu de aspereza e severidade, são injustos. Deus nos manda falar, e não ficaremos silenciosos. Caso haja erros claros entre Seu povo, e os servos de Deus passem adiante, indiferentes [*] a isso, estão por assim dizer apoiando e justificando o pecador, e são igualmente culpados, incorrendo tão certo como ele no desagrado de Deus; pois serão tidos como responsáveis pelos pecados do culpado. Foram-me mostrados em visão muitos casos em que o desagrado de Deus foi atraído por negligência da parte de Seus servos quanto a tratar dos erros e pecados existentes entre eles. Os que passaram por alto esses erros têm sido considerados pelo povo muito amáveis e de disposição benigna, simplesmente por haverem eles recuado do desempenho de um claro dever escriturístico. Essa tarefa não agradava a seus sentimentos; evitaram-na, portanto. – {TS1 334.3}
O espírito de ódio que tem havido por parte de alguns por haverem sido reprovados os erros existentes entre o povo de Deus, tem trazido cegueira e um terrível engano a suas almas, tornando-lhes impossível discernir entre o direito e o erro. Apagaram sua própria visão espiritual. Podem testemunhar erros, mas não sentem como Josué, não se humilham por sentir o perigo das almas. – {TS1 335.1}
O verdadeiro povo de Deus, os que possuem o espírito da obra do Senhor, tomam a peito a salvação de almas, verão sempre o pecado em seu caráter real, maligno. Estarão sempre a favor de lidar de maneira fiel e positiva com os pecados que facilmente assaltam o povo de Deus. Em especial na obra final da igreja, no tempo do assinalamento dos cento e quarenta e quatro mil que hão de permanecer irrepreensíveis diante do trono de Deus, sentirão muito profundamente os erros do povo professo de Deus. Isto é fortemente salientado pela ilustração do profeta, da última obra na figura dos homens cada um com armas destruidoras na mão. Um homem entre eles estava vestido de linho, com um tinteiro de escrivão a sua cinta. “E disse-lhe o Senhor: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal as testas dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela.” Ezequiel 9:4. – {TS1 335.2}
Quem subsiste no conselho de Deus a esse tempo? São aqueles que por assim dizer desculpam os erros entre o professo povo de Deus, e que murmuram no coração, se não abertamente, contra os que reprovam o pecado? São os que tomam atitude contra eles, e se compadecem dos que cometem o erro? Não, absolutamente! A menos que eles se arrependam e deixem a obra de Satanás em oprimir os que têm a responsabilidade da obra, e em suster as mãos dos pecadores de Sião, jamais receberão o aprovador assinalamento de Deus. Cairão na destruição final dos ímpios, representada na obra dos seis homens que tinham as armas destruidoras na mão. Notai cuidadosamente este ponto: Os que receberem o puro sinal da verdade, neles gravado pelo poder do Espírito Santo, representado pelo sinal feito pelo homem vestido de linho, são os que, “suspiram e gemem por todas as abominações que se cometem” (Ezequiel 9:4) na igreja. Seu amor pela pureza e pela honra e glória de Deus é tal, e têm tão clara visão da excessiva malignidade do pecado, que são representados como em agonia, suspirando e gemendo. Lede o nono capítulo de Ezequiel. – {TS1 335.3}
A matança geral de todos os que não vêem assim a vasta diferença entre o pecado e a justiça, porém, e não sentem como os que se acham no conselho de Deus e recebem o sinal, é descrita na ordem dada aos cinco homens que tinham as armas destruidoras: “Passai pela cidade após ele, e feri; não poupe o vosso olho, nem vos compadeçais. Matai velhos, mancebos, e virgens, e meninos, e mulheres, até exterminá-los; mas a todo homem que tiver o sinal não vos chegueis: e começai pelo Meu santuário.” Ezequiel 9:5, 6. – {TS1 336.1}

Compartilhe via WhatsApp (ou outros meios):




Paracetamol não apresenta benefícios contra gripe (#Saúde)

Acetaminofeno para gripe 
Muitos médicos recomendam aos seus pacientes com gripe para tomar acetaminofeno, ou paracetamol, para aliviar seus sintomas.
No entanto, um novo estudo clínico randomizado não encontrou benefícios dessa medicação nem na luta do corpo contra o vírus da gripe, e nem na redução da temperatura corporal ou outros sintomas típicos da gripe.
A boa notícia é que também não foram identificados efeitos negativos, que alguns cientistas haviam suspeitado ser possível na interação do acetaminofeno com o vírus da gripe.
Nem bem nem mal
“Nós inicialmente teorizamos que tomar paracetamol poderia ser prejudicial, já que o vírus da gripe não consegue se replicar tão bem em temperaturas mais altas, e reduzir a temperatura de uma pessoa faria o vírus prosperar. Felizmente, descobrimos que este não é o caso,” disse a Dra Irene Braithwaite, do Instituto de Pesquisas Médicas da Nova Zelândia, responsável pelo estudo.
O ensaio clínico incluiu adultos entre 18 e 65 anos de idade com infecções de gripe confirmados que foram tratados com a dose máxima recomendada de paracetamol ou por placebo durante cinco dias. Os participantes foram acompanhados por até 14 dias.
“Neste estudo, o paracetamol não foi prejudicial, mas também descobrimos que o paracetamol também não foi benéfico,” finalizou Braithwaite.
Outros estudos já demonstraram que o paracetamol pode causar danos ao fígado e que, acima da dose, o paracetamol apresenta riscos para adultos e crianças.
Nota: Há mais de um século, uma educadora norte-americana já advertia:
Costume Comum, mas Perigoso Um costume que está deitando bases a vasta soma de doenças e males mais sérios ainda é o livre uso de drogas venenosas. Quando atacados pela enfermidade, muitos não se darão ao trabalho de descobrir a causa do mal. Sua principal ansiedade é verem-se livres da dor e dos desconfortos. Recorrem portanto a panacéias, cujas reais propriedades eles mal conhecem, ou recorrem a um médico para neutralizar os efeitos de seu mau proceder, mas sem nenhuma idéia de mudar seus nocivos hábitos. Caso não sintam benefícios imediatos, experimentam outro remédio, e depois outro. Assim continua o mal (A Ciência do Bom Viver, pág. 126).
Remédio a Todo Custo Os doentes estão apressados para ficar bons, e seus amigos se acham impacientes. Eles desejam ter remédio, e se não sentem no organismo aquela poderosa influência que, em seus errôneos pontos de vista induzem-nos a pensar que deviam experimentar, mudam impacientemente de médico. A mudança aumenta muitas vezes o mal. Passam por uma série de remédios tão perigosos como os primeiros (Temperança, p. 83).
O Triste Resultado Com o uso de drogas venenosas, muitos trazem sobre si doença para toda a vida, e perdem-se muitos que poderiam ser salvos com o emprego de métodos naturais. Os venenos contidos em muitos dos chamados remédios formam hábitos e apetites que importam em ruína tanto para o corpo como para a alma. Muitos dos populares remédios patenteados, e mesmo algumas drogas receitadas por médicos, desempenham seu papel em deitar bases para o hábito da bebida, do ópio, da morfina, os quais são uma tão terrível maldição para a sociedade (A Ciência do Bom Viver, págs. 126 e 127).

Dicas para aprender a gostar de correr!

Sejam todos bem vindos a mais um artigo em nosso site. No artigo de hoje vamos falar sobre como se motivar nos treinos de corrida, veja como utilizar de pequenas atitudes para continuar sempre correndo e o melhor, feliz em praticar tal atividade.
Primeiramente é fundamental que você esteja ciente que os primeiros meses serão os mais difíceis. Uma vez superar é Nas primeiras semanas que surgem as dores musculares, é onde o cansaço é enorme, irá faltar fôlego para correr e muitas vezes surgirão àquela preguiça de exercitar.
Mas nosso artigo está aqui para te ajudar a amenizar tais incômodos e jogar para bem longe quaisquer possibilidade de desistência. A melhor forma de encarar estes incômodos naturais é justamente entender o que está acontecendo em nosso corpo.

Ficar por dentro das mudanças

A primeira alteração é a cardiopulmonar, ou seja, a primeira coisa que irá sentir é falta de fôlego para continuar correndo. Com apenas 8 semanas, já será possível notar uma melhoria incrível na capacidade contrátil do coração, seja ela em repouso ou durante o exercício.
Esta contração mais eficiente fará com que haja melhora no fluxo sanguíneo para os músculos e outros tecidos. Esta adaptação permitirá que a pessoa consiga correr melhor e se cansar menos.
Agora precisamos cuidar das dores musculares. Especula-se que com aproximadamente 12 semanas, a capacidade de utilização do oxigênio pelas fibras musculares já sejam muito mais efetivas do que quando se iniciou as corridas.
Esta adaptação permite que o músculo obtenha a energia necessária para realizar a contração muscular, mas o organismo irá oferecer esta energia de uma forma mais econômica, ou seja, haverá mais energia para fornecer e o exercício será mais eficiente e menos doloroso, uma vez que haverá retardo dos efeitos da fadiga.

Acertar no treino é fundamental

Dentre os principais fatores de desistência dos iniciantes na corrida estão os objetivos inalcançáveis e/ou utilização de exercícios de maneira equivocada. Na corrida, a maior vitória é comemorar a pequenas conquistas.
Se o treino for efetuado de maneira correta, o percentual de desistência é mínimo. O objetivo deve ser tirar esta pessoa do sedentarismo e permitir que aos poucos ela possa desfrutar de todos os benefícios que a corrida pode oferecer.
Na sequencia do nosso artigo, vamos apontar diversas dicas para te motivar e principalmente evitar que desista deste esporte maravilhoso para sua saúde.
  • Não tenha vergonha de caminhar durante o exercício. Principalmente nos primeiros dias, é natural que a pessoa não consiga correr 10 minutos contínuos, ou seja, pare, retome o fôlego e depois continue novamente.
  • É fundamental respeitar o período correto de descanso entre um treino e outro. Exercitar-se todos os dias com a mesma intensidade é impossível e perigoso, além de provocar fadiga excessiva, incomodo e fortes dores musculares, fatores totalmente desmotivadores.
  • E ao contrário do que muitas pessoas imaginam, é justamente neste período de repouso que acontece a adaptação corporal e o ganho dos tão desejados benefícios.
  • É muito importante manter o ritmo. A chave do sucesso é iniciar sempre de forma leve nos primeiros treinos, para somente depois que melhorar o condicionamento físico, ir aumentando a carga de trabalho e velocidade do mesmo.
  • É natural encontrar pessoas que desejavam correr rápido logo nos primeiros dias, e ao tentar se cansavam rapidamente e desanimavam de continuar se exercitando.
  • Outra dica valiosa é de forma alguma realizar comparações. Existe uma coisa que se chama individualidade biológica, ou seja, cada pessoa é única, cada resposta é única e cada treinamento é diferente.
  • Ao invés de se preocupar como o outro está fisicamente ou esteticamente, pense em seu benefício próprio, busque sua motivação interior e jamais se sinta inferior a nenhuma outra pessoa.
  • Ouvir música durante o treino é incrivelmente benéfico, a pessoa se motiva mais e acaba distraindo um pouco, não notando o cansaço logo de cara. Sem sombras de dúvidas, escutar aquela música favorita durante o exercício fará com que você chegue mais longe a cada dia.
  • Outra dica interessante para quem corre ao ar livre é buscar sempre novos lugares. Sim, por mais bobo que pareça, ao sair da monotonia você vai conseguir ajudar e muito melhorar o seu desempenho. Principalmente se o lugar tiver bastante contato com a natureza.
  • E a nossa dica final é que você divirta-se. Não há nada melhor do que estar fazendo algo onde se sinta prazer e esteja motivado, enquanto você estiver correndo com alegria e diversão, nenhum dos obstáculos será grande o bastante para incomodá-lo.
Fonte: Saúde melhor.

