Apocalipse – possibilidades (capítulo 2: Esmirna)

Clique/aperte na numeração de verde para ir mais rapidamente para as notas de rodapé

 Ap   Texto (ARA, 3ª ed)    Leitura com a fundamentação das possibilidades que tentam alcançar a intenção do profeta João  Leitura enxuta              
2.8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver: Para o mensageiro que receberá esta mensagem lá na igreja de Esmirna, você diz assim João: o Autor desta mensagem é o originador e terminador de tudo, Aquele que está vivo, muito embora tenha morrido, mas voltou à vida: Para o mensageiro que receberá esta mensagem lá na igreja de Esmirna, você diz assim João: o Autor desta mensagem é o originador e terminador de tudo, Aquele que está vivo, muito embora tenha morrido, mas voltou à vida:
2.9 Conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico) e a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus e não são, sendo, antes, sinagoga de Satanás. Eu conheço a pressão sob a qual vocês da igreja de Esmirna[1] estão, bem como a falta[2] de recursos básicos (mas como Eu enxergo riqueza de caráter em vocês!); vejo de perto também a difamação de Minha Pessoa naqueles que se declaram cristãos[3] e não são; Eu os considero membros da sinagoga de Satanás. Eu conheço a pressão sob a qual vocês da igreja de Esmirna estão, bem como a falta de recursos básicos (mas como Eu enxergo riqueza de caráter em vocês!); vejo de perto também a difamação de Minha Pessoa naqueles que se declaram judeus e não são; Eu os considero membros da sinagoga de Satanás.
2.10 Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. Não fiquem com medo exagerado após Eu lhes falar sobre as dificuldades que ainda virão sobre vocês. Eu permitirei que o maior caluniador do universo lance alguns de vocês na prisão, será mais um momento de provação; essa pressão durará dez dias[4]. Por favor, sejam fieis ainda que até a morte, pois Eu lhes garanto que a morte não será o fim de vocês; Eu prometo que, após a ressurreição, colocarei em suas cabeças a coroa da vitória e vida eternas! Não fiquem com medo exagerado após Eu lhes falar sobre as dificuldades que ainda virão sobre vocês. Eu permitirei que o maior caluniador do universo lance alguns de vocês na prisão, será mais um momento de provação; essa pressão durará dez dias. Por favor, sejam fieis ainda que até a morte, pois Eu lhes garanto que a morte não será o fim de vocês; Eu prometo que, após a ressurreição, colocarei em suas cabeças a coroa da vitória e vida eternas!
2.11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte. Quem tem interesse em aprender de Mim, atenda ao Espírito Santo que está conduzindo as mentes de João (na recepção desta mensagem e sua escrita) e Meus outros mensageiros (na leitura e transmissão dela) das sete igrejas. O Espírito afirma: quem continuar vencendo não receberá a condenação eterna ou segunda morte. Quem tem interesse em aprender de Mim, atenda ao Espírito Santo que está conduzindo as mentes de João e Meus outros mensageiros das sete igrejas. O Espírito afirma: quem continuar vencendo não receberá a condenação eterna ou segunda morte.

 

Referências:

BATTISTONE, Joseph J. Lições da Escola Sabatina, 2º Trimestre de 1989, nº 374, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP.

MAXWELL, C. Mervyn; GRELMANN, Hélio Luiz. Uma nova era segundo as profecias do Apocalipse. Casa Publicadora Brasileira, 2004.

SILVA, Rodrigo Pereira. Comentário Gramático Histórico do Apocalipse – Anotações para acompanhamento de classes. Faculdade Adventista de Teologia, 2009. Disponível em: <http://www.adventistas.com/wp-content/uploads/2014/10/Comentario-Gramatico-Historico-do_Apocalipse-Rodrigo-P-Silva.pdf>. Acesso em: jan. 2017.

[1] “Uma vez mais, todos concordarão que a descrição corresponde adequadamente à experiência da igreja no segundo e terceiro séculos, ou seja, entre o ano 100 e o término da feroz perseguição movida por Diocleciano, em 313” (MAXWELL, 2004, p. 123).

[2] “A pobreza aqui mencionada é πτωχεία [ptocheia], cujo sentido é mais de privação e não apenas de ser pobre” (SILVA, 2009, p. 85).

[3] “Na interpretação simbólica de Esmirna como um período da história da igreja, os falsos “judeus” possivelmente devam ser entendidos como falsos cristãos. Tal interpretação bem poderia corresponder ao elevado número de cristãos gnósticos, cujas engenhosas reinterpretações da Bíblia significaram um pesado fardo de preocupações para os genuínos cristãos bíblicos desse período” (MAXWELL, 2004, p. 123).

[4] Possibilidades: “As dez grandes perseguições podem ser relacionadas desta forma: (a) Sob Nero: 64-68 d. C. (b) Sob Dominiciano: 68-96 d. C. (c) Sob Trajano: 104-117 d. C. (d) Sob Aurélio: 161-180 d. C. (e) Sob Severo: 200-211 d. C. (f) Sob Máximo: 235-237 d. C. (g) Sob Décio: 250-253 d. C. (h) Sob Valeriano: 257-260 d. C. (i) Sob Aureliano: 270-275 d. C. (j) Sob Diocleciano: 303-312 d. C. Durante esse tempo, a matança de cristãos foi tremenda.” Disponível em: <http://piblondrina.com.br/mensagem/item/425-n%C3%A3o-temas-o-que-tens-de-sofrer?tmpl=component&print=1>. Acesso em: jan. 2017. Seriam 10 dias literais ainda na época de João, ou seja, cumprimento imediato (MAXWELL, 2004) e também 10 anos (um dia para cada ano) no futuro, na época de Diocleciano?

O dízimo e as cartas de Paulo

Devolver o dízimo sem ser justo e amável é equivalente a querer ser justo e amável sem devolver o dízimo

Hipóteses:

H1 Paulo afirmou que o dízimo não existia mais.

H2 Paulo afirmou que o dízimo ainda vigorava.

H3 É razoável acreditar que o sistema dízimo-ofertas do AT foi mantido na/adaptado a fase apostólica do povo de Israel (o Israel espiritual, pós-santuário e serviços sacrificais), por meio dos escritos paulinos.

H4 Quem dizima e quem recebe o dízimo, hoje em dia, não obedece à Bíblia.

Continue Reading…

Fósseis de Galápagos: pedra no sapato dos evolucionistas

                   Revelações importantes

Afloramentos vulcânicos no arquipélago de Galápagos não parecem fornecer a riqueza de exemplares encontrados em outras localidades ricas em fósseis ao redor do mundo. No entanto, os fósseis estão, de fato, presentes nas Ilhas Galápagos. Esta breve revisão aborda o onde, o que, quando e por que de haver fósseis nas Ilhas Galápagos, e fecha com uma discussão sobre sua potencial contribuição para o desenvolvimento de modelos sobre as origens.

Onde estão os fósseis encontrados nas Ilhas Galápagos?

  1. Os sedimentos depositados em águas rasas ao redor das ilhas e posteriormente levantados acima do nível do mar, muitas vezes contêm fósseis de organismos marinhos (tais como conchas de moluscos).[1]
  1. Tubos de lava se formam durante as erupções vulcânicas, quando o topo de um fluxo de lava resfria e solidifica, mas a lava continua a fluir por baixo. Quando drenos de lava se esvaem desses condutos tubulares, um espaço vazio é deixado no subsolo. Esses túneis e fissuras muitas vezes contêm sedimentos com restos fósseis de vertebrados terrestres.[2]
  1. O interior de algumas das ilhas é caracterizado por um clima mais consistentemente úmido. Pequenos lagos e pântanos, formados dentro de crateras vulcânicas inativas, podem ser encontrados. Os sedimentos que enchem o fundo dessas pequenas depressões contêm material vegetal fóssil.[3, 4]

Continue Reading…

Dr. Kirk Durston encosta na parede os críticos do Design Inteligente

                      Saiam dessa agora…

Uma pergunta importante a ser feita àqueles que negam, supostamente em bases científicas, o DesignInteligente envolvido na origem e diversificação da vida é esta: “Qual método científico você usou para testar Design Inteligente? Se você não tem nenhum método científico para testar Design Inteligente, então você não pode afirmar em bases científicas que o DesignInteligente não esteve envolvido” (Kirk Durston, PhD Biophysics).

Nota do blog Desafiando a Nomenklatura Científica“Pano rápido, pois alguns críticos e oponentes do Design Inteligente, especialmente da Nomenklatura científica e da Galera dos meninos e meninas de Darwin, ficaram numa sinuca de bico epistemológica! Fui, nem sei por que, vendo cada vez mais as proposições do DI serem lógica e cientificamente confirmadas.”

Por que o pênis humano não tem osso?

           Osso conhecido como “báculo”

Estudo afirma que antepassados dos humanos podem ter tido e perdido o báculo há cerca de dois milhões de anos. Cientistas britânicos que estudaram a evolução do osso do pênis nos mamíferos acreditam que os humanos perderam esse osso há cerca de 1,9 milhão de anos devido à monogamia. Esse osso, que ainda existe em muitos mamíferos e é conhecido como báculo (baculum), varia muito em tamanho – o do macaco pode medir o mesmo que um dedo e o das morsas pode chegar a 60 centímetros. De acordo com os pesquisadores da Universidade de Londres, pode ter existido nos antepassados dos humanos e desaparecido quando a monogamia emergiu como a principal estratégia de reprodução. Continue Reading…

A importância da repetição no sucesso das mentiras

        O fenômeno da “ilusão da verdade”

A máxima de que “basta repetir uma mentira para que ela se torne verdade” é uma das regras básicas da propaganda política, constantemente atribuída ao nazista Joseph Goebbels. Entre psicólogos, é conhecida como efeito da “ilusão da verdade”. Um experimento típico mostra como isso funciona: voluntários avaliam o quanto de verdade há em algumas afirmações triviais. Algumas delas são reais e outras são mentiras muito parecidas com a verdade. Após um intervalo de alguns minutos ou de algumas semanas, os participantes fazem o teste novamente, mas desta vez algumas das afirmações são novas. Os resultados mostram que as pessoas tendem a avaliar como sendo verdade afirmações que elas já ouviram antes, mesmo que sejam falsas. Isso porque simplesmente soam mais familiares. E assim, em um laboratório de alguma universidade ou instituto de pesquisa, parece estar a explicação para essa ideia de que basta repetir uma mentira para ela ser percebida como verdade. Continue Reading…

Mark Armitage obteve vitória judicial

              Injustiça parcialmente reparada

O cientista microscopista demitido por ter publicado artigo científico com achados de tecidos moles em fóssil de dinossauro que embaraçou Darwin obteve uma decisão histórica contra a Universidade Estadual da Califórnia. Mark Armitage contou ao Creation Evolution Headlines (CEH) que seu caso contra a Universidade Estadual de Cal (CSUN, em inglês) resultou em um acordo após a juíza Dalila Lyons do Tribunal Superior da Califórnia ter decidido em seu favor em uma moção de adjudicação. Em vez de enfrentar uma perda provável perante um júri, os advogados da CSUN escolheram resolver tudo com o próprio Armitage. Armitage escreve: “Não foi simplesmente uma moção de julgamento sumário que o juiz decidiu contra. O juiz decidiu contra eles [universidade] em uma moção para julgamento. Há uma grande diferença. Em outras palavras, o juiz fez uma decisão sobre o caso e conclui, de fato, que nós provamos nosso caso, que eles me discriminaram contra a minha religião, e eles falharam em acompanhar ou investigar uma queixa por escrito de discriminação religiosa. Não havia sentido que a Universidade fosse arrastada para o julgamento do júri porque estava claro que eles iriam perder no julgamento e os ganhos teriam sido muito maiores do que são atualmente.” Continue Reading…

