O povo do sábado; mas, o povo da Bíblia?

A população judaica no mundo cresceu 2 por cento desde 1970, e atualmente é de cerca de 13 milhões de pessoas, segundo o relatório sócio-demográfico elaborado pelo Instituto de Planejamento do Povo Judaico, vinculado à Agência Judaica (no mesmo período, a população mundial cresceu 70 por cento). “Depois do Holocausto, no qual um terço dos judeus morreu, a população judaica no mundo era de 11 milhões. Para chegar a 12 milhões se passaram 13 anos, e outros 46 anos para atingir 13 milhões”, contabiliza o Professor Sérgio Della Pérgola, da Universidade Hebraica de Jerusalém e que dirigiu a pesquisa. Como a Igreja Adventista do Sétimo Dia ultrapassou recentemente a marca dos 14 milhões de membros no mundo, os adventistas se tornaram, pela primeira vez na História, o maior grupo defensor e guardador do sábado no planeta.

Num momento em que a onda anticriacionista se agiganta na mídia e nos meios acadêmicos (basta fazer um levantamento da quantidade de matérias veiculadas pela imprensa no ano passado contra a idéia de um Criador), isso é significativo. O criacionismo e o sábado bíblico fazem parte da terceira mensagem angélica de Apocalipse 14. E Ellen White prediz que nos últimos dias “o sábado será a pedra de toque da lealdade; pois é o ponto da verdade especialmente controvertido. Quando sobrevier aos homens a prova final, traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não O servem. Ao passo que a observância do sábado falso em conformidade com a lei do Estado, contrária ao quarto mandamento, será uma declaração de fidelidade ao poder que se acha em oposição a Deus, é a guarda do verdadeiro sábado, em obediência à lei divina, uma prova de lealdade para com o Criador”. – O Grande Conflito, pág. 605.
Atualmente, a Igreja Adventista do Sétimo Dia é tida como a maior defensora do criacionismo bíblico. Por isso já foi até acusada de “fundamentalista” por revistas seculares. Essa polarização – de um lado os defensores do sábado e da Criação e de outro os que sustentam o darwinismo (e há muitos cristãos entre eles) acima de qualquer outra visão sobre as origens – possivelmente ajudará a conduzir à controvérsia da qual fala a escritora. 

Judeus e adventistas em números

– Em 1900 havia 10,5 milhões de judeus no mundo e apenas alguns milhares de adventistas.
– Hoje há 13 milhões de judeus e 14 milhões de adventistas no planeta.
– No Brasil, são 110 mil judeus e quase 1,5 milhão de adventistas.
– Nos Estados Unidos e em Israel se concentram as maiores populações de judeus (5,7 milhões e 5,1 milhões, respectivamente, o que representa 80 por cento do judaísmo mundial); o Brasil possui a maior quantidade de adventistas do mundo, seguido dos Estados Unidos.

(Dados da Federação Israelita Brasileira, Confederação Israelita do Brasil e Divisão Sul-Americana da IASD) 

Nota: Professar guardar o sábado, ser membro de uma igreja e ser religioso até Satanás pode ser considerado assim! Basta lembrar que os fariseus contemporâneos a Jesus professavam obediência à Lei eterna de Deus, eram os “donos” das sinagogas e inquestionavelmente religiosos. Mas, Jesus chamou a vários deles de “filhos do diabo” (Jo 8:44). É triste perceber como a maioria dos professos cristãos não tem muito a ver com Cristo e Seu manual – a Bíblia. Vão a igreja, revelam alto teor de denominacionalismo (e, inevitavelmente, discriminação e preconceitos!), mas conhecimento bíblico e fruto do Espírito ficam só na Palavra… Os judeus incorreram nesse estilo de vida e perderam sua posição. O Apocalipse deixa claro que nenhuma denominação cristã terminará a pregação do evangelho na Terra, mas o remanescente o fará, o qual não é uma denominação, uma religião conhecida! O remanescente (Ap 12:17, 14:6-12 e 18:1-4) é o que restou da Verdade ou da prática da Verdade! O sábado ainda não é o selo de Deus, isto é, o remanescente do Apocalipse não é o povo do sábado, assim como os selados pela besta (Ap 13) não são os guardadores do domingo. E quando o sábado se tornar uma marca divina, o livro que prediz o futuro de nosso planeta não apresenta um povo, mas uma sobra… Os pacientes ou perseverantes em obedecer a Cristo (Ap 14:12), de acordo com a luz que receberam do Céu, ficarão de pé mesmo diante dos terríveis acontecimentos político-religioso-internacionais que já estão ensaiando ao redor do mundo! Eles não exaltarão uma denominação (pois só isto já consistiria evidência de que não seriam o remanescente), mas por certo, suas vidas pregarão com poder a Verdade bíblica e Deus, em Sua graça, inundará os continentes com Sua glória, e voltará para buscar, não uma denominação, mas o que restou dos cristãos bíblicos espalhados pela perseguição realizada pelos outros “cristãos”, os denominacionalistas, a grande maioria! (Hendrickson Rogers) 

Deixe uma resposta