Ancestrais humanos tão desenvolvidos quanto os atuais!

Um grupo de paleontólogos afirmou ter descoberto pequenas lâminas numa caverna da África do Sul que comprovam que o homem arcaico [sic] era um pensador avançado e que fazia instrumentos de pedras há 71.000 anos [segundo a cronologia evolucionista] antes do que se achava até agora. As descobertas sugerem que nossos primeiros antepassados da África tinham uma capacidade maior para o pensamento complexo e a produção de armas deu a eles uma vantagem em termos de instinto evolucionário sobre o homem de Neanderthal [outro homem bastante avançado], segundo os autores de um estudo publicado na revista Nature. Os cientistas concordam que nossa linhagem apareceu na África há mais de 100 mil anos [mas também há pesquisas que indicam uma origem asiática], mas há muito debate sobre quando a personalidade cultural e cognitiva do Homo sapiens começou a se assemelhar com à do homem moderno. As pequenas lâminas achadas na África do Sul teoricamente teriam sido manufaturadas entre 65.000 e 60.000 anos [sic].
Agora, uma equipe de cientistas descobriu lâminas muito mais antigas, chamadas microlíticas e produzidas através de lascas de pedra aquecidas, em uma caverna perto da Baía de Mossel, litoral sul da África do Sul. “Nossa pesquisa mostra que a tecnologia microlítica se originou na África do Sul, evoluiu durante um longo período de tempo (cerca de 11.000 anos) e tinha um complexo tratamento com calor”, afirmam os autores do estudo. “Tecnologias avançadas na África eram antigas e duradouras”, explicaram, acrescentando que a longa ausência de artefatos instrumentais no registro paleontológico é explicada por um número relativamente pequeno de sítios escavados até o momento, e não por uma inexistência de conhecimento tecnológico do homem primitivo. A descoberta evidencia que o antepassado do homem moderno na África do Sul tinha a habilidade de fazer artefatos complexos e ensinar seus companheiros a como fazê-los. Isso permitiria que eles produzissem instrumentos como flechas capazes de atingir maiores distâncias que as lanças manuais. “As armas do tipo projéteis microlíticos ampliaram a capacidade de sucesso na caça, reduziram o risco de ferimentos dos caçadores e estenderam o raio de violência letal interpessoal”, afirma a equipe. “Também conferiram vantagens substanciais ao homens da época quando deixaram a África e encontram representantes do homem de Neanderthal equipado apenas com lanças manuais.”
O homem de Neanderthal viveu em partes da Europa e partes da Ásia por cerca de 300.000 [sic], mas desapareceu há 40.000 anos [sic]. Comentando o estudo, a antropóloga Sally McBrearty, da Universidade de Connecticut, afirmou que, ao fazer essas armas, os humanos arcaicos teriam usado lascas de pedras cuidadosamente selecionadas por sua textura e com uso do calor para poder trabalhar com elas mais facilmente. Eles teriam moldado as lâminas em formas geométricas, provavelmente para o uso de flechas atiradas de arcos. Isso, por outro lado, implicaria que aqueles homens teriam que coletar outros materiais como madeira, fibras, penas, osso e tendões por um período de dias, semanas ou meses, o que teria sido interrompido por outras tarefas mais urgentes. “A habilidade de preservar e manipular operações e imagens de objetos na memória, e depois executar procedimentos posteriormente, é umcomponente essencial da mente moderna”, escreveu McBrearty.
Fonte: Info.
Nota: Tente ler esse tipo de texto eliminando as fantasias e os elementos criados pela imaginação fértil dos pesquisadores, e fique apenas com os fatos. Fato 1: aos poucos, o mito do homem das cavernas troglodita e ignorante vai caindo por terra. Fato 2: como admite a reportagem, “a longa ausência de artefatos instrumentais no registro paleontológico é explicada por um número relativamente pequeno de sítios escavados até o momento, e não por uma inexistência de conhecimento tecnológico do homem primitivo”; portanto, todo o conhecimento factual sobre os tais homens das cavernas é baseado em evidências mínimas, pois é pequeno o número de sítios escavados. Fato 3: “O antepassado do homem moderno na África do Sul tinha a habilidade de fazer artefatos complexos e ensinar seus companheiros a como fazê-los.” Fato 4: “A habilidade de preservar e manipular operações e imagens de objetos na memória, e depois executar procedimentos posteriormente, é um componente essencial da mente moderna.” Entre as elucubrações e os fatos, com o que você fica? (Michelson Borges)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: