Leite de vaca: fonte de SINUSITE (ovos e carne também)!!

leite-de-vaca-para-bezerros-1

O leite de vaca não é realmente adequado ao consumo humano, devido às interações alergênicas que se produzem no corpo humano quando ele é ingerido

Como já dizia Ann Wigmore, a comida que você come pode ser o mais poderoso medicamento ou o mais poderoso veneno. Os alimentos mais influentes na sinusite atualmente são o leite, a carne, o glúten, o sal e os ovos.

Recentemente, pesquisadores anunciaram um tratamento cirúrgico para os pacientes acometidos por sinusite crônica, que tem a vantagem de poder ser realizado em casa. Isso até seria uma ótima idéia se atuasse na raíz do problema; mas a ciência vem descobrindo que, em um grande número de casos, a causa real da sinusite é o leite de vaca.

O atual consumo de leite de vaca e seus derivados tem feito com que o organismo esteja produzindo uma quantidade muito maior de muco do que pode eliminar. E, por isso, tem sido constatado que a simples abstenção do leite de vaca pode ser crucial para a melhora da sinusite: várias pessoas afetadas têm se beneficiado com uma drástica melhora da sinusite, após se absterem de leite somente num período inicial de um mês.

Explicando a sinusite

A sinusite é uma inflamação ou inchaço dos tecidos que revestem os seios da face. Normalmente, os seios estão cheios de ar, mas quando ficam bloqueados e preenchidos com fluido e germes (bactérias, vírus ou fungos) estes podem se multiplicar e causar uma infecção.

As condições que podem causar a obstrução do seios faciais incluem a rinite alérgica, o resfriado comum, os pólipos nasais (pequenos crescimentos na mucosa do nariz) ou um desvio de septo (uma mudança na cavidade nasal).

Existem diferentes tipos de sinusite, incluindo:

Sinusite aguda: um início súbito com sintomas gripais, tais como nariz entupido, coriza e dor facial que permanece até por 2 semanas. A sinusite aguda geralmente dura 4 semanas ou menos;

Sinusite subaguda: uma inflamação com duração de 4 a 8 semanas;

Sinusite crônica: condição caracterizada por sintomas de inflamação dos seios faciais com duração de 8 semanas ou mais. Cerca de 96% dos casos deste tipo de sinusite é causada por fungos;

Sinusite recorrente: vários ataques dentro de um ano.

Causas gerais

A sinusite pode ser causada por: vírus, bactérias, fungos, pólipos, poluentes, alergias, cloro de piscina, mudança de pressão do ar em vôos, excesso de uso de descongestionantes nasais, cigarro, ar seco, anatomia anormal da face, e doenças crônicas como a fibrose cística.

Muco e alimentação

Não há tal coisa como um “bom tipo de muco”, o que há é um muco discreto, quase imperceptível, que é gerado normalmente pelo organismo. Ele é produzido para ajudar os nossos órgãos respiratórios a continuarem o seu trabalho de forma eficiente. Este tipo de muco é produzido o tempo todo pelas membranas que revestem a cavidade sinusal. No entanto, quando se torna excessivo, passa a ser inconveniente e desconfortável, de modo que desejamos fazer algo para amenizar seus efeitos.

A essa altura, alguns começam a pensar sobre a possível ligação entre muco e alimentos. Na realidade, a conexão é mais real e palpável do que muitos imaginam. Os muco excessivo pode irritar as cavidades dos seios faciais e a cavidade nasal, causando infecção nas membranas desses órgãos, especialmente depois da ingestão de certos alimentos.

Às vezes, elementos ambientais, tais como pólen, poeira doméstica, poluição, fumaça etc são identificados pelo sistema imunológico como invasores que devem ser eliminados: para eliminá-los, ele usa uma substância chamada histamina, que é uma proteína responsável pela geração de muco no organismo – o muco é produzido com intuito de envolver e expelir os elementos intrusos.

No entanto, a escolha errada de alimentos pode fazer com que essa condição se exacerbe, e, em alguns casos, eles se tornam a causa primária geradora de muco.

A composição do leite de vaca padrão

Em um copo de 250ml de leite encontram-se entre 30 a 38g de sólidos e 212 a 220 ml de água. Sendo que, dentre os sólidos encontramos lactose, gordura, minerais e proteína. Na proteína pode-se encontrar caseina e soro de leite. Dentro da caseina encontramos a Alfa caseina, a Beta caseina e a Kapha caseina. A Beta caseina se divide em Beta caseina A1 e Beta caseina A2. A diferença entre estas duas Betas caseínas é apenas de um aminoácido na posição 67, histidina na A1 e prolina na A2.

O papel da caseina

No caso da sinusite, a substância do leite responsável por agravar seus sintomas não é a lactose, como muitos imaginam, mas sim a caseína. A caseína A1, proteína do leite de vaca (ver parágrafo acima), promove congestionamento, inflamação e muco. Ela provoca a liberação de histaminas e de um neuropeptídeo potente chamado casomorphina. A histamina provoca cólicas digestivas, enxaquecas e outros sintomas dolorosos. A casomorfina tem um impacto negativo sobre o cérebro e o sistema nervoso: provoca fadiga, depressão e compulsão alimentar.

Além de tudo isso, a A1 caseína também tem mostrado desempenhar um papel em diabetes tipo 1, doenças do coração, autismo e doenças auto-imunes tais como a endometriose e a acne. Um estudo da Universidade de Harvard, que acompanhou 47 mil mulheres, constatou que as mulheres que beberam leite foram mais propensas a terem acne. As mulheres que beberam leite com baixo teor de gordura foram ainda mais propensas ao problema.

Alcalinidade

Para que o corpo mantenha corretamente as funções do sangue, da saliva, da urina, e dos fluidos em torno de suas células, o organismo deve manter um bom equilíbrio entre acidez e alcalinidade, também conhecido como o equilíbrio do pH.