Sensualidade PURA!

O título deste artigo pode parecer um contra-senso, mas isso ocorre apenas porque, quando o assunto é sexo e erotismo, especialmente na mentalidade ocidental, a conotação é de impureza. Uma das definições da palavra “sensual” no Dicionário Michaelis é: “Pertencente ou relativo aos sentidos ou à sensação física, sensitivo.” Já o Houaiss define assim: “Que atrai fisicamente; belo, bonito.” Como foi Deus quem criou os sentidos, sensualidade não deveria ter a conotação que tem. A Bíblia coloca a sensualidade em sua verdadeira moldura. Segundo o Pastor Edson Nunes Jr., líder da comunidade judaico-adventista de São Paulo e mestrando do Centro de Estudos Judaicos da USP, “a visão judaico-bíblica do sexo é baseada claramente em Gênesis 1 e 2, ou seja, o sexo foi criado por Deus e instituído antes do pecado”. Edson destaca uma nuance interessante do texto: Deus diz que homem e mulher formam “uma só carne”, isto é, eles se tornam um, e essa é a principal característica do próprio Deus (Deut. 6:4). “No sexo, o ser humano deve refletir o caráter de Deus, daí a importância do sexo como fator de santidade”, afirma Edson. “É importante notar que Moisés ‘gasta’ boas páginas de Levítico, Números e Deuteronômio para tratar de pecados sexuais. Outro fator importante é a questão do sexo dentro do casamento. A história de Isaque é o exemplo mais claro.”

O foco da pesquisa de Edson é o livro de Cantares, que trata o sexo como momento único de intimidade entre homem e mulher que se amam tanto que não suportam a ausência um do outro (cf. o capítulo 3, por exemplo). “A intimidade sexual é abordada com inúmeras metáforas, sendo uma delas o uso dos óleos (mirra, por exemplo), que não são descritos a partir do aroma, mas do aspecto táctil (5:5; 5:13)”, explica o mestrando. “O erotismo também é muito claro, principalmente pela descrição detalhada dos atributos de beleza de ambos, sem pudores. O jardim que aparece ao longo do livro ora é um jardim real, ora um símbolo da genitália feminina. A vinha, em Cantares, é um lugar de consumação do amor, de um amor pleno, pois é na vinha que ela se entrega ao rei (7:12). A busca do sexo nesse livro é a busca por intimidade, por relacionamento. O sexo é uma espécie de consumação do amor pré-existente; o prazer e a alegria desses momentos de intimidade física ocorrem em virtude do amor entre ambos.”
Para o Pastor Edson, é Cantares 2:16 que estabelece o padrão de relacionamento sexual: um homem e uma mulher. Ele é dela e vice-versa. Não há inserção de terceiros. Sobretudo, o que leva ao sexo, erotismo e prazer entre eles é justamente essa reciprocidade (companherismo, intimidade, interação, parceria, etc.), uma espécie de pacto pleno, um pertencer ao outro único, completo, profundo. “As comparações que são feitas sobre o corpo de ambos também são outro claríssimo indicador da pureza e naturalidade do sexo, que de um lado não precisa carregar uma ‘aura’ pecaminosa e pervertida, mas de outro, deve ser colocado como um passo de santidade. O sexo, em Cantares, é um quadro perfeito, com a mistura exata de todos os ingredientes: a mulher amada; o homem amado; romantismo; muito amor e desejo; carinho; respeito.”
Infelizmente, para tudo o que Deus fez e abençoou, Satanás criou uma contrafação. Deus criou o sexo, o inimigo criou a licensiosidade. Deus orientou o namoro, o diabo inventou o “ficar”. Deus criou o homem para apreciar a beleza feminina, o anjo caído tratou de saturar o mundo com a superexposição [correção minha] do corpo da mulher, tornando-a objeto.