Pesquisas censuradas: inteligência não é permitida

             Aqui você não tem espaço

Qualquer semelhança não é mera coincidência! Em nossa sociedade, a liberdade de expressão é tolerada, mas não no que diz respeito à questão das origens. O documentário “Expelled: No Intelligence Allowed”, que serve de inspiração para o título deste artigo, é um dos mais polêmicos já produzidos. Ele ficou em 12º lugar em uma lista de documentários mais assistidos dos EUA, desde 1982. A produção não é do gênero religioso e, sim, do gênero científico, e aborda a questão da “liberdade de expressão” no meio acadêmico para os cientistas renomados que perdem suas cadeiras após falarem contra o neodarwinismo e suas implicações filosóficas. Uma das críticas principais aos movimentos criacionista e do design inteligente – o qual a partir de agora chamarei de “TDIsta” – é que são poucos os trabalhos de pesquisa que apoiam diretamente ambas as posições em revistas científicas avaliadas por pares. O que não é levado em consideração pelos críticos é o fato de ser ainda um grande desafio a publicação de artigos com opiniões discordantes do consenso evolutivo. A partir do momento em que um cientista desafia uma crença profundamente defendida, como no caso do naturalismo filosófico, ele enfrenta grande dificuldade em obter financiamento para seus projetos de pesquisa, depositar seus trabalhos em repositórios científicos e, principalmente, em publicar seus resultados em anais de congressos ou em periódicos de alto fator de impacto.

Continue Reading…

Mark Zuckerberg revela que não é mais ateu

                        Caminho de volta

Mark Zuckerberg é um verdadeiro crente novamente. O fundador do Facebook, que anteriormente havia se identificado como ateu, revelou na semana passada que a religião voltou a fazer parte de sua vida. Ele postou uma mensagem curta no Facebook desejando a seus seguidores “Feliz Natal e um Hanukkah feliz, de Priscilla, Max, Beast e eu!” Um de seus fãs devotos questionou suas opiniões religiosas, escrevendo em um comentário: “Você não é ateu?” E Zuckerberg respondeu: “Não. Fui criado judeu e depois passei por um período em que questionei as coisas, mas agora eu acredito que a religião é muito importante”, ele escreveu. A esposa de Zuckerberg é budista praticante, pelo que ele tem demonstrado interesse. Ele mesmo proferiu uma oração em frente ao Wild Goose Pagoda – um local budista em Xi’an, China – durante uma visita em 2015.

Fonte: FOX News US. Continue Reading…

Criacionismo científico e design inteligente

             Se há um relógio, houve um…

Existem três principais ramificações distintas dentro do criacionismo: a religiosa, a bíblica e a científica. Normalmente, quando falamos de criacionismo, as pessoas associam apenas aos dois primeiros e se esquecem de que existe uma terceira ramificação, que também surgiu há algumas décadas, nos Estados Unidos, chamada de “criacionismo científico”. Logo, não são todos iguais. O criacionismo científico vem sendo definido e divulgado desde a década de 1970.[1] A propósito, associações e institutos criacionistas norte-americanos há muito tempo defendem que apenas o “criacionismo científico” seja ensinado nas escolas públicas como uma alternativa válida ao evolucionismo.[2] Porém, de acordo com o engenheiro Dr. Henry Morris, fundador e presidente emérito do Institute for Creation research (ICR), “em uma escola ou faculdade cristã, […] é apropriado e muito importante demonstrar que o criacionismo bíblico e o criacionismo científico são totalmente compatíveis, dois lados da mesma moeda.” Para ele, “a criação revelada nas Escrituras é apoiada por todos os verdadeiros fatos da natureza; o estudo combinado pode corretamente ser chamado ‘criacionismo bíblico-científico’.”[2]

Continue Reading…