A corrupção científica somada à ganância inescrupulosa da indústria farmacêutica e os (pseudos)tratamentos do CÂNCER! (1ª parte)

A Medicina Algumas pessoas querem saber por que a “guerra contra o câncer”, que o presidente Nixon iniciou em 1971/72, não produziu uma cura para o câncer. Esse artigo irá explicar por que a “Guerra contra o câncer” produziu poucos, (se é que algum) resultados.

Para visualizar o que ocorre na “indústria do câncer”, hoje, e para saber o que está por trás dos bastidores, aqui está uma curta história que descreverá como a Medicina Ortodoxa trata atualmente os pacientes de câncer.  

Uma história Suponha que você possui uma casa bonita, confortável, de US$ 300.000, no campo, perto de uma cidadezinha. Enquanto você vai até o armazém, sua casa pega fogo. Quando você retorna à sua casa, você vê que dois cômodos estão em chamas e o fogo está se espalhando. Você chama o Corpo de Bombeiros imediatamente. 

Vinte minutos mais tarde, três caminhões de bombeiros aparecem. Os homens e mulheres do primeiro caminhão tiram machados do seu interior e correm para a casa e começam a derrubar partes da casa que já estão queimadas, mas, que ainda estão em combustão lenta, sem chamas. Eles furiosamente cortam e cortam e quando já cortaram aproximadamente 10% das partes da casa que já estavam queimadas, eles pararam e voltaram para o caminhão. Você nota que eles não fizeram nada para impedir que o fogo se espalhasse. O que eles cortaram fora não estava nem queimando e certamente não tinha nada a ver com apagar o fogo feroz. Você observa os homens e as mulheres no segundo caminhão puxarem uma mangueira e começarem a espalhar um pó no fogo. A quantidade de pó que eles pulverizaram não lhe pareceu suficiente para apagar o fogo. Mas você nota que, enquanto o pó está reduzindo a velocidade com que o fogo se espalha, ele também está danificando gravemente as partes da casa que não estão em chamas. Perplexo, você pergunta aos bombeiros o que é aquele pó. Eles dizem que é um ácido muito tóxico que é capaz de apagar o fogo, mas, eles não podem pulverizar muito dele, no fogo, pois se o fizessem, toda a casa ficaria reduzida a um monte de entulho, pela ação do ácido. Assim, tudo o que eles podem fazer é diminuir a velocidade com que o fogo se espalha, mas eles não podem impedir que o fogo se espalhe. Mais perplexo ainda, você lhes pergunta por que eles não trouxeram água no caminhão. Eles disseram que, na escola de bombeiros, eles aprenderam que a água era inútil para apagar fogo em casas. Eles disseram que usar água no fogo de uma casa é uma “história de comadres” e que a água não era eficaz. Eles também disseram que o sindicato dos bombeiros do Estado destituiria do emprego qualquer bombeiro que usasse água para apagar o fogo de uma casa. 
Por total coincidência, você também está consciente de que a agência reguladora federal, a  Fire Development Administration  – FDA, pesquisou a água e declarou que ela é um método “não testado” de apagar fogo das casas. A FDA diz que há “evidência insuficiente” quanto à eficácia e segurança da água. Você silenciosamente murmura que deve haver uma grande conexão entre a FDA, o sindicato dos bombeiros, as escolas de bombeiros e as companhias químicas. Enquanto você estava conversando com as mulheres e os homens do segundo caminhão, cinco homens pularam de um terceiro caminhão. Eles lhe perguntam onde fica o sofá na sala de visitas. Você aponta na direção geral do sofá na sala de visitas, que você supõe estar agora em chamas. Cada um deles tira um rifle calibre 30-06 e começa a atirar no sofá, do local onde eles se encontram, em pé, ao lado do caminhão de bombeiros deles. Você grita com eles e lhes pergunta o que eles estão fazendo. Eles respondem que eles aprenderam na escola de bombeiros que é muito ruim ter sofás numa casa durante um incêndio, então eles estão tentando atirar até deixar o sofá em pedaços. Eles comentam: “Nós achamos que estamos fazendo alguma coisa boa.” Você diz que mesmo que o sofá ajude a espalhar o fogo, eles estão abrindo buracos na frente e atrás da casa tentando deixar o sofá em pedaços de for a da casa. Além disso, muito impaciente, você diz que o fogo já se espalhou além do local onde se encontra o sofá. Ao mesmo tempo em que a velocidade de propagação do fogo diminuiu devido aos ácidos tóxicos, dentro de duas horas você não mais terá uma casa. Os bombeiros, homens e mulheres, estavam muito orgulhosos porque conseguiram diminuir as chamas. Eles lhe dizem que sua casa durou uma hora extra devido ao trabalho deles. Você duvida da precisão daquele número. Eles se cumprimentam vitoriosamente com as mãos, sobem nos seus caminhões de bombeiros, e voltam para o local do Corpo de Bombeiros. Entre fogo, ácido e balas, sua casa foi reduzida a entulhos. O corte da madeira que já havia sido queimada pelo primeiro caminhão não teve nenhum efeito sobre parar o fogo. De fato, nada do que foi feito parou o fogo, apenas diminuiu a velocidade de propagação. 
Você ficou atônito com o que viu. Você pondera sobre o porquê dos “jornalistas investigativos” não terem pulado sobre esse fato. Então você compreende quanto dinheiro as companhias químicas gastam com propaganda na televisão e você compreende por que os “jornalistas investigativos”  mantiveram suas bocas fechadas. Uma semana depois, quando você passa pelo Corpo de Bombeiros, você nota que todos os carros no estacionamento são carros muito caros. Um mês mais tarde, você fica sabendo que eles estão dirigindo carros muito caros. Eles enviaram a conta pelos seus serviços: US $100.000. Mas eles anotam, na conta, que a companhia de seguro de casas pagará a maior parte da conta. Você fica perplexo quando lê a política do seu seguro de casa e descobre que a companhia de seguro não paga a conta se o Corpo de Bombeiros usa água. Você pensa consigo: “Qual é a conexão entre o Corpo de Bombeiros, o sindicato de bombeiros, a escola de bombeiros, a FDA, as companhias de seguros, os canais de televisão e as companhias químicas”? Uma coisa fica clara para você, você agora sabe por que todos os seus amigos pensam que os bombeiros são heróis, os canais de televisão constantemente os retratam como heróis em seus programas. À medida que você pesquisa todas as conexões entre essas organizações, rapidamente torna-se claro para você que todos eles são propriedades de (ou controlados por) pessoas muito ricas que são muito, muito amigas entre si. Você adquiriu uma nova compreensão do que significa quid pro quo – você coça as minhas costas e eu coço as suas. Você conclui que quid pro quo dessa magnitude é outro termo para “conspiração.”

Fim da história O que acabou de ser descrito é como a “medicina moderna” trata o câncer em metástase. O câncer pode ser comparado ao fogo. É um fogo que vai se espalhar até matar você. Mas a “medicina moderna” não faz nada para apagar esse fogo. O primeiro caminhão representa a cirurgia para cortar fora os tumores ou partes do corpo onde estão concentradas as células cancerosas, depois que o câncer já se espalhou por todo o corpo! O terceiro caminhão representa radiação, que também é usada para encolher tumores. Como o segundo caminhão representa quimioterapia, o “progresso” que a quimioterapia está fazendo é frequentemente julgado por sua habilidade de encolher tumores. Oncologistas adoram dizer ao paciente de câncer que seus tumores estão encolhendo. Mas, mesmo que a quimioterapia não diminua o avanço do câncer, e mesmo que ela ponha o paciente em remissão, é quase sempre uma vitória  de Pirro temporária porque câncer quase sempre retorna. 
Para compreender como tudo isso está relacionado à disseminação do câncer, considere esse trecho, escrito por um médico, recentemente falecido, Dr. Philip Binzel:
Quando se descobre que o paciente tem um tumor, a única coisa que o médico discute com aquele paciente é o que ele pretende fazer com o tumor. Se um paciente com tumor está recebendo radiação ou quimioterapia, a única pergunta feita é, “Como vai o tumor?” Ninguém pergunta como o paciente está passando. No meu treinamento de médico, lembro-me bem de quando via pacientes que estavam sendo submetidos à radio e/ou quimioterapia. O tumor ficava menor e menor, mas, os pacientes se tornavam mais e mais doentes.  Em autópsias, nós ouvíamos , “Não é uma maravilha? O tumor desapareceu!” Sim, ele desapareceu, mas, o paciente também. Quantas milhões de vezes nós vamos repetir esses cenários até compreender  que estamos tratando da coisa errada? No câncer primário, com raras exceções, o tumor não é nem perigoso para a saúde e nem uma ameaça à vida. Eu vou repetir essa afirmativa. No câncer primário, com raras exceções, o tumor não é nem perigoso para a saúde e nem uma ameaça à vida. O que é perigoso para a saúde e uma ameaça à vida é a propagação  daquela doença pelo resto do corpo. Não há nada na cirurgia que irá impedir o câncer de se espalhar. Não há nada na irradiação que irá impedir a doença de se espalhar. Não há nada na quimioterapia que irá impedir que a doença se espalhe. Como nós sabemos? Veja as estatísticas! Há uma estatística conhecida como “tempo de sobrevida”. Tempo de sobrevida é definido como o intervalo de tempo entre o ponto em que primeiro se fez o diagnóstico de câncer num dado paciente e o ponto em que aquele paciente morre dessa doença. Nos últimos cinqüenta anos, houve um tremendo progresso no diagnóstico precoce de câncer. Naquele período de tempo, houve um tremendo progresso na habilidade cirúrgica para remover tumores. Houve um tremendo progresso no uso da radiação e da quimioterapia nas suas habilidades de encolher ou destruir tumores. Mas, o tempo de sobrevida do paciente com câncer, hoje, não é maior do que era há cinqüenta anos atrás. O que isso significa? Significa, obviamente, que estamos tratando da coisa errada!” (Philip Binzel, médico, Vivo e Bem, capítulo 14).
Em outras palavras, se o câncer não foi disseminado a partir do tumor, o tumor não apresenta nenhum perigo ao paciente (com raras exceções como, por exemplo, quando um tumor bloqueia o fluido no ducto biliar comum). É importante compreender que a vasta maioria das células, num tumor, é saudável. As células de câncer NÃO PODEM fabricar tecido. Assim, se o câncer estivesse contido dentro do tumor, não haveria células cancerosas no corpo da pessoa em quantidade suficiente para pôr sua vida em perigo. Da mesma maneira, se um homem tivesse câncer de próstata e o câncer estivesse contido dentro da glândula da próstata não existiriam células dentro da próstata em número suficiente para pôr em risco a vida do paciente. Mesmo que as células cancerosas no tumor fossem mortas, ou o tumor retirado, não resolveria o problema da disseminação do câncer. Não existiriam benefícios ao paciente porque é a disseminação do câncer que mata pacientes de câncer, não o câncer dentro do tumor. Ainda assim, o foco da Medicina Ortodoxa está no encolhimento dos tumores. A quimioterapia (o segundo caminhão de bombeiros, no exemplo) é tão tóxica para os pacientes de câncer que se eles dessem a quantidade suficiente para matar todas as células cancerosas, o paciente morreria imediatamente em conseqüência dos efeitos colaterais da quimioterapia. Então, os médicos aplicam quimioterapía em doses muito baixas (embora elas pareçam doses muito altas), insuficientes para realmente curar você. Nesse meio tempo, o câncer continua a se espalhar. 
A quimioterapia pode colocar um paciente “em remissão,” mas, praticamente todo paciente com câncer que vai para a remissão um dia sai da remissão e, mais tarde, morre. Inacreditavelmente, médicos usam radiação, o terceiro caminhão de bombeiros, mesmo depois de o câncer ter começado a se espalhar. Eles estão interessados em encolher o tumor. Como dito anteriormente, o tumor não é o problema, a disseminação do câncer que é o problema. Enquanto a Medicina Ortodoxa continua a usar tratamentos inúteis, que só temporariamente reduzem a velocidade de disseminação do câncer, muitos pacientes de câncer que usam tratamentos alternativos não passam melhor que eles. Muitos dos praticantes da Medicina Alternativa não usam os melhores tratamentos de câncer. Eles foram treinados ou para usar os tratamentos mais lucrativos, ou eles estão simplesmente interessados em ganhar o máximo possível de dinheiro, o mais rápido possível. 
Para piorar a situação, os fornecedores de suplementos naturais vendem, geralmente, só os seus produtos, assim, se eles tiverem uma linha muito fraca de produtos, o paciente provavelmente não vai sobreviver. Quando uma pessoa é acometida de câncer, suas chances de sobrevida são praticamente nulas. Se eles procuram a Medicina Ortodoxa, lhes é assegurado que receberão os tratamentos acima discutidos. Mas mesmo se eles procurarem a Medicina Alternativa eles provavelmente obterão tratamentos que simplesmente não funcionam. Isso deixa o paciente com câncer num dilema. Não importa o caminho que eles procurem, as únicas coisas que estão indo bem são seus cânceres e seus médicos. Mas, acredite ou não, há boas notícias! Enquanto a indústria farmacêutica trabalha pelo dinheiro, a Mãe Natureza não trabalha pelo dinheiro. E a Mãe Natureza é muito mais esperta do que os químicos da indústria farmacêutica. E existem algumas pessoas na Medicina Alternativa que não estão se enriquecendo tratando de pacientes com câncer e elas sabem como curar a vasta maioria dos casos de câncer. E existem até alguns poucos fornecedores que têm produtos fortes o suficiente para quase todos os casos de câncer!
Esse artigo bastante longo, que é praticamente um pequeno livro dividido em três partes, vai levar o paciente com câncer, ou seus atendentes, através das estupefações decorrentes das farsas a que eles têm sido expostos durante suas vidas. Esse artigo NÃO é, definitivamente, um artigo sobre tratamento. De modo algum use esse artigo para desenhar um programa de tratamento de câncer. Há dúzias de artigos nesse website [Tutorial do Câncer] que se ocupam de tratamentos de câncer. Mas este artigo não é um deles. Quando você terminar este artigo, vá para a Home Page desse website e a ela conduzirá você aos artigos sobre tratamentos de câncer. Mas, por enquanto, discutamos por que tantos pacientes com câncer morrem.
Fonte: Cancertutor.

Deixe uma resposta