A batalha do homem 

Como Jesus mesmo disse, o pecado germina na mente. E a mentalidade doentia pode ter início quando se adquire o “simples” hábito de ficar observando mulheres bonitas. O próximo passo, segundo estudiosos da sexualidade, é usar a mente para fantasiar. Depois que o sentimento de culpa e a força para resistir à tentação diminuem, fica mais fácil observar fotos de mulheres seminuas em revistas e catálogos de roupas femininas, por exemplo. Daí para a pornografia, é um pulo.
O viciado em pornografia quase sempre sofre isolado, mas quem realmente colhe as conseqüências de seu pecado é a família. É o tipo de vício que atrofia o homem, impedindo-o de se tornar o marido e pai que Deus sonha e a esposa e os filhos desejam. O marido viciado tem dificuldade de se relacionar sentimentalmente com a esposa, que, por sua vez, jamais consegirá competir com as mulheres da fantasia, que parecem perfeitas e fazem qualquer coisa que a mente pervertida exija. 
No livro A Batalha de Todo Homem (Mundo Cristão), os co-autores Stephen Arterburn e Fred Stoeker colocam o problema para o qual se propõem oferecer soluções: “Você [homem] está em uma posição difícil, vive em um mundo levado pela maré de imagens sensuais, disponíveis 24 horas por dia, em uma grande variedade de mídias: impressos, televisão, vídeos, internet – até mesmo telefones. Mas Deus lhe oferece a liberdade da escravidão do pecado através da cruz de Cristo, e foi Ele que criou os seus olhos e a sua mente com a capacidade de serem treinados e controlados. Basta permanecer firme e andar, pelo Seu poder, no caminho correto.” Essa é a batalha do título do livro – contra a sensualidade deturpada e a imoralidade – e o “caminho correto” é apontado pelos autores, por meio de seu próprio testemunho de queda e vitória.
Depois de falar de sua vida imoral e promíscua, Fred relata sua conversão, mas afirma que ainda havia “datalhes” para serem entregues a Jesus. E esses detalhes o impediam de crescer na fé. Ele diz: “Nunca conseguia olhar Deus nos olhos. Nunca conseguia adorá-Lo completamente. Pelo fato de sonhar com outras mulheres e preferir me divertir mentalmente com as lembranças das conquistas sexuais do passado, eu sabia que era um hipócrita e continuava a me sentir distante de Deus. … Minha vida de oração era débil. … Meu casamento também passava por maus momentos. Por causa do meu pecado, eu não conseguia confiar totalmente em Brenda, sem deixar de temer que ela pudesse me abandonar mais tarde. … Na igreja, eu era um engravatado oco. … Finalmente eu estabeleci a conexão entre minha imoralidade sexual e minha distância de Deus. Eu estava pagando multas pesadas em todas as áreas da minha vida. Tendo eliminado os adultérios e a pornografia visível, eu parecia puro exteriormente, para as outras pessoas. Mas para Deus faltava muita coisa. Eu havia encontrado meramente um terreno intermediário, algum lugar entre o paganismo e a obediência às leis de Deus.”
Você conhece algum homem assim? Fred era o tipo, mas pelo poder de Deus conseguiu tornar-se um homem puro e feliz em seu casamento – alcançou a sensualidade pura. Mas como? Afinal, o que o homem que enfrenta esse tipo de luta deve fazer? Os autores sugerem a construção de três “perímetros de defesa”: (1) com os olhos, (2) em sua mente e (3) em seu coração. O objetivo é a pureza sexual, e o livro traz uma boa definição disso: “Você é sexualmente puro quando seu prazer sexual provém de ninguém ou nada além de sua esposa.”
No primeiro perímetro (o dos olhos), a proposta é fazer uma aliança com os olhos, exatamente como fez Jó: “Fiz uma aliança com meus olhos; como, pois, os fixaria eu numa donzela?” Jó 31:1. Para isso, são necessárias duas etapas: (1) fazer um estudo de si próprio. Como e onde você está sendo mais atacado? (2) Definir sua defesa para cada um dos maiores inimigos que você identificou. Quais são as fontes mais óbvias e abundantes de imagens sensuais, além de sua esposa? Para onde você olha com mais freqüência? Onde você é mais fraco?
Sobre imagens sensuais que aparecem em comerciais de TV, por exemplo, a recomendação é mudar de canal imediatamente. “Quando seus filhos o observarem mudar de canal, você servirá de exemplo vivo de santidade em sua casa, e isso lhes servirá de ótimo exemplo.” E sobre filmes? “Temos uma ótima regra em casa. Qualquer vídeo inapropriado para as crianças será provavelmente inapropriado para os adultos. Com essa regra em vigor, os filmes sensuais nunca foram um problema em nosso lar.”
Com o segundo perímetro (a mente), “você não só bloqueia os objetos de luxúria, como também os avalia e os captura”, explicam os autores. “Um versículo-chave para apoiá-lo nesse estágio está em 2 Coríntios 10:5: ‘Levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo.’” Segundo eles, a meta é privar os olhos de todas as coisas sensuais além da esposa. Para os solteiros, isso significa distanciar os olhos de todas as coisas sensuais. “Isso o ajudará a vencer o desejo pelo sexo antes do casamento com a mulher que namora”, garantem. “Se você privar seus olhos assim como os homens casados, verá sua companheira como uma pessoa, e não como um objeto.”