O pH do sangue rico em oxigênio saudável está entre 7,365 e 7,45, ou seja, está ligeiramente alcalino.

Um dos conceitos básicos da nutrição saudável – vide artigo The Alkaline Diet: Is There Evidence That an Alkaline pH Diet Benefits Health? – é que o alimento que você come afeta o equilíbrio do pH, seja para ajudar o corpo a manter seu estado natural de alcalinidade, ou temporariamente deslocando-o ligeiramente em direção a acidez.

Os alimentos que provocam acidez são conhecidos como acidificantes. Alimentos acidificantes tendem a aumentar a produção de muco no corpo, porque o muco é usado como uma defesa natural contra ácidos e outros agentes irritantes e ajuda a movê-los para fora do corpo. Se a sua dieta continua a ser extremamente ácida durante longos períodos de tempo, um excesso de produção de muco pode ocorrer, provocando má digestão, congestão nas vias nasais, nos seios paranasais, na garganta e nos pulmões, e até mesmo asma. Os alimentos alcalinos, por outro lado, não tendem a formar muco.

O leite de vaca, como a maioria dos produtos lácteos e animais, é um alimento de formação de ácido. Tal como acontece com todos os alimentos, a natureza do pH do leite quando ingerido pelo organismo é determinada pelos produtos finais resultantes de sua metabolização, e não pelo pH do leite em si.

Estatísticas sobre o consumo de leite

De acordo com o portal estatístico Statista, os Estados Unidos é o maior produtor de leite do mundo, sendo seguido por India, China e Brasil – que aparece em quarto lugar em um relatório de 2013. Já com relação ao mercado consumidor, a Índia está em primeiro lugar e a América do Sul em quarto lugar.

O Brasil continua crescendo sua produção e consumo de leite a cada ano. Segundo o relatório emitido pelo Sistema de Inteligência Setorial do Sebrae, nos últimos 5 anos o consumo de leite e seus derivados aumentou 25%, o que torna o Brasil um país que consome mais leite do que consegue produzir.

A quantidade de consumidores de leite de vaca tem gerado uma qualidade duvidosa do leite, já que é preciso, a todo custo, atender à demanda.

As vacas, que normalmente vivem cerca de 20 anos, vivem somente por volta de 6 anos, quando utilizadas em indústrias de laticíneos. Além de tudo, para que se obtenha uma boa produção, é necessário que as vacas estejam grávidas, geralmente através de inseminação artificial, a fim de se produzir a maior quantidade possível de leite.

A qualidade de vida destes animais acaba sendo lastimável, e produtores, ávidos por obterem lucro a qualquer preço, acabam vendendo leites de qualidade duvidosa, contendo sangue, hormônios da gravidez animal e até mesmo secreções purulentas, além de outras substâncias, sem identificação no rótulo do alimento, que podem estar implicadas seriamente na sinusite ou até mesmo em graves doenças, como o câncer.

Fonte: Epoch Times.

Depressão: problema para a neurociência não materialista?

Marcos Romano é psiquiatra

               Marcos Romano é psiquiatra

Marcos Romano é médico-psiquiatra pela Unicamp, ex-professor de Psiquiatria da PUC-Campinas, especialista em Dependência Química pela Unifesp/EPM, com artigos publicados na área de Políticas Públicas para Álcool e Drogas. É psiquiatra clínico há vinte anos, e é um dos primeiros especialistas do Brasil a diagnosticar e tratar o Transtorno do Déficit de Atenção (TDAH) em adultos, tendo recebido formação em TDAH em cursos com especialistas dos EUA, e no Brasil frequentemente é convidado a palestrar e fornecer treinamento a colegas médicos sobre TDAH. É autor de capítulos nos livrosAconselhamento em Dependência Química (Neliana Buzi Figlie, Selma Bordin, Ronaldo Laranjeira. São Paulo: Roca, 2004), e TDAH ao Longo da Vida (Mario Rodrigues Louzã Neto e colaboradores. Porto Alegre: Artmed, 2010).

A neurociência não materialista é um novo campo de estudo que têm contestado o conceito clássico naturalista de que a eletroquímica do cérebro produz a consciência. Evidências oriundas dessa área de pesquisa têm sido utilizadas pelos proponentes da teoria do design inteligente (TDI). Um texto publicado neste blog no mês passado [“Evidências de uma consciência além do cérebro”], capítulo do e-book “Teoria do Design Inteligente”, têm suscitado algumas dúvidas entre os leitores. Essas dúvidas foram, então, sintetizadas na forma de uma única questão norteadora para a realização dessa entrevista concedida ao enfermeiro e mestre em Ciências da Saúde pela UEM Everton Fernandes Alves:

Como entender a ciência não materialista, visto que a depressão, causada por alterações químicas no cérebro, mostra que tudo acontece na esfera materialista? Uma vez que os remédios atuam e curam a depressão, não seria evidente que tudo está restrito ao âmbito material?

Dr. Marcos Romano: Em primeiro lugar, o diagnóstico de depressão é meramente descritivo e não explicativo. Em segundo lugar, como saber se o que se passa no cérebro de um deprimido é consequência ou causa de ele estar deprimido? Em terceiro lugar, esse raciocínio se baseia em um encadeamento de inferências e associações indevidas. Um exemplo disso é dizer que antidepressivos curam depressão, logo, sabemos como os remédios agem; portanto, a ação desses medicamentos deve estar relacionada à causa da depressão, então, a depressão é um fenômeno biológico e de causalidade conhecida. Certamente, essa é a lógica – equivocada, diga-se de passagem – utilizada por algumas pessoas.

Outra falácia seria dizer que antidepressivos “curam a depressão”?

