Evidências de um Criador – o complexo mecanismo celular das plantas para com estímulos externos

A dormideira ou sensitiva também conhecida como dorme-dorme (Mimosa pudica L.) é um pequeno arbusto perene da América tropical, pertencente à família das ervilhas. Este nome é devido à forma como os folíolos das folhas se juntam quando ela é tocada ou exposta ao calor (sismonastia). Essa sensibilidade e movimento das folhas da planta também ocorrem em outras espécies dentro da família das ervilhas.
Sismonastia ou tigmonastia é uma nastia provocada pela ação de um golpe ou sacudidela, como se observa na dormideira, cujas folhas se fecham imediatamente após uma batida. Dessa forma, a cada toque que a planta recebe (que seria recebido como ameaça) ela se fecha pois algumas células, localizadas na base de cada folha consegue perder água rapidamente. O cálcio e o potássio, elementos que estão presentes nesta planta – são responsáveis por direcionar a água para alguns espaços entre as células, causando o tal fechamento, ou encolhimento. Este processo dura pouco tempo, depois as folhas abrem novamente.
Sismonastia ou tigmonastia é uma modalidade de nastia ou nastismo (respostas não-direcionais a estímulos exógenos) causada pela ação de um estímulo mecânico, como se observa na dormideira, cujas folhas se fecham imediatamente após um toque. Desta forma, a cada estímulo mecânico (toque, vento, chuva) que a planta recebe ela se fecha, pois algumas células especializadas (pulvino), localizadas na base do pecíolo de cada folha ou folíolo, perdem água rapidamente. Isto ocorre quando um potencial de ação, gerado pelo estímulo (toque), atinge os pulvinos e causa rápida liberação de potássio e açúcar no apoplasto; assim há perda de água pelas células motoras e o consequente curvamento das folhas. As folhas permanecem fechadas por pouco tempo, depois se abrem novamente.
Quando estimuladas mecanicamente por um toque, as células da parte superior dos pulvinos li­beram íons de potássio, isso acarreta diminuição em sua pressão osmótica com consequente perda de água para as células vizinhas. A diminuição de turgor dessas célu­las provoca o fechamento dos folíolos. A reação de do­bramento das folhas da sensitiva propaga-se rapidamen­te da região estimulada para as folhas vizinhas, fazendo com que elas também se dobrem. A propagação do es­tímulo deve-se à despolarização das membranas celu­lares, provavelmente de modo semelhante ao que acon­tece na propagação do impulso nervoso nos neurónios dos animais, mas com velocidade bem menor.
Nastismos ou nastias são movimentos vegetais que ocorrem em resposta a estímulos ambientais não direcionais, ou seja, a resposta não é determinada pela direção do estímulo. Os nastismos podem envolver mudanças elásticas ou plásticas nas paredes celulares dos tecidos em movimento na planta. Mudanças plásticas são constituídas pelo crescimento diferencial e irreversível, e as mudanças elásticas são alterações reversíveis em células especializadas. A frequência destes movimentos aumenta proporcionalmente com o aumento da intensidade dos estímulos. Um exemplo de nastismo é a abertura e fechamento das flores (resposta fotonástica). Os nastismos são classificados em relação ao movimento por crescimento diferencial ou por alterações de turgor. Os tipos são:
  • Epinastia: corresponde ao movimento de curvatura para baixo de algum órgão da planta, causada por uma taxa de desenvolvimento maior do lado superior do que do lado inferior. Isso ocorre pelo fluxo desigual de auxina pela superior e inferior do pecíolo, e não pela gravidade.
  • Hiponastia: é resposta contrária a epinastia, ocorre com menor frequência e pode ser induzido pelo hormônio giberelina.
  • Termonastia: é o nastismo acionado por diferenças de temperatura. Embora repetitivo, este tipo tem caráter permanente e é resultado da alternância de crescimento diferencial nas duas superfícies dos órgãos envolvidos.
  • Hidronastia: corresponde ao dobramento e enrolamento de folhas em resposta ao estresse hídrico. Este nastismo pode ser utilizado como um complemento ao papel do fechamento dos estômatos em condições de transpiração foliar.
  • Nictinastia: refere-se as folhas que mudam de posição entre o dia e a noite. Geralmente apresentam-se “abertas” durante o dia e “fechadas” a noite.
  • Tigmonastia: é o movimento em resposta a estímulos mecânicos (exemplo: dorme-dorme).
  • Fotonastia: resposta à luz.
  • Quimionastia: resposta a químicos ou nutrientes.
  • Hidronastia: resposta à água.
  • Gravinastia ou geonastia: resposta à gravidade.


Veja abaixo um vídeo da planta dorme-dorme realizando tigmonastia.
“Quem não entende por todas estas coisas que a mão do SENHOR fez isto, que está na sua mão a alma de tudo quanto vive, e o espírito de toda carne humana?” (Jó 12:9-10 ARC)

Deixe uma resposta