Exemplo da mulher islâmica 

Uma notícia que surpreendeu muita gente foi o aumento da exportação de lingeriesbrasileiras para os países islâmicos, um crescimento na ordem de 160%. Cobertas da cabeça aos pés pela burca, as mulheres que as usam se preocupam em ser sensuais – para o marido. E o restante dos homens não tem nada a ver com isso. Enquanto elas escondem e preservam o “mistério”, as ocidentais escancaram, de tal forma que o corpo feminino não tem mais segredo a ser revelado. Esqueceram que, conforme escreveu a jornalista Lucia Sauerbronn, “sensualidade nada tem que ver com exposição. Sedução não é vulgaridade. Intimidade é um negócio a dois”, no casamento, é claro.
Evidentemente que a comparação com as muçulmanas não deve ser levada às últimas conseqüências. Mas o princípio da modéstia não pode ser passado por alto, ainda que isso signifique para o cristão remar contra a maré.
No A Batalha de Todo Homem, à página 37, os autores apresentam o desabafo do jovem Thad, que estava se recuperando da dependência de drogas e procurando se tornar membro de uma igreja. Ele diz: “Eu quero ser livre, mas estou ficando cada vez mais frustrado e enfurecido com a igreja. A Bíblia diz que as mulheres devem se vestir de forma modesta, mas elas não agem assim. As mulheres solteiras estão sempre usando as últimas (e mais agarradas) roupas da moda. Eu olho para elas, mas tudo o que vejo são curvas e pernas. Sabe aquela saia que tem um racho mostrando quase toda a coxa? Então, essa coxa cintila a cada passo. Eu fico completamente irado. Por que elas fazem com que tudo seja mais difícil?”
Não é preciso usar burca. Mas o cuidado com a indumentária, isso sim, é necessário.

Alvo possível?

O escritor Julio Severo dá alguns conselhos para se vencer na área sexual: “Homens, quando surge uma fantasia sexual, não podemos acompanhá-la. Se entregarmos a mente só um minuto, teremos mais dificuldades para vencer quando outras fantasias aparecerem. Se seu problema são as revistas, fique longe das bancas de jornais. Se é a internet ou a TV por assinatura, desconecte-se. Se os catálogos de roupas femininas da sua esposa são uma tentação para você, converse com ela e peça-lhe que cancele sua assinatura. O que estou querendo dizer é que é preciso tomar a decisão de parar antes que se perca o controle. Faça como José: fuja da tentação sexual (Gn 39:10-12). Se você sente que já está além de suas forças, há pessoas que podem ajudar. Mulheres, é hora de despertar. Vocês precisam compreender as dificuldades que seus maridos e filhos têm para proteger a mente e mantê-la pura. Vocês precisam entender que cenas e imagens têm um impacto muito forte na mente masculina. … As meninas precisam entender que elas podem com muita facilidade se tornar o alvo da fantasia dos homens. Quando rebaixam seus padrões e levantam a barra da saia, vocês ajudam a alimentar a imaginação e os impulsos de outros homens.”
A sensualidade pura é um alvo a ser buscado. Para o bem do homem, da mulher, da família, da igreja e da sociedade. Será que isso é possível neste mundo tão corrompido? Sim, mas somente com a força que vem dAquele que planejou a sexualidade humana – o Deus Criador.

Livro: “Sexo não é problema (lascívia, sim)”

O livro Sexo Não é Problema (Lascívia, Sim), de Joshua Harris (Editora Cultura Cristã, 122 p.) é um bom exemplo de franqueza e clareza no que diz respeito aos efeitos da lascívia nos relacionamentos e na vida espiritual. Harris é pastor evangélico nos Estados Unidos, casado e pai de dois filhos. À medida que apresenta seus estudos e conselhos, ele recheia o livro com experiências de sua própria juventude e vida adulta, deixando claro que não se trata de um escritor de “outro planeta” falando para leitores a respeito de algo pelo que não é atingido e que, portanto, desconhece. Harris, como muita gente (e muitos cristãos) teve problemas com masturbação e pensamentos impuros, mas garante que, com o poder de Deus, é possível ter uma vida de pureza num mundo tremendamente impuro.
O livro é dividido em três partes. Na primeira, o autor define lascívia e deixa claro que a natureza sexual do ser humano foi criada por Deus e que o sexo não é problema. O problema é o pecado que deturpa tudo o que toca. “Uma pessoa ser atraente não é errado; mas despir aquela pessoa com seus olhos ou imaginar o que seria tê-la é. Um pensamento sexual que surge em sua mente não é necessariamente lascívia, mas pode se tornar lascívia rapidamente se é acolhido e alimentado constantemente. Uma excitação sexual no casamento não é pecado, mas pode ser corrompida com a lascívia se não for equilibrada com paciência e limitação”, define Harris. 
A segunda parte é mais prática. Ali é dito que a “lascívia é mantida viva e nossas fraquezas são fortalecidas por meio das pequenas provisões que nós lhe oferecemos”. Exemplo: locais tentadores, televisão, jornais e revistas, música, livros, internet, caixa do correio (catálogos de lingerie, propagandas com fotos indecentes, etc.). O autor nos convida a identificar os meios pelos quais a lascívia pode nos alcançar e a erigir “muros” de proteção. Em seguida, Harris mostra como a lascívia alcança moças e rapazes e mostra como ambos os sexos podem se ajudar mutuamente a manter a pureza de pensamentos e atitudes. 
Trecho interessante: “A lascívia obscurece e torce a verdadeira masculinidade e feminilidade de maneira nociva. Transforma o desejo bom de um homem de conquista emcaptura usufruto, bem como todo o desejo bom de uma mulher de ser linda em seduçãomanipulação. Geralmente, parece que homens e mulheres são tentados pela lascívia de duas maneiras singulares: os homens são tentados pelos prazeres que a lascívia oferece, enquanto as mulheres são tentadas pelo poder [de controle e manipulação] que a lascívia promete.”
No capítulo seguinte, o pastor Joshua aborda o “sexo egocêntrico”, ou seja, a masturbação. Ele cita Jeffrey Black, que escreveu: “O objetivo da pornografia e da masturbação é criar um substituto para a intimidade. A masturbação é o sexo consigo mesmo. Se faço sexo comigo mesmo, não tenho de investir em outra pessoa. As pessoas que são viciadas em pornografia não são tão viciadas nesse tipo horrível de material quanto são viciadas no egocentrismo. Elas se comprometem em servir a si mesmas, fazendo tudo que podem para achar um modo conveniente para não morrer para si mesmas, que é a natureza do companheirismo em um relacionamento.” Então, Harris, falando de seu próprio casamento, diz que ele e a esposa decidiram que o prazer sexual deve ser algo em que dependam um do outro. “Queremos que o desejo sexual seja algo que nos una como um casal.”
Depois de falar sobre o perigo freqüentemente ignorado da lascívia na mídia (que acaba por alimentar o desejo sexual impróprio), Harris apresenta as “estratégias para mudança a longo prazo” na terceira e última parte do livro. Segundo ele, primeiramente é necessária uma vida de íntima comunhão com Deus para que a pureza que vem do Céu revista nossa vida. Além disso, é preciso fazer um pacto como o feito por Jó: “Fiz aliança com meus olhos; como, pois, os fixaria eu numa donzela?” (31:1). Harris cita ainda vários textos bíblicos vitais na luta pela pureza, como o Salmo 119:9-11: “De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a Tua palavra. De todo o coração Te busquei; não me deixes fugir aos Teus mandamentos. Guardo no coração as Tuas palavras, para não pecar contra Ti.” 
Harris finaliza citando Gálatas 6:7-9, fazendo eco às palavras de Paulo que diz que aquilo que semearmos, certamente colheremos. Se semeamos para o Espírito, colheremos pureza e felicidade. Mas se nos alimentamos de impureza, teremos pensamentos e atos correspondentes.
Conforme escreveu Thomas Watson: “Um homem piedoso não irá até onde ele pode, para que não vá mais adiante do que ele deve.”

