A historicidade das Pragas do Egito

O texto fala de uma tremenda tempestade que envolveu o alto e o baixo Egipto, e que essa tempestade revelava a “ira” do “grande Deus”. Note-se que fala de “Deus” no singular. Para além disso, o texto diz também que este Deus era “Maior” que os “deuses” do Egipto. Segundo o Storm Stela, a tempestade mergulhou o Egipto na “escuridão” total por um período de vários dias

[Traduzido do inglês para o português de Portugal.]

Existe actualmente uma nova tradução dum antigo monumento Egípcio conhecido como “Stela” que foi recentemente publicado pelo “Journal of Near Eastern Studies” pelos professores Robert Ritner e Nadine Moeller (do “Oriental Institute” da Universidade de Chicago). Basicamente, a tradução faz uma ligação entre o Faraó Ahmose (18ª Dinastia/Novo Reino) com a erupção do vulcão Thera/Santorini.

No passado, os estudiosos alegavam que Ahmose e Thera estavam separados por mais de 100 anos, mas a nova tradução prova que eles eram contemporâneos – isto é, Ahmose testemunhou os efeitos de uma das mais mortíferas erupções vulcânicas da história da humanidade. Isto ajuda e muito em fazer uma ligação entre Thera, Ahmose e o Êxodo Bíblico.

Ahmose_Storm_StelaNo meu documentário de 2000 intitulado “The Exodus Decoded” [“Descodificando o Êxodo”], eu disse que a chave para se encontrarem evidências arqueológicas do Êxodo Bíblico era o assim-chamado “Tempest Stela” do Faraó Ahmose. O “Tempest Stela”, também conhecido como “Storm Stela”, foi encontrado por partes entre 1947 e 1952 na 3ª pylon/torre num tempo de Karnak no Tebes antigo (Alto Egipto). Ele é um texto único em linhas horizontais, copiado em ambos os lados dum bloco calcite que se estima que, de pé, atingiu 1,80m de altura. Da última vez que verifiquei, os fragmentos do “Ahmose Stela” encontravam-se numa caixa, perdidos nas entranhas do museu do Cairo. Mas os hieroglífos têm estado disponíveis há já algum tempo, e foram re-traduzidos por Ritner e Moeller.

O que é que eles descrevem?

O texto fala de uma tremenda tempestade que envolveu o alto e o baixo Egipto, e que essa tempestade revelava a “ira” do “grande Deus”. Note-se que fala de “Deus” no singular. Para além disso, o texto diz também que este Deus era “Maior” que os “deuses” do Egipto. Segundo o Storm Stela, a tempestade mergulhou o Egipto na “escuridão” total por um período de vários dias. Esta escuridão era anormal porque tornou impossível que fosse acesa até um tocha:

Nenhuma tocha pôde ser acendida nas duas terras.

Os acontecimentos que se seguiram à inundação foram tais que os templos dos deuses foram inundados, os telhados entraram em colapso, e os lugares santos “tiveram que ser declarados não-existentes“. O Nilo estava literalmente cheio de corpos humanos, “flutuando” como “pedaços” de papiro na água. Segundo Stela, “todas as casas” foram afectadas e todo o evento “espantoso” foi acompanhado das “vozes” mais barulhentas que alguma vez alguém tinha ouvido no Egipto.

Compare-se isto com a descrição do Êxodo Bíblico, das pragas de gelo e trevas que precederam o fim da escravatura dos Hebreus no Egipto, liderados por Moisés. Segundo a Bíblia, a 9ª praga foi a “Escuridão” (Êxodo 10:21) mas esta não era uma escuridão normal visto que ela era “palpável” e durou 3 dias. Nenhuma tocha poderia ser acendida. De facto, pessoas sentadas lado a lado “não se conseguiam ver uma a outra“. O Texto Bíblico declara também que a 7ª praga de “saraiva” foi acompanhada por “vozes” (Êxodo 9:29) e que o “terror apoderou-se dos habitantes do Ageu” (Êxodo 15:14), isto é, a área de Thera/Santorini. Basicamente, a “Ahmose Storm Stela” e o Torah/a Bíblia estão a descrever o mesmo evento.

Até hoje, os estudiosos tentaram minimizar a importância da “Storm Stela”, comparando isso a uma inundação normal do Nilo, ou minimizando os eventos espantosos descritos nela como “metáforas”. Mas o novo estudo de Ritner e Moerller coloca um ponto final nesse assunto. Os autores são inequívocos ao afirmar que Stela descreve um evento real, e que é um registo contemporâneo dos eventos cataclismicos de Thera..

O que eles deixam de parte é que o Faraó Ahmose governou o Egipto durante o tempo da assim-chamada expulsão dos “Hyksos”; este foi um êxodo em massa de um povo “asiático” ou “semita” que o historiador Egípcio, Manetho (que viveu no século 3 AC) e historiador Judeu Josephus, que viveu no século 1 DC, identificam como sendo o Êxodo Bíblico. Por outras palavras, Ramsés II (o Faraó favorito dos estudiosos e de Hollywood) não foi o Faraó do Êxodo, mas sim Ahmose.

Mais ainda, o que os historiadores chamam de “a expulsão dos Hyksos”, e os vulcanólogos chamam de “a erupção de Thera”, e o Torah chama de “Êxodo”, são todos o mesmo evento. Até hoje os cépticos alegavam que estes eventos não eram contemporâneos, mas os estudos mais recentes demonstram que a ciência conseguiu sincronizar Ahmose e Thera para menos de 25 anos.

É hora de admitir que há uma riqueza enorme de evidências arqueológical em favor do Êxodo Bíblico; é só uma questão de se saber onde procurar.

Mais uma vez se vê que quando a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, reporta eventos históricos (tais como a criação em seis dias normais, a co-existência entre humanos e dinossauros, o Dilúvio de Noé, a Ressurreição, etc) como eventos reais, ela pode ser aceite sem qualquer tipo de reservas.

Fonte: Simcha Jacobovici via Darwinismo.

Hendrickson Rogers

Oi, como vai? Então, o "prof. H" é professor de Matemática há 17 anos, mestre em Ensino de Matemática no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal de Alagoas, especialista em Educação Matemática e especialista em Educação a Distância. Meu nome de fato é Hendrickson Rogers e o que me define não está supracitado. Sou um guerreiro nas fileiras do Rei Jesus Cristo e minha maior motivação é Sua promessa de retorno, recriação e vida eterna sem pecado e dor! Tudo o que faço gira em torno de meu Criador e Seus ensinamentos. A família, a educação matemática e a ciência (e tudo o mais) são oportunidades de honrá-Lo e evidenciá-Lo, até que Ele mesmo prove Sua existência! Prazer! Seja muito bem vindo(a)! Vamos calibrar sua cosmovisão poderosamente =D

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: