“Por que aquela menina só anda com meninos?”

Quando as crianças são muito pequenas, até seus quatro ou cinco anos, é normal que elas tenham facilidade para brincar com outras crianças do mesmo sexo e do sexo oposto, porque as brincadeiras podem ser comuns para meninos e meninas. Não há problema em um menino nesta idade querer brincar com meninas e com brincadeiras de meninas, assim como não é problema meninas brincarem com brinquedos considerados “masculinos”. Nesta fase, a sexualidade das crianças não está sendo definida pelos brinquedos que elas usam, mas por fatores como o tipo de relacionamento que elas têm com os pais, que são modelos de feminilidade e masculinidade para elas. A menina aprende a feminilidade com a mãe e aprende com o pai a como lidar com o sexo oposto. O menino aprende no convívio com o pai a se desenvolver como homem. As crianças se desenvolvem basicamente levando em conta os exemplos que elas possuem ao redor delas. E, vale à pena lembrar que meninos (assim como homens) também têm características femininas, assim como meninas (e mulheres) também possuem características masculinas no jeito de ser.
Com o passar do tempo, quando a criança entra para a escola ou começa a se desenvolver socialmente por volta dos sete e oito anos, é comum que elas comecem a se identificar mais com o mesmo sexo, por terem formas mais semelhantes de pensar e de agir. Por isso é tão comum vermos grupo distintos na escola, de meninos e de meninas.
Quando uma menina começa a procurar somente a companhia de meninos e vice versa, é importante prestar a atenção em alguns fatores:
– Como este menino ou menina está sendo recebido (a) em seu grupo de amigos do mesmo sexo? É importante verificar a possível existência de bullying ou outros problemas de relacionamento que possam existir.
– Como tem sido o relacionamento deste menino ou desta menina com os pais? Meninos cujos pais são muito ausentes e cujas mães são muito dominadoras e dependentes afetivamente do filho podem ter  dificuldades em aprender a lidar com o mesmo sexo. Meninas que têm suas mães muito ausentes e cujos pais são muito presentes e dependentes afetivamente da filha podem ter dificuldade em não saber lidar socialmente com meninas. Por isso, muitas procuram aquele círculo de amizades mais “confortável” socialmente.
Se estas situações forem verificadas, a família pode entrar em cena e ajudar esta criança a desenvolver suas habilidades sociais com o mesmo sexo a fim de que tenham um modelo de feminilidade para as meninas, e de masculinidade para os meninos. Isso pode acontecer através de um tio, primo, ou avô para os meninos e da mesma forma para as meninas através de uma tia, prima ou avó.
– A ajuda da família neste sentido será muito mais importante e eficaz do que brigar com a criança por estar agindo assim.
Fonte: Novo Tempo.

Deixe uma resposta