Sexo Não é Problema (Lascívia, Sim) é um livro no mínimo necessário.

Fonte: Criacionismo.

João Paulo II – mais um líder religioso pecador…

Embora a Bíblia nos proíba fazer juízo temerário sobre a salvação das pessoas (evitando fazer acusação de pecados que não temos conhecimento), existem os chamados PECADOS PÚBLICOS que qualquer pessoa consegue identificar. Que Caim matou Abel e violou o sexto mandamento não se discute e nem mesmo que Judas traiu o grande Filho de Deus.
O Papa João Paulo II está em vias de ser beatificado pelo Vaticano. Isso significa que a Igreja Católica considera que ele está vivo e pode responder orações. É um passo inicial para considerá-lo “santo”. Dessa maneira existirá autorização para lhe fazer uma imagem e dirigir orações.
A Bíblia ensina que os santos serão ressuscitados no último dia. Portanto, João Paulo II não está vivo nos Céus. A doutrina católica tem fundo no espiritismo e na essência é a mesma: “mortos continuam vivos em algum lugar”, desfazendo das palavras de nosso Senhor que prometeu trazê-los de volta a vida apenas e somente no último dia:
(João 6:39) –  E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia.
(João 6:40) –  Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.
A ética diz que não devemos falar mal dos mortos, mesmo que tenham cometido assassinato (embora se fale mal livremente de Hitler, Caim e Judas). Mas já que a Igreja Romana pensa em santificar um homem pecador, nos sentimos no direito de expor seus pecados públicos:
Pecados evidentes de João Paulo II
1- Transgressão do Sábado
(Lucas 23:56) – E, voltando elas, prepararam especiarias e unguentos; e no sábado repousaram, conforme o mandamento.
A falta de aceitação deste mandamento, leva os judeus a ignorarem o evangelho. (pecado de omissão).
2- Adoração a seres humanos, criaturas, através de imagens:
(Atos 17:29) –  Sendo nós, pois, geração de Deus, não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens.
(Romanos 1:23) – E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
3- Adoração a Nossa Senhora, a Rainha do Céu (Lúcifer transfigurado):
(Jeremias 44:17) –  Mas certamente cumpriremos toda a palavra que saiu da nossa boca, queimando incenso à rainha dos céus, e oferecendo-lhe libações, como nós e nossos pais, nossos reis e nossos príncipes, temos feito, nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém; e então tínhamos fartura de pão, e andávamos alegres, e não víamos mal algum.
De acordo com David Yallop em O Poder e a Glória página 246 [Santo] “Agostinho teria julgado a idolatria de toda uma vida do Papa João Paulo II por Maria”.
4- Falta de Testemunho da Segunda Vinda e do Dia do Juízo, prometendo paz e prosperidade:
(I Tessalonicenses 5:3) –  Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.
(II Pedro 3:7) – Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios.
5- Permitiu livremente que as pessoas se ajoelhassem perante ele. Pedro  e um anjo celestial recusaram tal prática:
(Atos 10:25-26) – E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.
(Apocalipse 19:10) – E eu [JOÃO] lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele  [O ANJO] disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; […]
Penso que poderiam ser elencados ainda, com uma consulta bíblica mais detalhada, mais de 20 pecados públicos de João Paulo II. Porém nos abstemos de tal. Quem quiser lerá a Bíblia por conta própria e investigará os fatos com dedicação.
Se este ser humano será salvo ou não é com Deus (que analisará se houve arrependimento dos pecados). Mas que ele não foi santo durante a vida É EVIDENTE. Não chegou aos pés de Abraão, do profeta Elias, do profeta Daniel, do Apóstolo Pedro guardador do sábado ou de Maria, mãe de Jesus e observadora do sábado. Ele ficou muito abaixo dos santos da Bíblia. Isso é EVIDENTE.
PECADOS DE OMISSÃO NA ADMINISTRAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA, se tornando co-participante de crimes.
1- Acobertamento dos Crimes do Banco do Vaticano:
Durante o pontificado de João Paulo II, o Banco do Vaticano estava completamente envolvido em crimes. Clique aqui para ver a história completa. João Paulo II foi repetidamente avisado dos crimes