Nenhum estudo jamais demonstrou isso. A “efetividade” de um antidepressivo é medida pela “redução significativa da intensidade e do número de sintomas”. O que é então uma melhora (não “cura”) significativa? Pode-se dizer que é quando o paciente alcança uma melhora de 30 a 40% em comparação com seu estado anterior. É válido acrescentar que os estudos realizados a fim de analisar as melhoras no tratamento duram entre oito e doze semanas. Além disso, os estudos não avaliam como esses pacientes ficam após esse período.

Ainda em relação à “efetividade” existem outros pontos a serem discutidos, tais como: (1) Qual o percentual dos pacientes avaliados no estudo que melhoram de forma significativa? Podemos dizer que entre 60-64%. Dentre esses, muitos irão piorar novamente dentro de um ano. (2) Qual o índice de efetividade do placebo nesses estudos (lembrando que são estudos “controlados”, isto é, o medicamento é avaliado comparando seu efeito com o efeito de um placebo)? O índice é de cerca de 50% (note que a efetividade do medicamento não é muito superior à do placebo, é apenas um pouco superior). Aliás, por que o placebo faz com que 50% dos pacientes avaliados nos estudos melhorem? Isso é algo ainda não respondido pela ciência.

Vale lembrar que esses índices de efetividade são os medidos nos estudos, em que as condições favorecem a melhora (por isso o placebo também atinge índices tão altos). A realidade clínica, no entanto, é bem diferente. Porém, o remédio ainda assim é melhor que o placebo, caso contrário não haveria razão para usá-lo. Mas não é uma Brastemp, nem de longe (risos).

Afirmações do tipo “Sabemos como o antidepressivo age” também são uma grande mentira. O correto seria dizer que sabemos como ele age in vitro. O efeito dele in vivonunca foi verificado, sendo apenas inferido.

E o que dizer em relação à teoria dos neurotransmissores?

Ela nunca foi confirmada. E existem grandes furos nela. Por exemplo, o efeito dos inibidores seletivos de recaptura da serotonina (ISRS). Eles agem, em tese, bloqueando o receptor pré-sináptico da serotonina, dificultando sua recaptação, aumentando dessa forma o tempo de permanência da serotonina na fenda sináptica e, por conseguinte, seu efeito.

O problema é que se sabe que em poucos dias esse efeito é revertido por um aumento do número de receptores! E, quando o medicamento faz o efeito clínico, algumas semanas depois, o efeito neuroquímico dele já teria sido revertido pelo organismo. Por que então ele funciona? Pois é, ninguém nunca conseguiu explicar…

Fonte: Criacionismo.

20 alimentos que fazem você envelhecer 20 anos!!

