As folhas da Árvore da Vida

“No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos” (Ap 22:2, Revista e Atualizada).
Entendendo a ideia que o revelador, João, tinha em mente ao escrever a palavra “cura”, compreenderemos todo o verso. No grego, idioma usado pelo apóstolo para escrever o Apocalipse, temos a palavra θεραπεία (qerapeian), que quer dizer “serviço”, “cuidado” (e por consequência “cura”), segundo o Léxico do Novo Testamento Grego-Portugues F. Wilbur Gingrich. Perceba que temos mais de um significado aqui, o que implica mais de uma interpretação para o verso em questão. Por isso que em diferentes versões bíblicas observamos uma variação interessante desse texto! Note:
Bíblia de Jerusalém: “e suas folhas servem de remédio para os gentios”.
NT Interlinear Grego-Inglês: “e as folhas da árvore eram para tratamento das nações”.
Revista e Corrigida: “e as folhas da árvore são para a saúde das nações”.
Nova Versão Internacional: “As folhas da árvore servem para a cura das nações”.
Θεραπεία aparece apenas em outras três vezes no Novo Testamento. Vamos conferir esses textos para obtermos mais ideias.
“Quem é, pois, o servo fiel e sensato, a quem seu senhor encarrega [θεραπείας, dá como serviço] dos de sua casa para lhes dar alimento no tempo devido?” (Mt 24:45, NVI)
“Mas as multidões, ao saberem, seguiram-no. Acolhendo-as, falava-lhes a respeito do reino de Deus e socorria [θεραπείας, tratava] os que tinham necessidade de cura” (Lc 9:11, RA).
“O Senhor respondeu: “Quem é, pois, o administrador fiel e sensato, a quem seu senhor encarrega [θεραπείας, dá o serviço] dos seus servos, para lhes dar sua porção de alimento no tempo devido?” (Lc 12:42, NVI)
Assim sendo, precisamos tentar enxergar os significados serviço e tratamento nas palavras de João:
Ideia 1 “e as folhas da árvore são para a cura [θεραπείαν, serviço ou manutenção] dos povos”. Neste caso a função das folhas da árvore seria de “manter curados os povos”, assim como o fruto da árvore é um símbolo da imortalidade doada pelo Criador e Redentor aos redimidos, suas folhas se tornam uma figura da manutenção da redenção que também será efetuada pelo próprio Deus! (É claro que um fruto ou as folhas de sua árvore não são os responsáveis pela imortalidade e sua conservação, uma vez que a Bíblia afirma que só Deus, os Três, em todo o universo, possui a imortalidade e a eternidade. Veja Gn 21:33, I Tm 1:17, 6:16 e II Tm 1:10). E sem dúvida a imortalidade doada às criaturas precisa ser mantida; caso contrário, ela desaparece! Veja Gn 3:22 e24, Jd 6 e Ez 28:15. Ideia 2 “e as folhas da árvore são para a cura [θεραπείαν, tratamento] dos povos”. Esta ideia me impressiona muito! Sabemos que na ressurreição dos salvos que morreram e na transformação dos salvos vivos (I Co 15:51 e 52), durante a volta do Rei Jesus, não haverá perda da identidade fisionômica, ou seja, os conhecidos serão reconhecidos, como no caso do Senhor Jesus (Mt 28:6 e 9). Mas, muito embora o corpo de “glória” (Ef 3:20) e o ser “como os anjos do céu” (Mt 22:30), após a ressurreição, o fato de nossa fisionomia ser mantida exige que algumas características físicas decorrentes do pecado sejam mantidas; por exemplo estatura e massa! E mais, o caráter, segundo a Bíblia, permanecerá o mesmo após a ressurreição, pois Deus dará a cada um segundo as suas obras, segundo o seu conteúdo, segundo o seu caráter! (Jr 17:10 e Ap 22:12) Sendo assim, o que dizer, por exemplo, sobre o ladrão na cruz que foi salvo por Cristo naquela sexta-feira? (Lc 23:40-43) Seu caráter será o mesmo quando Jesus o ressuscitar na primeira ressurreição (Ap 20:11). Mas, ele irá permanecer o mesmo por toda a eternidade? Aquele pecador resgatado possuirá ao se levantar do pó uma preparação doutrinária, digamos assim, para viver bem no Reino de Deus? Ele mesmo responde essas perguntas: “porque recebemos [ele e seu parceiro de crime] o castigo que os nossos atos merecem” (Lc 23:41). Pedro advertiu: “Não sofra, porém, nenhum de vós como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócios de outrem; mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome” (I Pe 4:15 e 16). Ou seja, o caráter do ladrão resgatado por Cristo na cruz precisará de tratamento (qerapeian) lá no Céu! Aliás, ainda ganhamos outra lição fantástica – os que creem que caráter bonito é ponto de salvação devem reconhecer que nada além da graça de Deus fornece créditos para o Céu! O caráter ou as obras devem ser fruto da graça e ainda quando são, nunca são usados por seus possuidores para acomodação/arrogância espiritual ou garantia de salvação. “A graça do Senhor Jesus Cristo seja com todos”, é assim que a Bíblia termina e somente assim terminaremos no Céu! Será que só o ladrão (ou melhor, o ex-ladrão) possui essa dificuldade? Quantas vezes eu já temi que o tempo de minha vida aqui na Terra seja insuficiente para o Espírito Santo me santificar e transformar meu caráter! E você? Embora Paulo afirme: “Estou plenamente certo de que Aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus” (Fp 1:6), ele também desesperou: “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” (Rm 7:24) Contudo, Deus mostrou a Paulo que Sua graça é capaz do impossível! E Jesus Cristo, a maior manifestação da graça de Deus, não atuará graciosamente em Seus filhos redimidos somente antes de Seu retorno, mas nos tratará pelos infinitos anos da eternidade também. “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor”, podemos concluir como o apóstolo (Rm 7:25)! E as folhas da árvore da vida, segundo João, são um símbolo disso, tanto para nosso físico como para nosso caráter santificado, mas não perfeito! (Por favor, leia Ef 4:13Portanto, “bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras [no sangue do Cordeiro], para que lhes assista o direito à árvore da vida” (Ap 22:14), tanto ao fruto quanto às folhas! (Hendrickson Rogers)          

Deixe uma resposta