do Arcebispo Marcinkus, a terceira pessoa mais poderosa do Vaticano e nunca o entregou a Polícia. Roberto Calvi e Michele Sindona, 2 pessoas envolvidas com Marcinkus foram assassinados.  Eles utilizaram a imunidade diplomática do Banco do Vaticano para esconder o dinheiro da Máfia, da Loja Maçónica P2 e de influentes políticos italianos.

“A principal função do banco do Vaticano era oferecer serviços bancários às ordens religiosas. Deveria ser impossível um leigo abrir uma conta no banco. Mas em maio de 1981 havia mais de 12 mil contas correntes. Só uma minoria delas obedecia ao estatuto do banco, as outras 9351 pertenciam a “cidadãos privilegiados”, incluindo membros das famílias mafiosas Gambino, Inzerillo e Spatola que usavam suas contas para lavar o dinheiro dos lucros de suas atividades ilegais de tráfico de drogas, sequestros e outras atividades do crime organizado. Os Cidadãos privilegiados também incluíam a família Corleone da Máfia”. Fonte: David Yallop. O Poder e a Glória página 138-139.
Em 1995 protegeu o Cardeal Carles, acusado de lavar 100 milhões de dólares através do banco do Vaticano. Deu um emprego para ele  dentro do Vaticano, impedindo que ele fosse processado pela justiça italiana. Veja mais aqui.
2- Acobertamento da Pedofilia
“Em maio de 1981 começaram a chegar cartas e petições no Vaticano do continente africano, dos Estados Unidos, América Latina, Canadá.. e todas elas tinham um tema básico: abuso sexual. Em cada caso, os supostos culpados eram padres, bispos e membros das comunidades religiosas. As queixas sobre os Bispos eram dirigidas ao secretário ou ao prefeito da Congregação dos Bispos e aquelas que envolviam padres à Congregação do Clero e aquelas envolvendo as várias ordens religiosas, à Congregação dos Institutos da Vida Consagrada e das Sociedades da Vida Apostólica. A Secretaria enviava cada carta ao membro apropriado da equipe. O arquivista dava um número de protocolo à carta e anotava sua data, autor, diocese ou origem e assunto. Uma providência mínima era tomada”. Fonte: David Yallop. O Poder e a Glória página 142. Aplica-se o sistema secreto: o acusado tinha que responder somente ao papa. E João Paulo II nunca fez NADA.
1971: Estudo The Catholic Priest in the United States: Psychological Investigations de autoria dos padres Eugene C. Kennedy e Victor Heckler mostrou que 7% dos padres eram emocionalmente desenvolvidos, 18% estavam em desenvolvimento, 66% eram subdesenvolvidos e 8% mal desenvolvidos.
1976 – Vaticano recebe as primeiras denúncias contra o fundador dos Legionários de Cristo, Padre Maciel. Durante a visita do Papa ao México em 1979 foi convidado especial e esteve sempre ao lado de João Paulo II. Saiba mais sobre seus crimes aqui. No ano de 2010 o Papa Bento XVI chamou Marcial Maciel de “Um falso profeta de vida imoral: uma existência aventureira, desperdiçada e distorcida”. Depois de mais de 20 anos de denúncias em que ninguém fez nada.
1983 Padre Gilbert Gauthe, Louisiana, abusou de mais de 100 meninos. Em 1984, 6 famílias, com 9 vítimas levaram 4,2 milhões de dólares. Em 1984 11 garotos entraram na justiça. Ficou preso 11 anos e foi libertado em 1998.
1984 – Rita Milla em Los Angeles foi estuprada por 7 padres.
1985 Padre Mel Baltazar em Idaho foi condenado a 7 anos de prisão por abusar de meninos doentes que faziam hemodiálise ou eram coxos.
Em 1985 foi entregue ao Papa João Paulo II um relatório de 100 páginas  sobre a situação da pedofilia nos EUA. Nada foi feito.
1988 – denúncia em Terra Nova no Canadá chegou a incriminar 10% do clero.  Mais de 30 instituições católicas foram condenadas.
Padre Dino Cinel de Nova Orleans: encontrados 160 horas de vídeos domésticos de sexo com crianças e adolescentes.
Argentina: Egardo Storni, arcebispo de Santa fé abusou de 47 seminaristas.
No colégio de São Niniano os meninos eram submetidos a abusos sexuais, choques elétricos, açoitamentos com chicote de montaria.
Padre Michael Hill abusou de 20 a 30 crianças, entre elas um menino com paralisia cerebral e outro confinado a uma cadeira de rodas.
Desde 1985 na Irlanda, 4 mil alunos submetidos a trabalho escravo nos colégios católicos. 48 padres e irmãos foram condenados.
1991- Nova Zelândia: 38 casos de abusos em 6 dioceses.
Austrália: Ordem dos Irmãos São João de Deus acusada de abusar de 24 homens deficientes mentais. Depois 157 vítimas se apresentaram.
Estados Unidos entre 1985 e 2000 = revelados 1.200 padres pedófilos. Em abril de 2002, 177 padres foram afastados em 28 estados. Em março de 2006 havia 783 novas acusações (81% de vítimas masculinas). A Igreja Católica americana gastou mais de 3 bilhões em indemnizações e várias dioceses foram a falência. Fonte: ”Sua Santidade – as cartas secretas de Bento XVI” de Gianluigi Nuzzi, página 91.