Há diversos fatores que influenciam a forma como você envelhece – a genética, o hábito de fumar, a exposição ao sol, o seu ambiente, e muito mais. Mas o que você come tem um papel crucial na sua aparência e na maneira como você se sente conforme se torna mais velho. Pode parecer que a mudança acontece da noite para o dia: um dia você ouve que parece cinco anos mais jovem do que realmente é, e no seguinte ninguém estranha quando você compartilha a sua idade, mas a verdade é que nossas escolhas vão moldando a forma como envelhecemos dia após dia. A boa notícia é que você pode assumir o controle do que você vê no espelho. Pedimos que nutricionistas renomadas revelassem quais alimentos aceleram o surgimento das rugas, prejudicam a aparência dos dentes e da pele, e envelhecem o organismo. Confira a seguir:
1. Margarina. Esperamos que você tenha abandonado este substituto da manteiga há alguns anos. Caso contrário, fique atento! “Nem todas as gorduras são iguais, e a margarina parece dar às [outras] gorduras uma má reputação”, diz a Dra. Tasneem Bhatia, também conhecida como Dra. Taz, especialista em perda de peso e autora dos livros What Doctors Eat e The 21-Day Belly Fix. “O culpado na margarina é a gordura trans, que destrói a hidratação. Quanto menos hidratada estiver a sua pele, mais rápido surgirão as rugas.”
2. Comida congelada. Imagine a seguinte cena: você acabou de sair da academia à noite e as suas boas intenções de cozinhar um jantar saudável parecem ter se esvaído do seu corpo. Sem energia, você pensa em um jantar rápido, mas considere o seguinte antes de apelar para o micro-ondas: “Refeições congeladas são reconhecidas por seu altíssimo teor de sódio. O sódio favorece a retenção de líquidos e promove uma aparência inchada e envelhecida”, diz Kayleen St. John, nutricionista do Natural Gourmet Institute, uma escola de culinária saudável na cidade de Nova Iorque, Estados Unidos.
3. Bebidas energéticas. O seu hábito de tomar algumas latas de Red Bull não vai ajudar a sua aparência com o passar dos anos. “Os energéticos são muito ácidos e ricos em açúcar, podendo danificar os dentes e deixando-os mais suscetíveis a manchas que irão envelhecer o seu sorriso. Além disso, seu alto teor de sódio e cafeína pode levar à desidratação, especialmente se você os estiver ingerindo no lugar da água, diz Sarah-Jane Bedwell, nutricionista de Nashville, Estados Unidos, e autora de Schedule Me Skinny: Plan to Lose Weight and Keep it Off in Just 30 Minutes a Week. “Como a desidratação é um dos principais fatores que contribuem para uma pele com aparência envelhecida, tente sempre tomar a quantidade recomendada de 8 a 10 copos de água por dia.”
4. Pães, bolos e doces. Detestamos ter que fazer esta recomendação, mas precisamos pedir que você se afaste da padaria. “Pães, bolos e doces costumam ser ricos em açúcar adicionado e gordura, que podem levar ao ganho de peso e prejudicar a saúde dental”, diz Alexandra Miller, nutricionista corporativa da Medifast. “O açúcar promove um microbioma prejudicial e pouco saudável, que também favorece a inflamação. Todas essas características podem acelerar o processo de envelhecimento”, ela complementa.
5. Bacon, presunto, salsicha e linguiça. “Os conservantes usados nas carnes processadas podem criar radicais livres no corpo”, diz Lisa Hayim, nutricionista fundadora do The Well Necessities. “Os radicais livres levam à oxidação das suas células e do DNA, e podem favorecer o surgimento de câncer e outras condições de saúde.” Não, obrigado!
6. Açúcar. “Embora existam diversos estudos inconclusivos tentando identificar se o açúcar causa ou não acne, o fato é que ele é simplesmente prejudicial para o seu corpo como um todo”, afirma a Dra. Taz. “O açúcar causa inflamação, um grande inibidor de uma pele bonita e saudável. Para piorar a situação, o açúcar também prejudica o colágeno e a elastina, responsáveis por manter a pele macia e flexível.” Sabemos que o açúcar e os doces são tentadores, mas vale a pena evitá-los pela sua saúde.
7. Bebidas alcoólicas ricas em açúcar. “Quando o açúcar refinado é consumido em excesso, as moléculas de açúcar se combinam com as proteínas no corpo e criam compostos que podem prejudicar o colágeno, favorecendo o envelhecimento”, explica Bedwell. “Essas bebidas doces podem ter até 50 gramas de açúcar adicionado em um único drinque! Além disso, o álcool presente nelas pode desidratar o organismo, fazendo com que as linhas de expressão e rugas fiquem mais aparentes.”
8. Álcool. “Beber excessivamente, especialmente drinques ricos em açúcar, causam radicais livres. O álcool também rouba a vitamina A do corpo, um antioxidante essencial para a renovação celular”, diz a Dra. Taz.
9. Alimentos ricos em sal. A sua pele pediu: por favor esqueça que o saleiro existe, e abandone também aquele pelotão de alimentos prontos ricos em sódio. “Alimentos com muito sódio fazem com que você retenha líquidos e fique com uma aparência inchada, e a retenção também pode fazer com que a pele ganhe um aspecto cansado”, diz Orlick Levy. A Dra. Taz acrescenta que “[alimentos ricos em sal] promovem a desidratação, e alguns estudos encontraram evidências de que eles podem prejudicar o DNA, reduzindo o comprimento dos telômeros e acelerando o envelhecimento.”
10. Frituras. Todos nós sabemos que os alimentos fritos são muito prejudiciais para a saúde do organismo. “Quando fazemos frituras, expomos o óleo e o alimento a temperaturas extremamente altas. Quando isso acontece, os radicais livres, principais culpados pelo envelhecimento, são formados”, diz Hayim. “Esses alimentos não prejudicam apenas a aparência, mas também causam danos aos nossos órgãos internos.”
11. Fast Food. “Os restaurantes geralmente usam óleo de milho, uma das opções menos saudáveis”, diz Orlick Levy. “Quando consumido, ele libera radicais livres no corpo. Eles causam um estresse oxidativo que tem inúmeros efeitos na saúde e no bem-estar, incluindo doenças cardíacas e rugas.”
12. Gordura trans. A gordura trans faz tão mal para o seu jeans skinny quanto para as células da sua pele. “Gorduras que foram hidrogenadas artificialmente estão entre as substâncias mais inflamatórias que existem”, diz St. John. “As gorduras trans podem até tornar a nossa pele mais suscetível a danos causados pelos raios ultravioleta.”
13. Balas, bombons e chocolates. “O açúcar processado é rapidamente absorvido no organismo e pode levar a níveis mais altos de insulina e ao ganho de peso”, diz St. John. “Além disso, consumir esses doces com frequência pode afetar negativamente a saúde dental, e nada envelhece mais a aparência do que um sorriso amarelado – ou com dentes faltando!”
14. Carne carbonizada. A carne queimada pode ser uma das suas preferidas, mas há uma excelente razão para evitá-la ao máximo. “A carne que foi cozida até ficar preta é muito inflamatória para o corpo”, St. John explica. “A inflamação pode prejudicar os níveis de colágeno na pele, levando a uma aparência envelhecida”, ela continua. [E como a mal passada também é prejudicial, que deixar a carne de lado?]
15. Receitas flambadas. O álcool, necessário para flambar os alimentos, dá início a uma reação em cadeia de problemas: “O consumo de álcool leva à produção de espécies reativas de oxigênio”, afirma Hayim. “Altos níveis dessa substância levam ao estresse oxidativo, que pode provocar danos severos em nosso corpo. Embora seja fácil identificar o álcool quando ele está em uma bebida, não é tão simples monitorar seu consumo quando ele está nos alimentos. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos alerta que ‘alimentos flambados com álcool ainda retêm 75% do álcool adicionado na receita’.”
16. Batata chips. Se você quer algo crocante, experimente petiscos de cereais integrais ou vegetais como o aipo e a cenoura – pois as batatas chips irão secar a sua fonte da juventude interna rapidamente. “Consumir ácidos ricos em gordura trans estimula a interleucina 6 no corpo”, explica Hayim. Inter o quê? “A interleucina 6 é um marcador da inflamação, associada ao envelhecimento. Além disso, os óleos usados na fritura, mesmo que sejam óleos vegetais, podem prejudicar a respiração celular e reduzir a imunidade no organismo.”
17. Pizza de pepperoni. “Os nitratos e outros compostos presentes nas carnes processadas, como o pepperoni, são conhecidos por sua ação pró-inflamatória. A inflamação faz com que o corpo envelheça de dentro para fora”, diz Bedwell. “Além disso, a gordura saturada presente nelas envelhece o coração. Escolha pizzas sem carne – há muitas opções de sabores vegetarianos!”
E mais três em:

Fonte: Eat This, Not That!, por Perri O. Blumberg; via Yahoo.

Compartilhe via WhatsApp (ou outros meios):




Ter objetivos de vida alivia o coração e aumenta os anos (#Ikigai)

Objetivos de vida
Pessoas que têm um maior senso de propósito na vida têm um risco menor de doenças cardiovasculares e de morte por qualquer causa.
“Ter um elevado senso de propósito na vida está associado a um risco reduzido de mortalidade e eventos cardiovasculares,” escreve a equipe dos médicos Randy Cohen e Alan Rozanski no Journal of Medicine Biobehavioral.
Embora os mecanismos por trás dessa associação ainda não estejam claros, os resultados sugerem que estratégias para reforçar um senso de propósito, de ideais e objetivos na vida, podem melhorar a saúde geral das pessoas.
Ikigai
Usando uma técnica chamada meta-análise, a equipe rastreou dados de mais de 136.000 participantes de dez estudos diferentes, realizados principalmente nos EUA e no Japão.
Os estudos norte-americanos avaliaram um senso de propósito ou significado na vida, ou “utilidade para os outros”. Os estudos japoneses avaliaram o conceito de ikigai, que pode ser traduzido como “uma vida digna de ser vivida”.
Os voluntários foram acompanhados por uma média de sete anos. Durante esse tempo, cerca de 14.500 participantes morreram de variadas causas, enquanto pouco mais de 4.000 sofreram eventos cardiovasculares (infarto, derrame etc).
A análise mostrou que a morte e os eventos cardiovasculares afetaram menos as pessoas com um alto senso de propósito na vida. Após o ajuste para outros fatores, a mortalidade foi de cerca de um quinto menor para as pessoas que afirmavam ter ideais de vida ou ikigai.
Ter objetivos de vida alivia o coração e aumenta os anos
fator genético perde para outros fatores que influenciam a longevidade. [Imagem: University of Gothenburg]
Dimensão importante da vida
Embora estudos mais detalhados sejam necessários para determinar como o propósito na vida pode promover a saúde e prevenir as doenças, em especial as cardiovasculares, os dados sugerem alguns mecanismos básicos.
Por exemplo, a associação pode ser explicada fisiologicamente, servindo como um sistema de “amortecimento” do estresse; ou comportamentalmente, por um estilo de vida mais saudável.
“É de se notar que ter um forte senso de propósito de vida tem sido postulado como sendo uma dimensão importante da vida, fornecendo às pessoas um senso de motivação, vitalidade e capacidade de resistência,” comentou o Dr. Rozanski. “No entanto, as implicações médicas de viver com um sentido de propósito de vida alto ou baixo só recentemente chamaram a atenção dos pesquisadores. Estes resultados são importantes porque podem abrir novos potenciais de intervenção para ajudar as pessoas a promover sua saúde e sua sensação de bem-estar.”

Compartilhe via WhatsApp (ou outros meios):




Paracetamol não apresenta benefícios contra gripe (#Saúde)

Acetaminofeno para gripe 
Muitos médicos recomendam aos seus pacientes com gripe para tomar acetaminofeno, ou paracetamol, para aliviar seus sintomas.
No entanto, um novo estudo clínico randomizado não encontrou benefícios dessa medicação nem na luta do corpo contra o vírus da gripe, e nem na redução da temperatura corporal ou outros sintomas típicos da gripe.
A boa notícia é que também não foram identificados efeitos negativos, que alguns cientistas haviam suspeitado ser possível na interação do acetaminofeno com o vírus da gripe.
Nem bem nem mal
“Nós inicialmente teorizamos que tomar paracetamol poderia ser prejudicial, já que o vírus da gripe não consegue se replicar tão bem em temperaturas mais altas, e reduzir a temperatura de uma pessoa faria o vírus prosperar. Felizmente, descobrimos que este não é o caso,” disse a Dra Irene Braithwaite, do Instituto de Pesquisas Médicas da Nova Zelândia, responsável pelo estudo.
O ensaio clínico incluiu adultos entre 18 e 65 anos de idade com infecções de gripe confirmados que foram tratados com a dose máxima recomendada de paracetamol ou por placebo durante cinco dias. Os participantes foram acompanhados por até 14 dias.
“Neste estudo, o paracetamol não foi prejudicial, mas também descobrimos que o paracetamol também não foi benéfico,” finalizou Braithwaite.
Outros estudos já demonstraram que o paracetamol pode causar danos ao fígado e que, acima da dose, o paracetamol apresenta riscos para adultos e crianças.
Nota: Há mais de um século, uma educadora norte-americana já advertia:
Costume Comum, mas Perigoso Um costume que está deitando bases a vasta soma de doenças e males mais sérios ainda é o livre uso de drogas venenosas. Quando atacados pela enfermidade, muitos não se darão ao trabalho de descobrir a causa do mal. Sua principal ansiedade é verem-se livres da dor e dos desconfortos. Recorrem portanto a panacéias, cujas reais propriedades eles mal conhecem, ou recorrem a um médico para neutralizar os efeitos de seu mau proceder, mas sem nenhuma idéia de mudar seus nocivos hábitos. Caso não sintam benefícios imediatos, experimentam outro remédio, e depois outro. Assim continua o mal (A Ciência do Bom Viver, pág. 126).
Remédio a Todo Custo Os doentes estão apressados para ficar bons, e seus amigos se acham impacientes. Eles desejam ter remédio, e se não sentem no organismo aquela poderosa influência que, em seus errôneos pontos de vista induzem-nos a pensar que deviam experimentar, mudam impacientemente de médico. A mudança aumenta muitas vezes o mal. Passam por uma série de remédios tão perigosos como os primeiros (Temperança, p. 83).
O Triste Resultado Com o uso de drogas venenosas, muitos trazem sobre si doença para toda a vida, e perdem-se muitos que poderiam ser salvos com o emprego de métodos naturais. Os venenos contidos em muitos dos chamados remédios formam hábitos e apetites que importam em ruína tanto para o corpo como para a alma. Muitos dos populares remédios patenteados, e mesmo algumas drogas receitadas por médicos, desempenham seu papel em deitar bases para o hábito da bebida, do ópio, da morfina, os quais são uma tão terrível maldição para a sociedade (A Ciência do Bom Viver, págs. 126 e 127).

Um texto apropriado para terminar 2015: Ateus e religiosos idólatras!

Dizem que os deuses (sendo os mais famosos os da Grécia antiga) desapareceram depois que o pensamento mítico foi substituído pelo pensamento filosófico. Criações da mente pagã, eles nunca existiram de fato, mas existiram como expressão e imagem de uma grande parcela da humanidade paganizada. Distorções da Transcendência, os deuses da mente idólatra retornaram com seus atributos cruéis, apresentando-se ao homem do presente numa forma ainda mais assustadora. Seria o caso de eles terem sido metamorfoseados ou ressignificados? Será que os deuses continuam recebendo o culto da maioria desta geração, dita pós-cristã, que teima em trazê-los de volta na forma de pensamentos, ideias, filosofias e religiões? Parece-me que o panteão olímpico está bem representado na contemporaneidade. Nesse sentido:

Zeus e Hera, sempre briguentos, são vistos na tragédia em que se tornou o matrimônio e a família – um círculo de traições, ciúmes e discórdia. Zeus era considerado o “pai dos deuses”; Hera, a grande matriarca. Os poderes patriarcal e matriarcal, na relação doméstica, ultimamente estão causando estragos no mundo.
O submundo ou as regiões inferiores do Tártaro constituíam o reino de Hades, este nefasto ser ao qual os gregos antigos prestavam estranho culto. Tal divindade representa bem as forças infernais e maléficas que estão tomando conta do ser humano entregue ao seu próprio coração escuro e maldoso. Hades incorpora a figura de Satanás.
Poseidon era o deus dos mares e o promovedor de terremotos e catástrofes. Poderíamos colocá-lo como protótipo e símbolo do poder destrutivo do homem sobre a natureza?
Afrodite paira nas mais variadas formas de erotismo e amor deformado: nas ideologias de gênero, na homossexualidade, no adultério, na sensualidade transgressiva das normas de pudor e pureza e no romantismo piegas de mentes nefelibatas.
Ares, acompanhado de Fobos (o medo) e Deimos (o terror), é cultuado nas guerras e rumores de guerras entre as nações, especialmente nas barbáries promovidas por grupos violentos que sentem prazer na força bruta e no derramamento de sangue. Por extensão, este deus é protótipo do medo e da violência que acometem a sociedade. Ares também é a imagem do macho ao avesso – aquele que transmudou a nobre virilidade numa aberração do masculino.
  
A imagem de Apolo e das Musas está impressa nas artes em geral (música, pintura, literatura, etc.), que mais expressam sentimentos de vazio do que de plenitude – o homem ensimesmado num subjetivismo escuro e profundo.
  
Vemos Hefestos, o deus artesão, no culto à tecnologia como solução ilusória dos nossos problemas.
  
Ártemis, a virgem caçadora dos isolados bosques, traduz uma crueldade e selvageria própria dos nossos tempos de competição e individualismo. Mais: a deusa simboliza a ruptura com o masculino, o qual procura matá-lo com setas fatais numa atitude de insubmissa independência. Se Ares representa a masculinidade brutal, Ártemis constitui a feminilidade competitiva e agressiva: a ideologia do feminismo que amputa parte da imagem divina na humanidade.
Quase desconhecida e apagada no Olimpo encontra-se Héstia. Também uma deusa virginal e pudica, ela é o oposto de todas as demais deusas. Sem mito próprio e escondida pelos cantos, Héstia nos remete a uma exacerbada passividade quando se requer ação e luta. Sendo uma deusa “virtuosa”, a virtude de Héstia não causa nenhum impacto ou influência, mas apenas adorno no Olimpo. Héstia talvez possa ser caracterizada como o moralismo inútil substitutivo da verdadeira moralidade derivada da fé.
Deméter, a deusa da abundância e da terra cultivada, traz sua marca na adoração à natureza e às leis naturais em si mesmas. Igualmente, a deusa é símbolo da força do homem sobre a Terra. Este procura o domínio de todos os espaços, assenhoreando-se deles como se deles fosse o legítimo dono. Deméter incorpora as ideologias do ambientalismo feito religião.     
  
A comunicação do nosso mundo virou uma verdadeira Babel. Assim, Hermes, o “mensageiro dos deuses”, é o veículo que espalha a falsa mensagem da religião de forma bastante eloquente. Ele cai bem como o canal babilônico. Deus do comércio e do dinheiro, também sobrevive no materialismo dos sistemas econômicos vigentes e nos interesses escusos das religiões. Hermes simboliza a falsidade em todas as suas formas, principalmente a religiosa. É um arquétipo da mentira e da falácia humanas.
Dionísio talvez seja o deus de maior evidência, pois o prazer e as alienantes festas do mundo viraram um objetivo final para muita gente adepta do pensamento dionisíaco, que glorifica os instintos mais baixos. A essência dionisíaca é o hedonismo.
Por fim, Atena reaparece na soberba intelectual contemporânea, na tal “sociedade do conhecimento”, e na sabedoria mundana tão altamente exaltada, além de representar a “guerra em busca da paz” tão comum em nosso processo civilizatório.
E por aí vai… Os “deuses” não são realidades concretas, apesar de terem povoado a imaginação humana por séculos; contudo, a abstração que deles se faz ressurge sempre atualizada pelo “deus deste século” – o ser que espalha seu nevoeiro em torno da verdade, a qual ele procura transformar em mito.
O mundo permanece idólatra. Mas o antigo mandamento proferido pelo Deus vivo e digno de adoração permanece vigente: “Não terás outros deuses diante de Mim” (Êxodo 20:3).