1996– Estudo com 34 mil freiras católicas nos EUA. 22% foram molestadas após se tornarem freiras.
Holanda: 20 mil abusos sexuais.
2011- Canadá: Ordem católica Congregação da Santa Cruz aceitou nesta quinta-feira pagar US$ 18 milhões a dezenas de ex-alunos que foram vítimas de abusos sexuais em três escolas de Québec entre 1950 e 2001.
Salvo, citações em contrário as informações básicas foram retiradas do livro de David Yallop, O Poder e a Glória páginas 306 a 397.
3- Deixava o sexo e relacionamentos homossexuais rolar livre no Vaticano
Para religiosos, que pelas leis da igreja caída, deviam ser castos, esse é o maior dos absurdos. Sempre escondido, acobertado, tratado sem seriedade. “A carreira e a promoção eram de maior importância para qualquer seminarista determinado a se tornar bispo. Para ascender na carreira eclesiástica era preciso encontrar um protetor. Também era necessário seguir os 5 nãos: Não pense. Se pensar, não fale. Se falar, não escreva. Se pensar, falar e escrever, não assine o seu nome. Se pensar, falar, escrever e assinar seu nome, não se surpreenda. Ascender na carreira com a ajuda de um protetor também frequentemente requeria a participação em um relacionamento homossexual ativo. As estimativas da prática do homossexualismo na cidade do Vaticano variam de 20 a mais de 50%”. Fonte: David Yallop. O Poder e a Glória página 142.
4- Ajuda ao regime racista do Apartheid da Africa do Sul
O banco do Vaticano emprestou 172 milhões de dólares as agências oficiais do apartheid sul africano. (por volta de 1984). Fonte: David Yallop. O Poder e a Glória página 173.
5- Canonizou anti-semitas e escondeu a história dos papas anti-semitas
A- Maximiliam Kolbe, editor chefe do semanário O Cavaleiro da Imaculada: contribuía para envenenar a opinião pública contra os judeus e foi canonizado.
B- Concedeu o título de cavaleiro da Ordine Piano a Kurt Waldheim, secretário geral das nações unidas entre 1972 e 1981, sendo acusado de crimes de guerra na Bósnia e pela deportação de judeus de Salónica, na Grécia.
C-  Na carta Nós nos lembramos, uma reflexão sobre o shoah (Holocausto) de 1998 disse que as causas do anti-semitismo na Europa era culpa do nacional-socialismo da Alemanha e suas ideias de raça ariana. Uma tentativa surpreendente de reescrever a história. Não mencionava a ajuda do Papa Pio IX (1846-1878) que chamava os judeus de “cães dos quais há muito em Roma, uivando e nos perturbando por toda parte”. Ou a ajuda de Leão XIII (1878-1903) que descrevia os judeus de “teimosos, sujos, ladrões, mentirosos, ignorantes, pragas… uma invasão bárbara por uma raça inimiga”. Ou o clero católico da Polónia, muito bem representado por Josef Kruszynski que escreveu em 1920 que “se for para o mundo ser governado pelo flagelo judeu, será necessário exterminá-los, até o último deles”.
Em setembro de 2000, João Paulo II beatificou o Papa Pio IX (1846-1878), aquele que dizia que os judeus são como cães uivando em Roma.
D- Em 18 de maio de 1941, enquanto o holocausto dos não católicos acontecia na Croácia o Papa Pio XII recebeu em audiência o líder do Utashi (organização anti-semita, anti-sérvios e anti-ortodoxos), Ante Pavelic. Tanto o Papa como o Secretário de Estado Montini que mais tarde se tornaria o Papa Paulo VI tiveram um relacionamento bastante chegado com Pavelic. O papa designou o Arcebispo STEPINAC como capelão militar sênior. Não há registros de que ele tenha tentado reprimir os religiosos assassinos a ele subordinados. O Frei Miroslav Filipovic supervisionou como comandante de campo a matança de 20 a 30 mil reclusos e STEPINAC não fez nada. Em outubro de 1998, João Paulo II declarou que STEPINAC seria beatificado. O Centro Simon Wiesenthal conhecido como caçador de criminosos de guerra pediu que fosse adiada essa beatificação até o fim de um estudo exaustivo do registro de STEPINAC em tempo de guerra. O Vaticano ignorou o apelo e beatificou STEPINAC em 03 de outubro de 1998.
E- Aprovou o filme Paixão de Cristo de Mel Gibson (2004), baseado não integralmente na Bíblia, mas muitas partes nas visões da freira Anne Catherine Emmerich que incluem caracterizações anti-semitas dos judeus, uma Maria vestida de freira antes de inventarem o hábito da castidade, e crianças malhando o judas. Em junho de 2006 ao ser preso em Malibu na Flórida, por estar dirigindo alcoolizado, Gibson deu várias declarações anti-semitas: “Judeus de merda. Os judeus são responsáveis por todas as guerras do mundo”. Se não bastasse, Anne Catherine Emmerich foi beatificada em 3 de outubro de 2004.
Fonte: David Yallop. O Poder e a Glória página 269, 292-295, 299, 303-305, 398-410.