Compartilhe via WhatsApp (ou outros meios):




Os 10 alimentos mais contaminados por agrotóxicos no Brasil!

Atualmente é muito complicado viver uma vida plenamente saudável. Não basta fazer exercícios físicos, eliminar alimentos industrializados, carnes e embutidos da dieta e ficar só nas frutas e legumes.
No momento em que a produção em massa se faz necessária para abastecer nossa crescente população, muitas técnicas agrícolas são condenadas pela Organização Mundial da Saúde por apresentarem elevados ricos à saúde dos seus consumidores.
Produtos com fórmulas químicas maléficas ao corpo humano podem trazer doenças como alergias, dores no corpo e, em casos mais graves, canceres. Além desses problemas para a saúde, o meio ambiente também é fortemente afetado com a contaminação do solorioslençóis freáticos e mananciais.
Uma pesquisa realizada pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), em 12 países da América Latina e Caribe, mostrou que o envenenamento por produtos químicos, principalmente pelo chumbo e pelos pesticidas,representa 15% das doenças notificadas. Nutricionistas acreditam que o uso de agrotóxicos tem causado diversas vítimas fatais, além de abortos, fetos com má-formação, câncer, dermatoses e outras doenças.
Para piorar ainda mais a situação, o Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos, realizado pela Anvisa, constatou que 29% das amostras analisadas possuíam irregularidades, como agrotóxico não autorizado no Brasil ou em quantidade superior à permitida.
Para que você fique bem informado, listamos abaixo os alimentos que mais recebem substâncias perigosas para seu cultivo. Fique atento e tente optar por vegetais orgânicos e livres desses venenos para a saúde. As porcentagens apontadas no ranking abaixo são referentes à quantidade de amostras contaminadas por toxinas provenientes de produtos utilizados na agricultura brasileira.
– Pimentão (80,0%)
– Uva (56,40%)
– Pepino (54,80%)
– Morango (50,80%)
– Couve (44,20%)
– Abacaxi (44,10%)
– Mamão (38,80%)
– Alface (38,40%)
– Tomate (32,60%)
– Beterraba (32,00%)
Fonte: Superbom.

Receitas naturais para limpeza de pele

Existem milhares de produtos para limpeza de pele e cuidados de beleza que prometem dar-lhe a pele sempre limpa e brilhante. Em vez de depender desses produtos, você pode tentar uma receita caseira de limpeza de pele, economizando dinheiro e poupando sua pele dos químicos presentes em produtos de pele. Aqui estão algumas destas receitas naturais para sua pele.
Limão
O ácido cítrico presente no limão ajuda a manter a pele clara, removendo as células mortas e funcionando como excelente receita caseira na pele do rosto. O seu teor de vitamina C ajuda a reduzir manchas escuras, aumentando o processo de renovação celular. Limão também tem propriedades de branqueamento que ajudarão a melhorar consideravelmente sua aparência.
Aplique o suco fresco-espremido limão em todo o seu rosto e pescoço, deixando por 10 minutos e depois lavando com água morna. Depois disso, esfregue fatias de pepino em sua pele para suavizar e hidratar. Faça isso diariamente ou em dias alternados.
Em uma receita de limpeza de pele caseira para cravos e espinhas, misture duas colheres de chá suco de limão com duas de açúcar. Aplique a mistura em seu rosto, pescoço e mãos. Esfregue em movimentos circulares e deixe por 10 minutos. Em seguida, enxague com água morna. Repita o processo uma vez por semana
Cúrcuma
Cúrcuma é um excelente agente anti-séptico, ajudando a clarear a pele e minimizar cicatrizes e outras marcas. Além disso, a cúrcuma pode aliviar doenças alérgicas, inflamatórias e infecciosas da pele.
Misture uma colher de sopa de cúrcuma em pó com suco de abacaxi suficiente para fazer uma pasta. Aplique a pasta em seu rosto e pescoço. Deixe na pele até que a massa seque completamente. Em seguida, lave com água morna. Use duas ou três vezes por semana para reduzir o aparecimento de manchas na pele. Essa é uma receita caseira para a pele perfeita, te dando a aparência que você deseja e tanto procura.
Mel
O mel é um excelente hidratante e também tem propriedades antibacterianas que ajudam a evitar infecções.
Aplique mel cru diretamente sobre a pele. Deixe secar naturalmente e, em seguida, enxague com água morna. O teor de água no mel vai hidratar profundamente a pele, tornando-a macia e suave. Faça este remédio simples, uma vez ao dia, ou em dias alternados.
Aloe Vera
Aloe vera possui propriedades antibacterianas que ajudam a matar bactérias que causam acne, além de propriedades anti-inflamatórias que ajudam a acalmar a pele irritada, e propriedades adstringentes que ajudam a curar as cicatrizes. Além disso, Aloe Vera hidrata a pele e estimula o crescimento de células de pele nova, sendo uma excelente companheira na hora de uma receita natural para clarear a pele.
Extraia o gel de uma folha de Aloe Vera e aplique em seu rosto usando uma bola de algodão. Deixe-o secar por conta própria por cerca de meia hora, e, em seguida, enxague com água morna. Use diariamente ou várias vezes por semana.
Bicarbonato de Sódio
Bicarbonato é muito importante para balancear o pH da pele. Além disso, suas propriedades anti-sépticas e anti-inflamatórias ajudam a lidar com problemas como acne, espinhas e manchas. Ele também funciona como um excelente agente esfoliante para manter a pele livre de sujeira, impurezas e células mortas da pele.
Misture uma colher de chá de bicarbonato de sódio com uma colher de chá de suco de limão ou água para fazer uma pasta. Limpe seu rosto massageando para esfoliar suavemente a pele. Lave o rosto com água morna e seque com uma toalha. Siga este remédio duas ou três vezes por semana.
Pepino
Pepinos contém propriedades hidratantes, nutritivas e adstringentes que são muito boas para a pele. Eles podem melhorar a aparência geral da pele, reparar células danificadas, remover as células mortas da pele e adicionar um novo brilho, principalmente em uma receita caseira para pele ressecada.
Corte um pepino fresco em fatias grossas, e esfregue cuidadosamente em todo o seu rosto. Deixe durante a noite e enxague com água morna pela manhã. Faça isso diariamente antes de ir para a cama.
Mamão
Mamão pode ser usado para melhorar a textura da sua pele e manter a pele clara. Tem propriedades de branqueamento naturais que ajudam a reduzir o aparecimento de cicatrizes. Além disso, a enzima papaína presente no mamão tem propriedades antibacterianas e de cicatrização, auxiliando na remoção de pele morta.
Pique um mamão maduro em pedaços pequenos. Combine o mamão com uma colher de chá de pó de sândalo e mel. Misture tudo em uma pasta e aplique em todo o rosto e pescoço, deixando por meia hora. Em seguida, lave com água fria e seque a pele. Siga este remédio uma vez por semana.
Nozes
Nozes pode trazer um brilho bonito como uma receita caseira para pele seca. Nozes têm antioxidantes que ajudam as células da pele na reparação e promovendo a pele radiante. Nozes em forma de pó pode ser usada para esfoliar a pele e remover as impurezas e sujeira que um produto de limpeza comum não consegue.
Misture duas colheres de chá de noz em pó com duas colheres de sopa de iogurte natural para fazer uma pasta. Aplicar em seu rosto e pescoço. Quando a massa seca, esfregue a mistura em seu rosto e, em seguida, enxaguar com água morna. Use esta máscara facial uma vez por semana. Mergulhe três nozes em água durante a noite. Na parte da manhã, misture uma colher de chá de água de rosas para fazer uma máscara e aplique em seu rosto. Deixe por uma hora e depois lave com água morna. Siga este remédio uma vez por semana.
Óleo de coco
O óleo de coco é muito rico em antioxidantes que impedem a atividade de radicais livres, que é uma das razões por trás da pele opaca e sem vida. Além disso, suas propriedades antibacterianas e antifúngicas ajudam a manter a pele clara, macia e hidratada.
Suavemente aqueça um pouco de óleo de coco em um forno de microondas, testando a temperatura antes com os lábios ou costas das mãos. Aplique o óleo quente no rosto, pescoço, mãos e pernas. Massageie suavemente na pele por 10 minutos. Finalmente enxague com água morna, uma vez por dia.
Hortelã
O principal ingrediente de hortelã é o mentol, que tem propriedades calmantes que ajudam a manter a pele saudável e brilhante. Além disso, tem propriedades curativas maravilhosas que ajudam a combater infecções de pele, que ajudam em uma receita caseira de limpeza de pele oleosa, evitando espinhas e acne.
Coloque uma colher de chá de hortelã em pó e uma colher de sopa de iogurte natural em uma tigela. Deixe descansando por meia hora para que todos os ingredientes fiquem encharcados corretamente. Em seguida, misture para obter uma pasta lisa. Aplique este pacote de rosto caseiro em seu rosto e pescoço. Deixe-o até que seque naturalmente e, em seguida, enxague com água morna. Use esta máscara facial uma vez por semana.
Não se esqueça: você pode misturar e adaptar os ingredientes acima em uma receita única para seu tipo de pele. Além disso, não se esqueça de consultar um dermatologista antes de fazer qualquer tratamento em sua pele.
Fonte: Saúde Melhor.

Quer tornar sua rotina mais produtiva? Aqui vão 4 dicas científicas!

Quer ser mais produtivo? A ciência ajuda! Separamos algumas
dicas que, com embasamento em estudos e pesquisas, podem ser de grande ajuda.
Confira:
1 – Pare de tentar fazer várias tarefas ao mesmo tempo Com tantas tecnologias disponíveis, é tentador se dividir
para dedicar um tempinho para cada uma delas – diga-se, completar um relatório
ao mesmo tempo em que consola um amigo no WhatsApp. Mas, com isso, acabamos
fazendo tudo devagar – e com mais chances de cometer erros.
Um estudo recente da Universidade Estadual da Flórida, nos
Estados Unidos, mostra, por exemplo, que só uma notificação de mensagem pode
ser tão distrativa quanto uma ligação. Por isso, vale deixar os dispositivos de
lado, sair das redes sociais, e ficar completamente focado no trabalho.
2 – Faça pausas Pausas de 10 minutos ou mais são ótimas para a mente e o
corpo. Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Tilburge da Universidade Tecnológica de Eindhoven, da Holanda, levantar um pouco da
sua mesa, fazer um lanchinho e conversar com as pessoas faz com que você
descanse um pouco e esteja mais disposto ao voltar para o trabalho.
3 – Tire um cochilo Infelizmente, poucos são os locais de trabalho que oferecem
a possibilidade de os funcionários tirarem um cochilo. Em uma experiênciaconduzida pelo departamento de psicologia da Universidade de St. Louis, nos
Estados Unidos, os participantes que cochilaram por alguns minutos se sairam
melhores em atividades relacionadas com concentração do que os ficaram
acordados o tempo todo.
4 – Tente entrar em contato com luz natural Pesquisadores do Laboratório Nacional de Energia Renováveldescobriram, a partir de um estudo, que os humanos são afetados
psicologicamente pelos tipos de luzes aos quais são expostos. A luz natural do
dia foi associada ao bom humor e disposição.
Fonte: Vox.